menu-topo

Os nossos filhos têm "quereres"!

sexta-feira, maio 23, 2014
Claro que muitos se devem lembrar (e bem) da expressão da geração acima dirigida à nossa mini pessoa do Tu não tens "quereres"...
Ora, que um o fosso separa entre o antigamente não poder querer e o novo poder querer.
Acima, decidiam por nós. Se íamos para casa da avó ou da tia, se vestíamos cor de rosa ou verde, se íamos vestidos de igual aos irmãos já a usar soutien.
Os nossos filhos podem querer. Podem optar. Escolher se querem ir ao parque ou à praia. Ao cinema ou ao teatro. Se querem a Ariel ou a Rapunzel. E em dias de folga, os mais novos, até podem optar entre ir à escola ou não. Talvez isso um dia os torne mais decididos ou não. Talvez isso os faça desenvencilhar perante as dúvidas da vida e os problemas da vida, ou talvez não...
Claro que para isto fomos nós que perdemos os nossos quereres. Perdemos ter a televisão ligada 24/7 em canais acima dos 12 anos, perdemos espaço na sala, perdemos privacidade na casa de banho, perdemos pensar primeiro em nós.
Os nossos filhos não estão fechados no quarto a brincar. Andam sempre colados a nós. Não há conversas só para os adultos até eles estarem deitados. Pedem o brinquedo no Natal e nós vamos fazer tudo para dar o que pediram mesmo. Mesmo que seja só esse.
Dizem alguns que isso talvez os transforme em arrogantes, mimados e caprichosos. Talvez, mas também os pode transformar em pessoas corajosas que sabem o caminho por onde vão.
O instinto diz-me sim. Diz-me que se deve ouvir as crianças, que elas expressam com verdade, mesmo usando a fantasia ou até (vá) a mentira, mas isso quer dizer algo. Sempre!
E ter "quereres", dentro do razoável sem termos dedinhos insubordinados apontados ao nosso nariz, sem que sejamos nós a decidir tudo por eles quando chegam à idade de saber escolher, mesmo pequenas escolhas, é positivo.
Saber querer é uma virtude e não falta de respeito, nem uma afronta.
Querer é ir formando a personalidade baseada em comparações e é aprender a filtrar e a escolher. Querer não é nenhuma ofensa. Exceto nas horas de dormir, ver tv, comer e no clube de futebol (;). Em tudo o resto, é bom escolher. Mesmo que a última resposta seja um (super educativo) não!
Fotos: Crush 


Siga o Socorro! Sou mãe... e o Crush no Facebook e no Instagram

5 comentários:

  1. Olá Rita...

    Costumo ver o blog frequentemente mas normalmente sem comentar...

    Mas de à uns dias para cá que o blog me aparece todo desformatado, será só a mim que me acontece ou já alguem se queixou do mesmo? É que já tentei em 2 computadores diferentes e acontece-me...

    Beijinhos***

    ResponderEliminar
  2. (eu aproveito já para dizer que vejo bem o blog, sem qualquer problema)
    as fotos estão lindissimas e também costumamos ir a este parque ;)
    um beijinho

    Maggie

    ResponderEliminar
  3. Quantas vezes eu ouvi essa expressão!! eheheh
    Concordo plenamente, mas com moderação, claro!! Muita coisa mudou e ainda bem, que para melhor.
    As fotos estão magníficas!!
    Bjs e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  4. excelente reflexão sobre um tema muito pertinente! querer é poder, já diz o ditado! e temos que ser capazes de dar esse empowerment aos nossos filhos. Ajudá-los a tomar decisões, no fundo, a querem... a construirem uma personalidade

    ResponderEliminar