menu-topo

Quando a girl percebeu que comemos coelhinhos, mémés e outros animais queridos...

quinta-feira, maio 30, 2013


Tem sido a grande aventura lá de casa...
Pergunta porquê, se são bebés, se têm mãe,
se choraram, porquê outra vez, e andamos nisto...
E eu que tenho uma irmã que não toca em carne
- e que se pensar muito também me custa -
a explicar que comemos porque temos fome,
 mas que temos respeito e que devemos agradecer
por termos comida na mesa.
Blá blá blá somos uns assassinos cruéis de pequenos 
indefesos!!!
Tal e qual este vídeo.




O Socorro! Sou mãe... também está no Facebook

4 comentários:

  1. Fomos vegetarianos 18 anos e o argumento da minha filha era: "Os animais são nossos amigos e eu não como os meus amigos!!"

    Beijos
    Lina

    ResponderEliminar
  2. Já dei a resposta no face, mas copia para aqui!!
    "Precisamente por causa delas!! Sempre dissemos que teriamos esta opção de vida enquanto isso não fosse alvo de desconforto ou descriminação para as nossas filhas. A nossa opção de vida começou aos 18 anos quando achamos que conseguimos mudar o mundo. De facto, acho que à nossa maneira conseguimos um bocadinho. Iniciamos a nossa alimentação quando ainda se fazia o seitan em casa, porque não havia opções sem ser o Celeiro em Lx. Quando as únicas receitas sobre vegetarianismo eram em inglês e quando os restaurante não tinham menu vegetariano e nem sequer sabiam o que isso era. A nossa opção teve a ver com uma questão de ética e não com fundamentalismos. Os nossos amigos conviviam alegremente conosco à mesa e o respeito era mútuo. Quando a primeira filha nasceu e depois de uma gravidez vegetariana sem problemas associados à alimentação, fez-nos sentido que a nossa filha fosse vegetariana, com o devido aconselhamento do pediatra. Ressalvando sempre a questão de não estarmos a pagar promessas e se um dia achassemos que a miuda não estava bem, depressa o deixariamos de ser. Acredito que educamos os filhos pelo exemplo e incutimos aquilo em que acreditamos, seja na religião, política, futebol e... alimentação! Quando a Rita tinha 7 anos, e a Joana 3, sentimos que a pressão na escola era superior àquilo que a cabecita dela podia suportar. A comida era diferente e todos os dias os amigos perguntavam porquê. No infantário as coisas correram bem, ela respondia da melhor maneira que sabia e a resposta satisfazia as crianças. Na primária, as coisas não foram tão pacíficas e se sabemos que as crianças são a melhor coisa do mundo, também sabemos que sabem ser crueis e cansativas. Tal como começamos o vegetarianismo, também deixamos o vegetarianismo (cá em casa ainda se consome de vez em quando). O que eu não podia permitir era que as minhas filhas tivessem que responder todos os dias por uma opção que tinha sido dos pais!! Desculpem a extensão da resposta, mas como em muita coisa na nossa vida não há certos nem errados, há aquilo em que acreditamos. E também é um facto que as nossas verdades absolutas aos 18 anos são mais relativas aos 36!! Beijos a todas"

    ResponderEliminar
  3. Acho que os vegetais devem ser a maior percentagem na nossa alimentação, mas não nos podemos esquecer que a vitamina B12 é muito importante para o sistema nervoso central e não só. Também temos mudado muito a nossa alimentação mas comemos carne 1 ou 2 vezes por semana.
    Explicar às crianças é complicado pois misturam os afectos. Terá de ser muito bem argumentado. Mas a parte do post do respeito e agradecimento é muito importante.

    ResponderEliminar