menu-topo

Há um amor enorme nos cuidados ao nosso bebé. E é recíproco.

sexta-feira, setembro 14, 2018
Agora já deixo a Madalena a brincar no banho com os manos sem preocupações. 
E é aquela altura em que sinto que o meu bebé cresceu e que me chega uma nostalgia gigante.
Para escrever este texto tive de me recordar do dia em que ela nasceu. Do primeiro banho na maternidade. Aqueles bracinhos e pernas tão fininhas. Aquele cheiro. 
De quando os manos a conheceram. Do voltar a sentir dúvidas, mesmo sendo já considerada uma mãe experiente. 
Do chegar a casa com o meu terceiro filho. De como foi crescendo e de como foi bom cuidar dela. Pôr creme, lavar o corpo, sentir aquela pele maravilhosa que um bebé.
Apesar de um terceiro filho trazer com ele uma azáfama boa (e às vezes não tão boa) a parte da pele é algo que guardo com um enorme carinho e prazer.
Há um amor enorme nos cuidados ao nosso bebé. Mútuo. 
Acho que vou sempre recordar este cheirinho, mesmo que agora seja noutros. bebés, que não meus ;)) com uma nostalgia enorme.
Acontece isto com os cheiros mais emocionais. É uma coisa que fica marcada na nossa memória. Esta é tão boa que acho que vou guardar sempre uma embalagem em casa. 
Assinado: Uma mãe nostálgica. ;)
[O que não gosto mesmo de ter dúvidas é nas marcas que escolho para eles. Principalmente quando são bebés.
A pele deles é super sensível. E é bom confiarmos numa marca. Obrigada baby Dove por esta jornada. Vamos continuar por perto porque a Madalena será ainda baby por o tempo que a última filha merece].
#mãesreais #babydove

Regresso às aulas (individual)!

terça-feira, setembro 04, 2018
Uma amiga minha fazia isto e eu roubei-lhe a (boa) ideia. Ir às compras com cada um dos filhos e guardar este tempo e conversas só para ele.
Quem tem mais do que um filho, sente isto com toda a certeza. São raros os momentos individuais.
Talvez porque ame o regresso às aulas e este recomeço cheio de vontade e esperança. 
Quando não há impossíveis e os cadernos estão em branco prontos a serem preenchidos de amizades, sonhos e de motivação. Quando as notas ainda vão longe e todos partem do zero. Quando há reencontros e limpezas de tralhas e de alma. 
E, por isso, as compras do material escolar são feitas um a um, com toda a atenção e conversas sobre o que aí vem, o que é para manter e o que tem de mudar.
É uma sensação tão boa esta dos recomeços. 
Por outro lado, aproveito para trazer umas comprinhas para casa. Não muitas para não fugir do foco, mas os essenciais. E desta vez até pedi ao LIDL para tirar fotos...
 Porque entre os biológicos, o material escolar e a alegria dos meus filhos, [o que está a dar é juntar 3 em 1] algum registo tinha de ficar. Meus ricos meninos, todos contentes. 
E tive sorte porque resolvi toda a lista pedida pela escola aqui. 
A Madalena [está nas fotos mais abaixo] também teve a sua vez e trouxe uma mochila dos seus bonecos preferidos. ;)
E, assim, juntei uma tarefa que podia ser stressante a um momento único e especial de mãe/filho que vou fazer rotina anualmente.
[Só me falta a Maria.] 
Espreitem a felicidade.;)

Como o digital mudou a minha vida.

domingo, setembro 02, 2018

Este foi o desafio que me lançaram. Contar de que forma o digital mudou a minha vida é voltar ao tempo em que nasceu este blogue e em que me sentia encurralada em termos de criatividade na minha profissão.
A vida tinha-me empurrado para uma área que não era muito o meu género. Tinha vindo dos programas onde podia dar largas à minha imaginação para fazer as peças. 
Muitas vezes fazia omelete sem ovos nas reportagens de um programa que se chamava Caras Notícias. Gostava dessa azáfama. 
Dava-me algum estímulo o fazer nascer uma coisa do nada.
Entretanto fui de baixa de parto da minha primeira filha e quando volto esse programa tinha acabado.
Fui parar à informação e aos temas de política, economia, saúde, etc, que não tinham nada de fantástico para mim... 
Vivi muitos anos assim porque tinha filhos pequenos, uns colegas impecáveis e a SIC era uma família. Mas sabia que estava no lado errado.
E foi assim que nasceu este blogue, e, com ele, toda uma nova oportunidade. 
Passei para o mundo digital e as portas começaram a abrir-se, ainda que não me tivesse sido tão óbvio na altura como agora a distância me mostra. 
Parecia que vivia duas vidas. A da informação onde era aquela Rita mais séria (que ainda não sei se existe) e a do blog, onde podia escrever de forma criativa, sem barreiras, nem espartilhos. 
Com isso, acabaram por me passar, na redação, para o digital, onde, em 90% do tempo, podia finalmente, abordar todos os temas que me interessavam: maternidade, histórias de vida, pessoas, arte, emoções. Tudo!
Esses temas eram quase sempre os mais visitados do dia no site da SIC. 
E eu voltei a sentir-me feliz na minha profissão e confiante também para enveredar pelo meu caminho a solo.
Quando me falaram do INCoDe.2030 lembrei-me de todo este percurso e de como o digital foi importante na minha vida. Esta iniciativa de levar formação à população de forma a que se encontrem novas saídas profissionais e oportunidades pode mudar a vida de uma pessoa. E ainda há tanta gente em Portugal que nunca se sentou à frente de um computador, que demora tempo a mais a resolver problemas burocráticos e que desconhece as vantagens que há em serviços online.
Adorei esta iniciativa que tem como objetivo a inclusão, a formação, qualificação, especialização e investigação. E que me fez recordar o meu percurso e dar valor à oportunidade que foi o digital na minha vida. 
#incode.2030



Um dia especial para os meus "Brave Kids"

quarta-feira, agosto 29, 2018
Trabalhar em casa durante as férias deles deixa-nos (para além de estafados) com um peso na consciência enorme. Muitas vezes para conseguir entregar trabalho, não posso brincar com eles. 
Pior. Para conseguir que fiquem sossegados ou vêem desenhos animados, um filme ou andam para ali nos tablets. E fico mesmo triste.
Já pensei em muitas soluções, mas nenhuma funciona. 
Apesar de estar muito focada em, assim que comecem as aulas, arranjar métodos para só trabalhar quando eles estão fora, nas férias isso é impossível. Eu tenho uma profissão e tenho de pagar contas. E, é esta a realidade. Adorava não ter de fazer contas e poder estar sempre livre para brincar com eles.
Mas isso não é possível. 
Ora que quando o Sheraton nos convidou para irmos conhecer o novo Brave kids, o espaço para crianças do Sheraton Cascais, fiquei mesmo feliz. Porque eles lá podem brincar livremente, com supervisão, o que me deu umas gotinhas de descanso para avançar com coisas pendentes. 
Aproveitámos e passámos todo o dia. O meu marido veio almoçar connosco no restaurante Glass Terrace e lanchámos e petiscámos no Flow Pool Bar. E enquanto eles davam mergulhos, (aqui comigo já atenta;), e faziam escalada e mil atividades giras, eu senti que lhes pude dar férias e tirei algum stress de cima dos ombros.  Uma ótima solução para quem precisa de conciliar os dois mundos sem os deixar cair, e deixar memórias inesquecíveis. E mesmo ao lado de casa. 
Foi maravilhoso e eles amaram mesmo!!! 
[Que estranho. A Madalena só deixou a chucha há poucos dias e já me faz impressão ver fotos de chucha na boca. ;)]