menu-topo

Aprenda a Salvar o Seu Filho!

quarta-feira, dezembro 05, 2012
Começámos este curso todas frescas
e cheias de piadas e risos...
À medida que o tempo foi passando,
os sorrisos foram desaparecendo
e, só vos digo...
NÃO FOI UMA MANHÃ NADA FÁCIL!
O convite para o
Curso de Suporte Básico de Vida Pediátrico para Pais
foi feito pela Ordem dos Enfermeiros da Secção Regional do Sul
a algumas bloggers.
A Maria Guedes CLARO já conhecia
- foi ela que fez as ilustrações deste blog
as outras só via blogoesfera, nunca pessoalmente.
Eram elas, a Sofia do Entre biberons e batons ,
a Ana do A melhor amiga da Barbie
e a Olga do O Rei vai Nu.
Umas queridas mesmo, simpáticas e
boa onda, que adorei conhecer!!!
Acho que estávamos todas na mesma frequência
que era basicamente:
"Não-tenho-estômago-para-isto-
mas-agora-é-chato-abandonar-a-sala!"
Primeiro falaram-nos dos acidentes domésticos:
dedos entalados nas gavetas,
tomadas, banhos, luzes de Natal, etc...
Difícil! Mas uma brincadeirinha ao pé do que vinha aí.
Passámos depois para a febre, convulsões e asfixia.
Aqui já não ríamos de todo mas ainda
conseguimos dominar o stress.
Ainda ouvimos a Maria Espírito Santo da Imaginarium
que falou da importância da segurança nos brinquedos,
mas isso fica para um post à parte
porque tem pano para mangas...
Até que passámos para o CURSO em si
e era ver as nossas caras...
Não sei se se passou com elas,
mas eu tive dores de barriga de nervos MESMO!!!
Muitas vezes dei por mim a respirar fundo,
tal era a falta de ar...
Bem, no fundo aprendemos numa manhã
(costuma ser um dia inteiro)
a reanimar um bebé/criança.
A saber como agir e reagir numa situação de emergência.
(E como é que eu vivi 36 anos sem saber isto?!)
Com estes passos todinhos
 -  e algum treino nos nenucos cá de casa -
e sinto-me muito mais segura,
embora reze para que nunca seja preciso.
Na verdade, devia ter feito isto há muito mais tempo.
Antes de ser mãe.
Aliás, toda a gente devia ser obrigada (na escola,
no trabalho, nos tempos livres),
a saber salvar uma vida quando/se fosse preciso.
Não posso dizer mais nada se não que ADOREI,
que aconselho TODOS a fazerem.
Os enfermeiros - o Pedro e o Walter -
muito simpáticos, ensinaram-me talvez a coisa
mais importante que aprendi na vida!
E no finalzinho
(só para descontrair)
quando nós perguntávamos que pressão devíamos
colocar sobre a omoplata dos bebés
quando fazemos aquela coisa
do One Two Tree CLEAR
responderam que devemos de cantar
ao ritmo do: Ah Ah Ah Staying alive...
Uma graçola só para quebrar o gelo
mas que serve para nos lembrarmos sempre do ritmo
a que devem ser feitas estas compressões
e de forma compassada. São 30 para duas 2 insuflações...
Pequenos gestos que podem salvar vidas!
(Mas acho mesmo que não devo explicar aqui muito mais
porque é bom ser demonstrado por quem sabe realmente da coisa.)
Só mais uma coisa
 - que aprendi lá também e ainda não consegui aceitar:
O supositório põe-se com a ponta plana primeiro no rabinho
e a que arredonda entra no final. Vejam aqui!
Digam-me que - COMO EU!!! -
sempre fizeram o oposto?!?!
Façam o curso - A SÉRIO!!!!
É gratuito, dirigido a pais com crianças
de menos de 8 anos
e o que ali nos dão, NÃO TEM PREÇO!!!
O próximo é na Clínica Cuf Torres Vedras, 
dia 08 de dezembro de 2012, 
horário (dois grupos): A) 9h-13h B) 14h30-18h30.
Mais info aqui!
P.S. Vão haver mais datas em mais locais. Depois ponho aqui.

15 comentários:

  1. Muito útil esta info! Fiquei com um friozinho na barriga so de ler o post... Vou informar-me para fazer este curso! Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa! Mesmo bom o que me diz!
      Não se vai arrepender mas prepare-se...;)
      Um beijinho

      Eliminar
  2. É uma coisa que sinto falta mesmo!!! Consigo manter a cabeça fria em situações de emergência mas faz-me falta o know-how em alguma coisas!!! Agora o supositório: COM A PARTE PLANA???? PORQUÊ? QUAL É A EXPLICAÇÃO? Se já com a parte arredondada elas se queixam.... ai ai ai.. vivendo e aprendendo.
    Beijinhos Rita.
    Sou seguidora há pouquíssimo tempo mas já uma mega-fã.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Susana!
      Vou procurar a psologia só para escarrapachar aqui!
      Também fiquei em choque.
      Parece que é para não ser expelido... mas vou estudar melhor o assunto!
      ;)
      Um beijinho e adoro que venha cá!

      Eliminar
    2. Ola!
      Primeiro quero dizer que adoro este blog. Descobri a pouco tempo, e agora ando a ler o publicações como um livro.

      Mas o motivo da mensagem é que a minha madrinha(enfermeira de pediatria) falo-me a uns meses desse assunto. Eu também fazia ao contrario (com a parte arredondada)
      O desconforto não é provocado pela introdução.Os bebes se queixam porque a parte plana faz pressão para sair. É um reflexo do esfincter. Fazem a parte arrendondada, para evitar o esse desconforto .
      Eu aprendi quando a minha fofinha tinha 2 meses.
      Desde lá, nunca mais tivemos dramas com o supositórios.

      Eliminar
  3. Ola Rita!!
    Sempre achei que devia de existir um curso destes!! o seu livro ajudou me imenso, fui mae pela 1ºvez e nao sabia nada:-)!!

    Sou fã do blog , gostava de saber se pensa escrever proximamente outro livro sobre maes e bebes!

    um beijinho
    Antonieta Blomberg

    ResponderEliminar
  4. E eu que moro em Torres Vedras e tenho um batizado este sábado! :(
    Queria mesmo fazer o curso!
    Apesar de ser enfermeira, não tenho prática de reanimações, nem acidentes e nem de pediatria.
    E juro que sempre que coloquei um supositório, nos meus doentinhos ou nos meus filhos, foi sempre, mas sempre com o bico primeiro!
    As coisas que eu tenho aprendido com a Rita!!
    Desde a gravidez, quando comprei o seu livro, depois no blog, que tem sido só a aprender!
    Obrigada e beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Concordo!! Todas as pessoas deviam ter um pouco de formação sobre este assunto!!! Só na do supositório é que não... o dito pode-se por das 2 maneiras. Na escola de enfermagem também tivemos esta discussão, e as vantagens de uma maneira não são superiores à de outra...

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Rita.
    Muito útil!
    Quero fazer este curso!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Muito interessante. Se souberes de algum no Porto, informa, pf.

    ResponderEliminar
  8. Eu fiz no hospital de Faro, pu-lo em prática quando o meu filho se engasgau uma vez.
    Muito útil, aconselho vivamente.

    ResponderEliminar
  9. Olá Rita.
    A sorte fez nascer a minha filha com uma doença rara. Cedo tivemos a noção que a epilepsia podia ser uma grande probabilidade. Neste sentido, promovemos junto da escola uma formação anual para os educadores e pessoal auxiliar em Suporte Básico de Vida Pediátrico. A Madalena tem 3 anos e marcamos para Fevereiro a 3.ª formação. É importante manter o ritmo e estarmos todos alerta para o que pode acontecer. Porque não acontece só aos outros. Este curso deixa-nos a todos muito mais descansados. (PS: A Madalena tem uma epilepsia completamente controlada e comemoramos para a semana o 2.º ano sem crises. ;))
    Parabéns pelo blogue.
    Um beijinho
    Catarina

    ResponderEliminar
  10. tb achei muito util adorava fazer este curso tudo me preocupa e as convulsoes nao febris ainda mais mas temos viver de forma descontraida se nao nao vivemos mas sobrevivemos e eu quero viver feliz... tenho q ver perto de mim se exite estes cursos... beijinhos Rita

    ResponderEliminar
  11. Olá! É verdade, um curso muito útil mas que dá muitos arrepioss...eu fiz, em Coimbra, n foi gratuito, mas o que nos ensinam realmente não tem preço...contudo, no fim fiquei com a grande questão...stressada como sou, como Mãe...se serei capaz de colocar em prática...entretanto, vou rezando para que não aconteça...
    Mas vale a pena...o saber nunca ocupa espaço, e pode fazer a diferença, nem que seja na altura de pedir ajuda!

    ResponderEliminar