menu-topo

Sou contra o exame nacional na 4ª classe!

quarta-feira, maio 08, 2013
E tenho dito!
(Podem cair-me em cima que não desloco!)
É ridículo, prematuro e uma fonte de stress a todos os níveis.
Não há aulas,
alguns pais não podem ir trabalhar,
ou têm de andar kms,
as crianças são deslocadas
(mais de 50%)* para um sítio estranho,
com pessoas desconhecidas,
numa altura em que, no seu dia-a-dia,
contam só com um professor
e com a confiança que depositam nele.
Alguns miúdos estiveram-se, literalmente, a borrifar.
Mas nem todos têm esta sorte!
Ouvi histórias de miúdos fechados, nervosos, a estudar
durante todo o fim-de-semana.
Preocupados com o futuro, ou simplesmente,
com serem obrigados a irem para outro local
mostrar o que valem.
Ansiosos pelo peso dos 25% na nota final
quando, já se sabe, que pode não traduzir em nada
o que sabem e conseguem fazer.
(Na 4ª classe?!?)
Espero que quando chegue à altura dos meus
ou já não existam, ou sejam feitos noutros moldes,
porque isto é de uma violência atroz.
Nesta altura vão ver-me de cartaz ou a encabeçar uma petição
para a eliminação deste exame. E eu que não sou de lutas...
Nem sequer entendo porque têm de ser avaliados nesta fase
nem induzidos a competir tão cedo.
- Expliquem-me como se eu tivesse 9 anos!!! -
Ah e tal é uma preparação para a vida....
Não! É um massacre e uma parvoíce
que não traduz o verdadeiro valor dos miúdos.
Uma avaliação simples, no seu "habitat",
sem grandes confusões
ou complicações seria mais que suficiente.
(Terá a ver com as rakings das escolas?!)
Mas isto é só a minha opinião de mãe de filhos
que quero felizes e que AMEM aprender.
(Às vezes acho que está tudo doido, ou então, sou eu!)
Há tempo para tudo!

* Chegou-me que só foram deslocadas a do público
mas não pude ainda comprovar a informação.

O Socorro! Sou mãe... também está no Facebook




23 comentários:

  1. Não está não Rita, tudo o que diz faz sentido. É, na verdade, uma violência para os miúdos, para os pais e que mais dia menos dia mudará, como em tudo neste país, "muda o vento, mudam-se as rotas". Na educação do nosso país as crianças são meras cobaias de políticas e reformas experimentais e isso é de lamentar. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apoiado, o meu filho não necessita de exames para se saber se sabe, o que é preciso é que passe para o ano seguinte. Quando conseguir uma licenciatura, embora nada saiba, entrará depois nas manifestações dos emprestáveis, que reclamam um emprego, mas não reclamaram conhecimento

      Eliminar
  2. eu não sou contra a avaliação e até não sou contra um exame, mas não nestes moldes!!! a minha filha fez o exame ontem, saiu de lá a chorar.....
    o exame como grande parte daquilo que se faz em Portugal não é para ajudar as pessoas é sim para cortar!!
    as Camaras municipais não estão lá para aprovar projectos mas sim para chumbá-los, os serviços das finanças não estão lá para ajudar as pessoas a poupar nos impostos mas sim para cobrá-los e quanto mais melhor,as leis não foram feitas para ajudar as pessoas mas sim para puni-las, com os exames em Portugal passa-se exactamente a mesma coisa, não foram feitos para dar conhecimento mas sim para chumbar alunos.....
    os textos eram confusos e as perguntas ratoeiras, não entendo!!!
    textos de um jornal sobre uma investigação cientifica com números e mais números e depois com perguntas sobre números baralhados para levar os miúdos a cometer erros???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai Isabel... Nem me conte mais: Um beijinho gigante à sua filha e diga-lhe que os senhores que fizeram este exame chumbaram todos!!! ;)))

      Eliminar
  3. Não sou contra o facto de as crianças prestarem prova, sou contra a pressão que fazem sobre elas, contra a dedicação dos professores para este exame (o meu filho fez também, não este ano mas noutro e como preparação tiveram um mês de revisões para isto pois serviam para avaliar o professor) ficaram outras matérias por dar, matérias essas que lhe fizeram falta no ano seguinte. Este ano a preocupação vai para os exames do sexto, que, resumindo, é mais do mesmo, ou pior pois estes terão peso na nota final e uma prova que corra mal poderá implicar a retenção do aluno

    ResponderEliminar
  4. E que tal relativizar um pouco? Não nos cabe a nós pais também prepará-los para toda a burrice que existe no mundo? Infelizmente somos diariamente bombardeados com decisões estúpidas, sem sentido que nos atrapalham a vida. Em vez de encarar os exames como um bicho, é uma oportunidade de aprenderem a lidar com este tipo de questões. Ninguém morreu, nem ficou gravemente ferido. Ouvi na rádio um professor dizer que viu "crianças aterrorizadas" - aterrorizadas com o quê? No próximo ano lectivo (ou seja daqui a 4 meses) vão TODAS mudar de escola, para escolas maiores sem os seus professores do 1ºcicl). Uma criança com dez não devia conseguir desclocar-se do seu espaço habitual sem entrar em stress? Entendo que não é o melhor modelo mas também não é o fim do munod a não ser que se encare como isso. Foi uma manhã, num espaço diferente a demonstrar o que se sabe. Cabe a nós pais retirar a pressão e fazer os pequenos entender que é só um teste. Como milhentos a que serão sujeitos ao longo da vida. E lidar com o fracasso também é uma lição importante. Mas acima de tudo acho que devemos "descomplicar" e "desmisitficar". É só um teste. E que tal chegarem a casa e ir comer um gelado? Um gelado ajuda sempre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim concordo consigo! O maior desafio cabe aos pais! Mas há crianças que lidam melhor e outras que lidam pior com momentos assim... e às vezes um gelado não resolve...
      Um beijinho

      Eliminar
    2. Eu concordo com a Ana Timóteo: cabe a nós pais descomplicar e desmitificar. Se o exame for encarado com a normalidade necessária será apenas um dos processos da avaliação a que as crianças têm que se adaptar. A pressão que as crianças sentiram não foi pelo exame foi incutida pelas escolas, pelo sistema e até pelos pais. Aqui no Funchal pelo que ouvi dizer correu melhor na medida em que os alunos fizeram os exames nas suas escolas, não foram necessárias deslocações.

      Eliminar
    3. Isso foi um aspecto positivo! ;)
      Mas a questão que me coloco é: serve para quê este exame?
      Mts beijinhos

      Eliminar
  5. Concordo, concordo, concordo. Não deixam as crianças ser crianças. É um disparate, uma aberração. Sou contra estes exames, sim. Muito contra.

    ResponderEliminar
  6. E os primeiros "exames" não são no 4ºano mas sim no 2ºano. É só estupidamente ridículo.

    ResponderEliminar
  7. Eu acho que chumbava! :)
    Ou adormecia no início...
    Espreitem lá!!!
    http://www.arlindovsky.net/2013/05/o-exame-do-4o-ano-de-portugues/

    ResponderEliminar
  8. Olá Rita, eu cá acho que também chumbava ... só de ler tantos nomes 'técnicos' adormecia mesmo!!
    Em relação ao exame também discordo dele nestes termos. O meu afilhado por exemplo quase não dormiu na noite anterior (dos nervos) e estava mesmo aflito por ter que ir para outra escola (não havia necessidade de colocar esta pressão sobre as crianças)!
    O melhor de tudo é que como já percebeu como tudo se processa já vai mais tranquilo na 6ª feira :)

    Pelo que ouvi algumas das privadas também foram deslocadas, mas acho que a maior parte não!

    Beijinho
    Andreia

    ResponderEliminar
  9. Subscrevo inteiramente Rita... É uma violência e uma idiotice pegada. Cada vez mais induzem a competitividade mais cedo nas crianças e muita dessa culpa também passa por muitos pais sempre comparar os miúdos, até a escolha dos nomes das crianças agora já não passa por gostar apenas do nome, mas de ser um nome que lhe traga futuro e importância,é ridículo mas agora acha-se que se alguém se chamar Carla ou Vanessa não vai ser ninguém na vida, mas se se chamar Constança ou Carlota já terão um futuro promissor... Os testes é mesma trampa, servem para precocemente cria estigmas e rótulos nas crianças, os que passaram e os que falharam... Num mundo de adultos falhados e inseguros é normal que haja necessidade de se proceder destas maneiras...
    Beijinhos em si

    ResponderEliminar
  10. Concordo plenamente! Esta medida, que à partida poderia ter tido um grande impacto pela novidade, só tem trazido transtornos aos pais, stress e crianças nervosas. A minha filha mais velha apanhou o 1.º ano de realização da prova. Ainda hoje me lembro, na reunião com os pais, das numerosas recomendações e proibições a ter em conta durante a prova, nada apropriadas para estudantes de 6 anos de idade!! Ao fim de tantos "não podem fazer isto...não podem trazer aquilo, não podem olhar para o lado, não podem fazer barulho.... quase que perguntei se podiam respirar. Enfim, tudo tem o seu tempo, e naturalmente na altura certa. Um abraço e parabéns! Sou fiel leitora do seu blog.

    ResponderEliminar
  11. Sujeitam os miúdos a este stress todo para avaliarem o trabalho dos professores. Estragam-nos o ano lectivo pois temos de condensar a matéria toda em 2 períodos quando devíamos ter 3! Temos de antecipar as datas das fichas de final do 3.º período porque temos de lançar as notas a 3 de junho (eu que tenho turma mista - 3.º e 4.º ano que é outra violência - tenho de fazer 2 momentos de avaliação ou antecipar a do 3.º ano). É tudo em bom! Só quem trabalha no ensino público, nestas condições é que sabe a violência e desgaste que é.
    Queremos mais mães assim... reclamem, lutem pela qualidade do ensino já que o que os professores dizem não vale de nada!!!

    ResponderEliminar
  12. E ao contrário do que muita gente pensa os professores também sofrem! Temos de os deixar no início da escadaria e vê-los subir sozinhos como se fossem para a tortura e ficamos de coração apertado (falo por mim) a desejar que tudo corra bem, tendo em conta todo este cenário militar a que os sujeitam e que os deixa tão angustiados e nervosos! Preparar para a vida? Não me parece, para mim esta escola não é a minha escola de sonho!

    ResponderEliminar
  13. OlÁ

    os alunos das escolas privadas tiveram de ir a uma escola público fazer o exame.
    bjs

    ResponderEliminar
  14. Eu também sou mãe e contra estes exames... Ouvi o Sr. Secretário de Estado falar de que estes exames serviam para cultivar o rigor e a exigência. Porquê? Tem sido tudo uma bandalheira?? O que é que eles querem pôr em causa? O trabalho dos professores? Porque eu julgo que utilizaram os nossos filhos como instrumento para pôr em causa o profissionalismo, a dedicação dos professores.. Gastaram cerca de um milhão de euros nestes exames. Então, não estamos em contenção? Só se fala na redução das despesas, no despedimento de milhares de professores.. Aumentaram o nº de alunos por turma.. Como é que um professor do 1º ciclo pode ser rigoroso e exigente com 30 alunos na saula...??? Se querem rigor e exigência, contratem mais professores para as escolas, façam turmas mais pequenas, para aí sim haver dedicação, atenção e profissionalismo, que é isso que os nossos filhos precisam.. Não esquecer que estamos a falar de crianças de 9 anos..
    Não percebi foi o seu último comentário.. sobre os alunos dos colégios.. A educação deve ser pública e de qualidade para todos.. Só assim atingimos a igualdade de oportunidades, independentemente da sua classe social.. Todos t~em direito a um ensino digno e de qualidade...

    ResponderEliminar
  15. Os alunos do privado foram a escolas publicas e algumas escolas publicas fizeram na própria escola, não houve igualdade de oportunidades para todos os alunos pois não são todos avaliados nas mesmas condições, mais uma grande prova da "excelência" de ensino que temos em Portugal. Prejudicam-se alunos, professores e pais em nome de uma doutrina que não funciona nem é rigorosa.
    Estou consigo, abaixo os exames nacionais para o 1º ciclo, pelo menos nos moldes actuais. Avaliação e rigor sim mas adequados à idade dos alunos e à realidade do país.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Os alunos do privado foram a escolas publicas e algumas escolas publicas fizeram na própria escola, não houve igualdade de oportunidades para todos os alunos pois não são todos avaliados nas mesmas condições, mais uma grande prova da "excelência" de ensino que temos em Portugal. Prejudicam-se alunos, professores e pais em nome de uma doutrina que não funciona nem é rigorosa.
    Estou consigo, abaixo os exames nacionais para o 1º ciclo, pelo menos nos moldes actuais. Avaliação e rigor sim mas adequados à idade dos alunos e à realidade do país.
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Numa altura em que a investigação cientifica já tanto demonstrou sobre as questões educacionais e determinadas politiquices na mesma, este tipo de medida não é só estúpida como irresponsável... portanto, mais do mesmo no nosso governo.

    Não só não se admite este tipo de exame como está provado que nada trás. Mas pior que isso é que é feito por pessoas muito mal formadas que em vez de fazerem exames para avaliar os alunos, fazem-nos para avaliar a sua capacidade de ver ratoeiras... Em determinados exames nacionais já foram verificados erros cientificos, problemas matermáticos e quimicos sem solução possível devido a esses erros (quando supostamente o departamento trabalha nos mesmos durante um ano?!), entre outras "obras primas" de um Ministério da Educação que tem que justificar as quantias que gasta e para isso, em vez de se manter a par dos progressos e conhecimentos científicos, prefere "enfiar a cabeça na areia" como uma avestruz e mandar medidas ao ar sem qualquer fundamentação cientifica ou qualquer interesse no bem-estar dos alunos ou em promover o ensino de excelência.


    Isto, a meu ver, para além de triste é irresponsável. Tal como a teoria de imitar o ensino alemão e trazê-lo para Portugal. Se vir-mos o Rating da Pisa (europeu e mundial http://www.tresselt.de/pisa.htm) pode-se verificar a eficiência e eficácia do ensino dos mesmos... se é para imitar porque não seguir os bons exemplos?!)

    ResponderEliminar
  18. Concordo mãe, não acho justo estes exames nacionais, nem para 4º, nem para 6º, nem para 9º anos. A minha filha fez o de 4º ano e estava muito nervosa, apesar de eu dizer que era um teste normal e que ia correr bem, ela não continha as mãos! Também não concordo por exemplo ouvi um caso de uma rapariga de 9º ano que tinha 3 em todas as disciplinas e devido aos exames nacionais, acabou por perder o ano, porque teve nota baixa nos dois exames... Não acho certo! enquanto um rapaz teve sempre negativa nos testes de matemática, no exame conseguiu tirar um 4, e passou com destinção...

    ResponderEliminar