menu-topo

Sou filho de uma relação Pirilampo!

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Sinónimo de Relação Pirilampo: Brilha no escuro mas...
à luz nem se vê!


Toda a gente sabe como são....
Às vezes são coisinha para durar só uma noite,
outras até sobrevivem umas temporadas,
mas a verdade é que
 quase nunca
têm futuro.

A maior parte das vezes
são consentidas
(que remédio!!!)
e apesar de um dos lados
até estar mais inclinado para uma
relação dita mais séria
há sempre um que se esquiva
ao compromisso.

Pode não ser só pelo sexo,
mas por relaxe
ou até pelo desafio.
A verdade é que aquele click
é mesmo só isso!

Até um deles pôr um ponto FINAL.

Destas ligações
(mais TUDO que realmente afectivas)
às vezes surge
(ups!!!)
uma coisa tão
boa e tão grande
que as bases não são firmes
 para a aguentar.

Algumas vezes
o filho até foi pensado,
mas não reflectido.
A paternidade atrai-os
e porque não?!
Até pode ser giro...

(What????)

Um filho de uma relação pirilampo
não tem menos amor...
mas pode ter
pouco PASSADO construído
para o receber.

Não quer dizer
que seja sempre assim.

Um filho deveria ser um projecto comum
e quando já se partilharam
algumas vivências,
mais do que se dividir
quer-se somar.

E já assim... quando é
pensado a dois
ser mãe e ser pai
é exigente.
Sem elo e sem história
é 1000 vezes mais desafiante.


Alienação Parental
- «Estou a viver um verdadeiro inferno!»

Não ouvi esta frase só uma vez, mas duas, nas últimas semanas...
Claro que não posso dizer nomes mas chocou-me o relato desta amiga.

- «O pai do meu filho rapta-o. Quando o leva, passo dias sem saber onde ele está.
Não vai à escola, não tem horários.
É principalmente o silêncio que me tira fora de mim... Nunca sei onde e com quem está!
Estou à espera de uma carta da segurança social para determinar os direitos da Parentalidade.
Até lá...»

E eu arrepio-me e penso como é possível esta mãe viver assim?!
E se fosse um caso isolado...

Diz-me outro amigo:
- «Nós já tínhamos acabado quando ela engravidou.
Eu já sabia no que ia dar.
Ela era uma maluca!
Mas eu também nunca me aguentei com mulheres normais. Perco o interesse!»

E olha que vida interessante tem agora.
Os filhos não vivem
nem com um
nem com outro.

Estão com o avô até o tribunal decidir.

 Isto depois da mãe desaparecer
com as crianças durante 3 meses
e mais um role de tristes aventuras
que me relatou em minutos.


Alienação Parental é um conceito novo
para um comportamento bastante antigo.
No fundo, os filhos pagam as favas
pelo egoísmo 
e pela infantilidade dos pais.

São meros instrumentos de batalha
numa guerra
que muitas vezes
é longa e penosa.

São também eles as únicas vítimas
já que os pais
são crescidinhos
e deviam ter JUÍZO!

É acima de tudo
um processo solitário
(muito silencioso!)
que deixa marcas
na personalidade
para todo o sempre.



DICA DE MÃE:
Previna-se antes!
Se acontecer, pense sempre primeiro no seu filho.
Se souber, denuncie!


Carta dos Direitos das Crianças na Separação
Instituto Português de Mediação Familiar
Artigo 1º
Não tenho a mesma compreensão do mundo dos adultos. Por favor expliquem-me o que está a acontecer nas nossas vidas.
Artigo 2º
Sou pequeno (a), mas noto que a nossa família está diferente. Por favor sejam sinceros comigo.
Artigo 3º
Por favor digam-me que não sou culpado (a) do que está a acontecer.
Artigo 4º
Por favor façam-me sentir importante nas vossas vidas, pois preciso muito dos dois a acompanhar-me no meu dia-a-dia.
Artigo 5º
Peço-vos que sempre que discutem o façam a sós. Prefiro não estar presente nesses momentos.
Artigo 6º 
Por favor dêem-me oportunidade de continuar a conviver com todos os meus avós, tios, primos e amigos.
Artigo 7º
Não me façam perguntas difíceis. Escolher entre o pai e a mãe é algo que não se pede a ninguém.
Artigo 8º
Gostaria muito de poder continuar na mesma escola e manter as minhas actividades diárias.
Artigo 9º
Não me façam sentir que tenho um preço – por favor não falem de dinheiro à minha frente.
Artigo 10º
Pai, Mãe, isto é importante… não gosto que falem mal das pessoas que amo!
Artigo 11º
Uma criança tem os seus limites… dêem-me algum tempo para me apresentarem novos parceiros.
Artigo 12º
Por favor dêem-me boas oportunidades para aprender bons exemplos, para poder segui-los ao longo da minha vida.





1 comentário: