menu-topo

Abaixo os quadros de honra!

segunda-feira, julho 07, 2014
[Se chegou agora, antes de julgar este post leia este]
Os quadros de honra, na primária, quando as nossas crianças são tão novas e não têm personalidade formada podem rotular os alunos. Os quadros de honra são, a meu ver, uma desonra para os alunos que não têm a honra de lá estar. 
Os quadros de honra dividem, separam, humilham, angustiam, agridem. 
Os quadros de honra criam grupos quando deviam agregar. A escola devia agregar. A escola em idade tão nova tem de receber e não separar. 
Os quadros de honra estão démodé e, por vezes, estão a premiar apenas um tipo de características. Os quadros de honra deixam de fora a alegria, os sorrisos, a paixão pela natureza, as artes, o espírito solidário, a amizade, a bondade, a boa educação. 
Os quadros de honra podem incitar a uma espécie de bullying [numa altura em que tanto se combate o mesmo] aos que não são bons alunos. Os quadros de honra podem até nem sequer ser bons para os que lá estão porque lhes retira humildade, e às vezes também, a vontade e a motivação para lá permanecerem e para os que sonham lá entrar.
Os quadros de honra podem criar miúdos convencidos, prepotentes e armados em bons.
(Ou considerados cromos e tótós como me foi relembrado depois de ter escrito este texto). Os quadros de honra, em crianças tão novas, podem nem fazer nada disto mas estão a dizer que há os  bons meninos e os outros. E nestas idades todas as crianças são boas, carregadas de potencial nas mais diversas áreas.
Os quadros de honra são uma falta de educação da escola para com os seus alunos. Todos os alunos. Porque a honra não se mede pelos valores nos testes.
Quero que os meus filhos tenham honra. Honra por quem tem mais dificuldades. Honra pelos que mais precisam de ajuda, compreensão e respeito. E por isso, quando chegar esta altura, não quero os meus filhos no quadro de honra!Sem títuloSem títuloSem títuloSem títuloSem títuloSem título
Sem títuloSem títuloSiga o Socorro! Sou mãe... e o Crush no Facebook e no Instagram


150 comentários:

  1. Eu concordo TANTO mas TANTO com isto tudo!!!!
    E acrescento, 2 coisas que aprendi com 2 professores muito importantes para a minha formação curiosamente 1 no 1º ano e o outro no último ano do curso, parafraseando-os:
    - "Antes de vos formar como arquitecto, tenho de vos formar como olhos e mulheres, pois se não tiverem nada para dizer, nem nenhuma história para contar não farão bons projectos" ou numa outra realidade qualquer não virem a ser bons profissionais.

    - "Normalmente os melhores alunos são os piores profissionais, pois estiveram demasiado à vontade com a realidade hipotética que a escola proporciona e quando se deparam com a realidade, não se adaptam"

    É isso mesmo Rita, os melhores alunos não se medem só pelas notas finais!

    Rita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, os melhores alunos do meu tempo têm profissões mediócres e os piores estão quase ao nível de funcionários públicos e afins. A escola serve de almofada social, a realisade lá fora é totalmente oposta, crua e cruel. Já para não falar da competitividade no trabalho e nos empregos então nem se fala. Não acho justo certas pirámides sociais. Há doutores a servir cafés e outros com os pés acima da secretária. Que injustiça social e frustração académica!!! grooonnnhh

      Eliminar
    2. "e os piores estão quase ao nível de funcionários públicos e afins." O que quer dizer com isto?

      Eliminar
    3. Já cá faltava!! Mas esta pulbicação nem é sobre a função pública! Pronto já escrevi com erros! Que chatice.... Será por ser funcionário público, ter licenciatura ou nunca ter estado no quadro de honra. Talvez seja por, mesmo sendo DR., já ter servido cafés.

      Eliminar
    4. Vivam os maus alunos!!! Pobres dos alunos que se esforçam para tirar boas notas, coitados vão ser uns profissionais medíocres!!! SANTA PACIÊNCIA!!!!!!!!!

      Eliminar
    5. Verdade não vale a pena esforçarmo-nos por ser-mos bons alunos porque os maus tem vão ter vantagem, onde é que eu já ouvi isto, anda tudo doido.

      Eliminar
    6. Eu que fui mau aluno... o que é DR?...

      Eliminar
    7. Se estes comentários merecessem um comentário, eu diria: "... quanto disparate junto!!"...
      Com os maiores respeitos

      Eliminar
    8. não concordo absolutamente nada, não vejo mal algum em premiar com um simples diploma o esforço de um ano escolar, tenho um sobrinho num quadro de honra e ele brinca muito, ri muito joga muito, faz tudo muito. há algum mal em reconhecer o mérito por além de tudo isto, também estudar muito? mal estava ele na anterior escola onde sempre sofreu e com o silêncio das professoras que o rodeavam, aí sim havia chacota da grande, aí sim ele podia caminhar para o insucesso. felizmente tem uma grande mãe que tratou do assunto da melhor forma que soube, mudou-o de escola e...estranhamente transformou-se num aluno brilhante e aceite por todos como igual. lamento, mas reconhecer o mérito nunca fez mal a ninguém e não entrar num quadro de honra também nunca matou ninguém eu continuo viva e de saúde e não me sinto humilhada por não ter entrado.

      Eliminar
    9. Sou boa aluna e sempre estive presente nos quadros de honra por todas as escolas que passei. Compreendo o seu ponto de vista e não acho que deixe de ter razão. Por outro lado, é necessário ver que os quadros de honra servem para isso mesmo, honrar aqueles que se esforçam a trabalhar para conseguirem lá chegar, para serem os melhores dos melhores. Hoje em dia um aluno não é excluído por fazer parte ou não de um quadro de honra. Já não há tanta discriminação em relação a isso. Aliás, os que estão no quadro de honra são os "betinhos". Por isso, eu acho bem os quadros de honra existirem porque a função deles é honrar os que trabalharam. Não servem para dizer se alguém é mais esperto ou menos inteligente e muito menos para ditar o futuro a nível profissional de um aluno. Servem sim como um "presente" para aqueles que trabalharam, se esforçaram e conseguiram atingir o objetivo de ter as melhores notas. E acreditem, falo por experiência própria, é muito difícil consegui-lo.

      Eliminar
    10. Sei que o que vou escrever não é o geral, mas mostra que nem sempre os quadros de honra vão premiar esforço. No meu caso pessoal, fui sempre a melhor aluna de todas as turmas em que estive e tirar 100% em testes era a coisa mais normal do mundo para mim. Se nas minhas escolas tivesse havido quadros de honra, estaria sempre lá. No entanto, nunca tive que estudar praticamente nada para ter estes resultados... Honestamente, no 11º ou 12º lá comecei a dar uma vista de olhos na matéria na noite antes do teste só porque era muita. Muitas vezes só mesmo as coisas gerais para ter noção do que ia sair. Tinha colegas que uma semana antes já passavam dias inteiros a estudar enquanto eu me divertia... Muitas vezes para conseguirem simplesmente não tirar uma nota negativa. Então, seria justo eu estar num quadro de honra só porque tenho uma capacidade de aprendizagem estranha em que ouço as coisas uma vez e as fixo imediatamente, não tendo necessidade de qualquer esforço para ter as melhores notas da turma??

      Eliminar
    11. António C
      Conversa de quem nunca ultrapassou frustrações e outros complexos de inferioridade. É exactamente o mesmo que o pessoal que não foi à universidade a defender que o que forma é a vida e não o ensino superior. Conversas destas, para terem credibilidade, só vindas de quem passou pelo quadro de honra. Aí, sim, tinham propriedade e mereciam atenção. Assim, é só gente medíocre a tentar rebaixar os outros para tentar esbater a diferença que os separa deles.

      Eliminar
    12. A ideia não é rebaixar ninguém,mas para crianças (e não estou a falar de 10, 11º etc...)que não entram nesses quadros é frustrante e não deviam passar por frustrações nessas idades, por vezes os que estão no quadro de honra são maus para os outros. Para além disso grandes mentes como Albert Einstein por exemplo, sempre foram péssimos alunos

      Eliminar
    13. O mérito é sempre desvalorizado pelos menos capazes, é perfeitamente normal a incapacidade de reconhecer quem é melhor pelos medíocres. O quadro de Honra o quadro de mérito está ao alcance de todos ( teórico), mas só alguns o atingem e com trabalho esforço e dedicação acompanhados de inteligência. Temos de nivelar por baixo e valorizar o que não é excelente para nos sentirmos melhor. Haja paciência para os defensores de outros valores superiores, nas suas cabecinhas, à competência e valor. Deixem os com mérito serem reconhecidos seja pela sua inteligência seja pela capacidade desportiva seja por cantarem bem, dançarem bem etc. Os outros temos pena são parte da grande maioria se forem medianos.

      Eliminar
    14. tanta gente indignada mas sempre anónima, não entendi isso. se nos vamos defender ou defender algo que defendemos não devemos dar a cara? penso que sim. eu tb era do quadro de honra mas não ganhei o prémio porque a minha professora pediu-me que deixasse o sobrinho recebê-lo, claro que disse que sim mas não gostei e era criança e não foi bom. deviam terminar com esse disparate porque até eu acredito que imensas crianças recebem o prémio porque se deram melhor com a/o professor. as vezes os professores têm mais carinho por este ou aquele aluno e é esse mesmo que recebe o prémio. outras vezes até há outros alunos tb muito bons mas só um vai, quem tem familiares que recebem o prémio ficam contentes mas os que tb são bons e ficam de fora ficam tristes. tb fui uma excelente aluna e os meus filhos tb mas nunca me interessou o quadro de honra pois não acredito nele. mesmo os bons alunos não o são em tudo. humildade acima de tudo, devemos ser mais humildes.

      Eliminar
  2. As minhas estão no 2º e 1º anos e não ficaram no quadro de honra. São optimas alunas e ainda melhores meninas mas por umas décimas ficaram de fora. A mim, que sou pessoa que não passou por isto em criança não ligo nenhuma mas sei que as crianças não gostam de ficar de fora. é feio e desumano esta tontice dos quadros de honra, e aqui na terra estão nas escolas particulares como nas publicas, não há como fugir. Bjos
    Maggie

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se ficassem o discurso seria outro!

      Eliminar
  3. Tão, mas tão verdade, cara Rita! Bravo, bravo, bravo! E quando voltar a brincar no jardim das fotos, chame-me que vou com as minhas honrosas filhotas! Beijo grande! CSP

    ResponderEliminar
  4. Na minha escola há quadro de honra baseado na média acadêmica do 3º período mas TB há quadro de valor/mérito em ética/desporto/arte e os miúdos são proposto em conselho de turma...menos mal. São premiados em diferentes vertentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que fixe! Gosto assim, de premiarem varias areas!

      Eliminar
    2. No meu agrupamento há quadro de mérito académico, ético/cidadania, desportivo, artístico... e nestes anos todos não se sobrevaloriza, encara-se como normal para os alunos que atingem determinado patamar numa destas áreas, não há número restrito para atribuir, e nunca senti mal estar por parte dos colegas, até porque são os próprios que participam também na escolha e depois o CT valida ou não, o que é raro acontecer.

      Eliminar
  5. Não podia concordar mais! Na escola dos meus filhos há quadro de honra e quadro de mérito e sinceramente acho que só tem efeitos negativos para toda a comunidade escolar! Enfim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É pena não conseguem lá estar! O discurso seria outro se eles fossem melhores alunos. A inveja é demolidora atrofia.

      Eliminar
    2. D.Vilhena Ramos deve ser uma pessoa muito frustrada !! Só resta-me ter pena de si e dar os meus parabéns á autora do texto! Este sim de grande qualidade

      Eliminar
  6. E mais, Rita, acho que os quadros de honra são maus para os que lá estão: "Os quadros de honra podem incitar a uma espécie de bullying [numa altura em que tanto se combate o mesmo] aos que não são bons alunos." e aos que lá estão porque normalmente são vistos como os totós, os "armantes", mesmo quando não o são (true story!) lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também Ana, também esse lado. <3

      Eliminar
    2. Maus para os que lá estão? Nunca lá esteve nunca viu o mérito ser premiado seja no que for? Haja paciência para tanta .....

      Eliminar
    3. Repito: D. Vilhena Ramos é uma pobre criatura!

      Eliminar
  7. Muito BOM!Sempre no quadro de honra,depois...chegam à faculdade...e acabou-se...O que era bom!Ou não!!!!!
    GOSTEI,MUITO.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Ignorância leva a generalizações aberrantes e infudadas, é fácil de verificar que os melhores alunos da Universidade estiveram nos quadros de mérito, o que afirma pode estar baseado na sua experiência que será muito limitada.

      Eliminar
    2. Você é mesmo uma tristeza D. Vilhena Ramos!

      Eliminar
  8. Concordo com quase tudo o que foi dito. Eu também não gosto de Quadros de Honra mas há sempre um mas... A minha filha é daquelas que precisa de um incentivo extra, que tal como um burro precisa que lhe ponham a cenoura à frente para não desanimar. E o "quadro de honra" foi o que a professora encontrou para a estimular (sem conversar conosco). Ela passou o ano inteiro a falar nisso e conseguiu ser a única a ser recomendada para entrar para o dito. Ela ficou feliz e eu preocupada. Porque sei muito bem que alguns alunos detestam os bons alunos (principalmente os que estão no quadro de honra) são alvo de chacota e podem ser alvo de bullying. Eu penso tb naqueles meninos que se esforçaram imenso e que mesmo assim não conseguiram lá chegar. Acho que o esforço deles deveria tb ser recompensado... Mas não acho que o facto de estarem no quadro de honra transforme bons meninos em gente prepotente, pouco humilde e com a mania que são melhores que os outros. Há muito mais envolvido nisso. Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode tornar foi o que escrevi. Também os pode tornar tudo de bom. Mas claro é uma questão de sorte e de criança.

      Eliminar
    2. Também tem de se ver pelo lado dos alunos que estão no quadro de mérito. As crianças que têm bons valores também precisam de serem recompensadas pelo esforço que têm ao longo do ano. Por vezes estes alunos chegam a ser impedidos de participar na sala de aula, pelo proprio professor, porque já sabem tudo. São "marginalizados" pelos colegas e por alguns pais. Estes alunos não têm direito a um bocado de papel que lhes custa 0,05€? Para estes alunos é o reconhecimento do trabalho que fazem, do gosto que têm pela escola, da ansia de aprender. Faz mais confusão aos adultos do que aos alunos. ;) Acho que estes alunos tem o direito de também olharem para eles.

      Eliminar
    3. Então mas para isso servem as notas, ou não?

      Eliminar
    4. Em silicone valley as grandes empresas quando querem contratar alguem
      as médias académicas tem um papel pouco relevante eles perferem pessoas
      com um grande conhecimento prático é que a teoria estará sempre ao alcance de um clic
      mas a prática necessita de muitas horas, erros, reflecção e poucas vitórias.
      Esses tem a capacidade de quando confrontados com a derrota ou insucesso de se reinventarem
      de dar a volta e conseguem olhar para as coisas de vários ângulos

      Eliminar
    5. Discurso de mau aluno que em nada corresponde à verdade! Ambos sabemos que o que afirma é falso!

      Eliminar
    6. D. Vilhena Ramos vejo que precisa procurar um psicólogo. Descubra á criança que há em si e deixe de querer colocar as crianças separadas por paredes!elas querem liberdade e brincarem como iguais. Minha querida não seja quadrada mas criança outra vez!

      Eliminar
  9. O problema reside no facto dos nossos estudantes não terem consciência do enorme privilégio que é poderem estudar ! Aprender deveria ser recompensa mais do que suficiente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais! Deviam fazer algo por gosto e não para se destacarem e serem os melhores! Parem além de isso causar stress e ansiedade nas crianças. Na minha opinião nem deviam haver notas na primária... A recompensa é aprender! Não chega? É mesmo preciso dizer "És melhor que os outros, por isso continua a esforçar-te para seres o melhor". O que me assusta é que o importante é ser-se o melhor e não a alegria de aprender!! Não devíamos ensinar as crianças a serem competitivas e sim cooperativas!

      Eliminar
  10. O quadro de honra também funciona como um incentivo. É justo recompensar quem se esforça mais, nem que seja com um diploma. Ou afinal não se deve reconhecer o esforço de quem se esforça mais? O quadro de honra é só uma maneira de o fazer.
    Sempre estive no quadro de honra do meu colégio e nunca me senti descriminada e nunca descriminei ninguém. E sim, era um orgulho ter o meu nome no quadro, à vista de todos na entrada!
    Quando abandonei o colégio e fui para a escola pública, continuei a ter boas notas, na faculdade idem.. Não sou uma geek e o esforço que fazia no colégio para estar no dito, era o mesmo que fazia onde o dito não estava implementado.
    Acho que o truque deve ser não dar importância em demasia mas ao mesmo tempo não desvalorizar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me que a maioria queixa-se apenas porque os próprios ou os filhos não conseguiram lá entrar. E faz-me espécie ver que são contra o Quadro de Honra mas apressam-se ao mesmo tempo a chamar de prepotentes, pouco humildes, cromos, etc aqueles (em alguns casos crianças pequenas) que conseguiram entrar mesmo não os conhecendo de lado nenhum... Fantástico! Not!

      Eliminar
    2. Não leu. Mas também não faz mal. Beijinhos

      Eliminar
    3. Os meus filhos sempre estiveram no quadro de honra, que não era só medido o seu conhecimento académico, mas também o seu comportamento com os pares, e restante pessoal escolar. Nunca foram arrogantes ma spreocupavam-se com os colegas e ficavam tristes por eles não se importarem com a escola. Quem está contra os quadros de honra é porque os filhos não estão lá. Sinto-me muito orgulhosa dos meus filhos passarem e estarem no quadro de honra da escola - é um modo de premiar o empenho, estudo e respeito pelo trabalho dos professores e dos pais, que trabaham para eles. bjs para todos os que dão a sua opinião.

      Eliminar
    4. Na escola do meu filho existe quadro de excelência (q premeia os resultados escolares ) e quadro de mérito (q premeia atitudes, esforço, merito desportivo, artístico, etc ). O meu filho tem integrado o quadro de excelencia e algumas vezes tb o de mérito. Nao sinto q haja entre os miúdos qq tipo de hostilidade quer pela parte dos integrantes quer pela parte dos outros. Aliás, convivem amigavelmente e os que apresentam menos dificuldades passam a trabalhar em parceria com outro com mais dificuldades, de forma a minorar as diferenças. Este ano o meu filho completou o 8° ano e, apesar de terminar com 7 cincos e 4 quatros, nao chegou para Integrar o quadro de excelencia. Nao se ralou nada com isso, foi - lhe indiferente. O importante é q tenham humildade para lidar com isso. Além disso o quadro de honra vale o q vale pois varia muito de escola para escola.

      Eliminar
    5. Com certeza quis dizer discriminada e não descriminada :) pois não cometeu nenhum crime ;)

      Na minha escola existia mas este ano deixou de haver QH.

      Eliminar
  11. Esta questão por certo já foi discutida e analisada inúmeras vezes por especialistas e se calhar a nenhuma conclusão nunca se chegará.
    A minha filha entrou no 1º ano o ano passado. Depois das férias de Natal, ela reparou que existia um Quadro de Mérito, mas que só apareciam meninos a partir do 2º ano. E nesse dia ela disse-me: “para o ano eu quero estar neste quadro”. E assim foi, aplicou-se nas aulas e não ofereceu resistência quando eu fazia umas revisõezitas com ela antes dos seus testes (ao contrário da guerra diária dos TPC). Neste ano, na reunião da entrega das notas, no 1º trimestre ela viu a sua foto no Quadro e deu pulos de contente, e veio agarrar-se a mim de olhinhos brilhantes a dizer “consegui!” Na sala dela existem uns quantos meninos assim, mérito também da sua Professora, pois isso também tem muita importância!
    Já no fim do ano, recebeu uma circular, destinada aos meninos que se mantiveram no quadro o ano todo, dizendo que iriam ter “um prémio”, um passeio e ela ficou radiante.

    Todas nós enquanto mães, queremos o melhor para os nossos filhos. Digam o que disserem, todas nós ficamos orgulhosas (não confundir com vaidade) quando os nossos filhos se esforçam e conseguem os objectivos. Não devemos dramatizar se eles não conseguirem. Eu dizia-lhe: - “eu iria ficar muito orgulhosa, mas se não conseguires não fiques triste, sabes que deste o teu melhor!”.
    Se as mães não quisessem o melhor para os filhos, então porque existem os colégios XPTO, as explicações, o inglês, informática, escolas de futebol, etc?! Não é para que um dia “triunfem” na vida?!

    Não podem ser bons alunos sem terem de ser “cromos” ou “totós”?!
    A minha filha é espontânea, criativa, divertida, amiga dos amigos, gosta de partilhar, sofre quando os amigos sofrem e tenho a certeza que se não conseguisse o seu lugar não iria ser mais nem menos feliz por isso, passaria-lhe em segundos.

    Se houver crianças que sofrem de bulling o problema não são os Quadros de Mérito, mas sim a incapacidade das outras crianças, a sociedade em geral, em aceitar as conquistas alheias.

    Infelizmente vemos este tipo de situações no mundo dos adultos…pessoas que “se atropelam” para caírem nas boas graças das chefias, pessoas incomodadas com a subida de cargo ou nas atribuições de prémios. E o individuo que se esforçou e lutou? Não se sentirá feliz pelo seu reconhecimento. Tem de festejar em silêncio para que ninguém se sinta mal? Estranho isto…

    Para a minha filha eu desejo o mesmo que todas as mães, eu quero é que ela seja feliz, tenha melhores ou piores notas, mas que vá subindo os “degraus”, que seja um ser humano com bons valores, amiga de ajudar o próximo…

    E tenho fotos igualmente lindas, dela sorridente ou a fazer caretas, limpinha ou toda suja, no campo ou na praia, de laços e golinhas ou de t-shirts e legging, a brincar com tablets ou com as folhas da natureza….para mim tudo conta nesta caminhada da aprendizagem!

    Há que moldar as mentes dos mais pequenos, ensiná-los a respeitarem-se e aceitarem-se (a eles e aos outros,) aceitarem as suas limitações, mas também a vibrar com as suas conquistas.
    Eu não sou mãe perfeita, longe disso, reconheço os meus erros à minha filha em voz alta, digo-lhe sempre “a mãe fez isto mal, não o deveria ter feito, um dia tens de ser melhor que eu!” …

    E por tudo isto, não acho mal que existam Quadros de Mérito. Reconhecer o mérito de aluno não é necessariamente desvalorizar outro, nem pensar numa coisa dessas, isso não seria em terra nenhuma aquilo que se pretende nas escolas, que é EDUCAR.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. :) Gostei desta forma de ver as coisas.

      Eliminar
    2. Exatamente pequenosmiminhos :)

      Eliminar
    3. Concordo em absoluto com o que escreveu, até porque, os quadros de honra não são mais do que uma preparação para o futuro. Na vida, se errarmos seremos penalizados, mas se nos esforçarmos concretizaremos os nossos objectivos.

      Eliminar
    4. Parabéns! Este devia ser o texto principal, sem duvida!!

      Eliminar
    5. Pode-se valorizar o esforço e a conquista de cada aluno sem a utilização dos quadros de honra. Compreendo, e em parte até concordo, com as suas palavras, mas continuo a acreditar que quem se esforça e trabalha não precisa de quadros de honra para valorizar os seus resultados.O quadro de honra nada tem a ver com o querermos o melhor para os nossos filhos, não indicam nada a não ser vaidade, vaidade dos alunos e dos seus pais. O querer o melhor para os nossos filhos ajudando-os de forma a obterem bons resultados e alcançarem objectivos nada tem a ver com essa distinção anti-pedagógica que as escolas fazem.

      Eliminar
    6. Já disse tudo o que eu penso

      Eliminar
    7. Obrigada, identifico-me com as suas palavras! Afinal de contas, o bom senso nunca sai de moda!

      Eliminar
    8. Faço minhas as suas palavras.

      Eliminar
  12. Tenho uma filha com 9 anos que entrou este ano para o quadro de honra, pelo mérito dela e pelo gosto que tem na escola. Quanto aos restantes adjetivos cabe aos pais educa-los para q respeitem sempre o seu semelhante quer sejam de outra cor, género, peso a mais ou a menos, quer tenham más notas. Cabe aos pais faze los descer à terra, mas isso é válido para tudo. Nunca dei uma única prenda pelas boas notas, mas disse lhe que estava contente por ela. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu também penso assim e faço assim.

      Eliminar
    2. EUREEEEKKKKKKAAAAAA ... e eu que pensava ser um bicho raro ... vejo que já tenho parceira!!!! Definitivamente a doutrina da mediocridade está de pedra e cal em Portugal ... tudo que seja mérito é para abater ... a ausência de empenho, esforço e trabalho estão na ordem do dia e candidatas ao NOBEL ... e depois admiram-se da miséria de país que "construimos" ...de onde em excluo, obviamente,com muito orgulho!!!!!

      Eliminar
  13. A Rita não tem a culpa toda deste meu desabafo, mas permita-me: é por estas e por outras que o nosso país está como está. A competitividade existe, vai existir sempre e deve ser fomentada. Ou a Rita no seu trabalho não o nota? Não gosta de ser reconhecida pelo seu mérito? Não gosta de se destacar por o seu trabalho ser melhor (independentemente de se dever a uma maior dotação ou a mais dedicação)?

    Porque raio havemos de tabelar sempre tudo por baixo, e de defender os coitadinhos? É que neste caso nem sei se se deve tanto a características inatas (como a inteligência ou a capacidade de aprendizagem), dado que, pelo menos até ao 2o ou 3o ciclos, algum trabalho basta para se estar no quadro de honra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há tempo para tudo, e este é o tempo de serem crianças. Mas respeito o seu pinto de vista. Só não o aplico.
      Não ter boas notas não é ser-se um coitadinho. Muitas vezes é um sinal bom. De algo ainda maior.
      Ou então, porque há alguma dificuldade.
      A sociedade é que se pauta por notas, quando há tanta coisa para se elogiar.
      Mts beijinhos

      Eliminar
    2. Concordo consigo Rita em absoluto. Todos nós ficamos felizes quando o nosso trabalho é reconhecido mas no meu caso, nunca por ser o melhor por si só! Não gosto desse tipo de competiçao e muito menos em miúdos. Não acho saudável e natural!!!

      Eliminar
  14. Continuando o meu comentário de cima:

    Esta maneira de pensar tão portuguesa arruina-nos por completo.

    Uns anos depois, chegam ao mercado de trabalho jovens que se sentem injustiçadíssimos por serem comparados e preteridos, quando essa é a lei normal da vida.

    Os bons devem ser reconhecidos e recompensados, o sistema (em todos os sentidos) deve tabelar-se por cima, pela bitola mais alta e não o contrário.

    Devemos querer que as nossas crianças sejam as melhores no que fazem e não medíocres. O que interessa não é só participar, não é tudo desporto, ganhar tem importância. A meu ver, é assim que se preparam pessoas guerreiras, prontas a enfrentar o mundo e as adversidades que, naturalmente, surgem pela vida fora.

    Pessoas prontas para o mundo, com garra e ganas de serem boas, melhores, as melhores, não se criam com "coitadinhices", nem exigindo os mínimos.

    E os bons vão (felizmente!) ser reconhecidos por isso pela vida fora. Isso não é bullying

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho 57 anos e tenho tido algumas surpresas ao longo da minha vida à custa do quadro de honra onde sempre estive na escola da minha infância. Sou professora e gosto de motivar as crianças a estudar para serem as melhores em tudo na vida, não só na escola mas tenho marcas profundas por ter sido olhada como a má e não a boa. Por ser olhada com inveja e não como a estudiosa, aquela que preferia ficar os intervalos a tentar compreender as equações enquanto os colegas iam divertir-se.
      Há poucos anos encontrei uma dessas colegas que tinha emigrado e me cumprimentou assim: olá, estás bem! ai, lembro me tanto de ti e de querer tanto ser como tu, passei a vida a pensar como seria bom se fosse eu a fazer os ditados e correções que tu fazias....e por aí adiante outras do mesmo género têm acontecido.
      Nunca ouvi estes comentários como elogios. Nunca os senti sinceros, antes senti que não foi mau estarem longe de mim porque eu era um incómodo. Se calhar afetou me tanto a mim como a alguns deles. Não sei bem nem nunca saberei. Mas a minha condicionada opinião é a de que não deve haver um desfazado destaque. Um meio termo basta, um reforço positivo ajuda e não corre o risco de prejudicar.

      Eliminar
  15. Sinceramente, e na minha humilda opinião, acho que a competição nas crianças não traz nada de bom.
    Podem, como diz acima a Sandra, ter o prêmio do conhecimento. Sem comparações e sem pressões. Acho que há idades para tudo e a idade da competição é mais à frente.
    Mas respeito a sua opinião dada com tanto respeito.
    Assim é bom trocar ideias! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O quadro de honra pode em absoluto nada ter a ver com notas mas sim com a forma como um aluno se relaciona com os pares, partilha e é solidário! Não sabe isso? É a ideia de base e motivar esse e outros alunos. O uso que dele se faz- e a interpretação de outros- essa sim, é errada! Há quem precise mesmo de um quadro de honra para se sentir integrado. Há de tudo! Estas interpretações simplistas tiram me do sério!

      Eliminar
  16. Honestamente? Discordo em grande parte com o que diz. Já fiquei no quadro de honra e também por muitos anos não fiquei. Não me fez diferença alguma. Não fiquei menos ou mais convencida, nem me senti nem pouco mais ou menos "humilhada". Na verdade o quadro de honra para mim foi, e continua ser, uma forma de prestigiar os alunos mais aplicados, e sinceramente não vejo mal nenhum nisso, mt pelo contrário. É tb uma boa oportunidade para se ensinar que mesmo estando no "top" pode-se ser humilde e ajudar os outros, ou que mesmo não estando "no top" pode-se tentar chegar lá sem se sentir inferior por isso. A competição, se incluir valores morais e for, portanto, saudável, só traz benefícios ao meu ver. Mas esta sou eu que sempre gostei de competir simplesmente pelo gosto do "jogo" e não para me fazer de melhor do que este ou aquele :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, é mesmo isso. Há quem goste de competir mas há quem odeie. E a escola é feita para todos.
      Vive-se melhor sem quadros de honra na escola, do que com eles.
      Porque os competidores vão sempre arranjar forma para competirem, e assim deixam livres os que não querem competir.
      Nem todos ficam convencidos, claro. Mas também nem todos ficam felizes.

      Eliminar
    2. Não se trata de nenhuma competição. Devia informar-se melhor. Não há um limite de lugares no quadro de honra. Para cada um conta apenas os seus próprios resultados.

      Eliminar
    3. Para lá estarem é porque supostamente serão "melhores" que alguém ou que algo, logo é uma competição. Estou bem informada. Nunca acharei bem este tipo de diferenciação.
      Um beijinho

      Eliminar
    4. "Melhores" ou esforçaram-se mais!!! E lutaram com afinco para merecerem ser recompensados pelo seu esforço. Pensamentos pequeninos geram miudos inseguros e com baixa auto-estima! Eu faço questão de gerar miudos esforçados, lutadores, empenhados e para isso os incentivo e lhes dou todo o apoio, levando-os a almejar sempre mais! A sua auto-estima jamais será abalada por um quadro de mérito falhado. O reconhecimento de tudo isto não pode ser humilhação para ninguém, que crueldade coloca nos alunos esforçados e em suas famílias que deles se orgulham.

      Eliminar
    5. O esforço não está directamente relacionado com as notas!

      Eliminar
  17. Rita, eu fui aluna de quadro de honra em colégio particular e concordo a 100% com o que diz! Não podia concordar mais! Um beijinho muito grande para si, acho-a sinceramente um grande ser humano e mesmo sem a conhecer pessoalmente sinto uma grande empatia nas suas palavras! Identifico-me tanto com o que escreve! Beijinho grande para si e para os seus filhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria... Que querida. Muito obrigada mesmo! ❤️

      Eliminar
  18. Tenho 4 filhos, dois no quadro de honra e outros dois que nunca estiveram e provavelmente nunca estarão no quadro de honra. Cá em casa não há invejas e nem ciumeiras porque nós pais, temos o cuidado de valorizar o que cada um tem de melhor. É absolutamente chocante ver como, neste país, é sempre legitimo enaltecer e incentivar os mais fracos, mas é condenável premiar os melhores. Estamos sempre a nivelar por baixo e que consequências isso tem na nossa sociedade? Este tipo de comentários "cheira-me" sempre a dor de cotovelo. As crianças têm que ser educadas a olhar mais para si mesmas e a incomodarem-se menos com o sucesso dos outros. Os meus filhos "do quadro de honra" não são convencidos nem vaidosos, são miúdos preocupados em serem amigos todos, inclusivamente dos mais fracos e daqueles que não gostam de trabalhar. Fazem os trabalhos de grupo por eles, oferecem-lhes os resultados dos trabalhos de casa e até os deixam copiar nos testes. Quanto a mim o problema maior da nossa sociedade é os pais não saberem educar os filhos, eles próprios não conseguem lidar com os sucessos alheios e transmitem valores deturpados às crianças.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E se os seus filhos não conseguissem mesmo, por dificuldade, e sofressem com isso? E se chegassem a casa a chorar? E se deixassem de gostar da escola.
      No meu caso não é dor de cotovelo, por enquanto pelo menos. Ainda não me deparei com quadros de honra. E quando me deparar vou rezar para que não estejam. Para que não haja mesmo quadros de honra.
      É sempre fácil falar quando tudo corre bem, mas nem sempre corre e, por isso, não deveria haver algo nas escolas que não seja motivante para todos. Ou pelo menos que não magoe, nem que seja uma minoria.
      Aqui a falha não é dos pais. A falta de educação/sensibilidade/pedagogia é das escolas que o praticam.

      Eliminar
    2. Cá em casa corre bem com dois e menos bem com outros dois, tenho os dois lados da questão. Temos que saber ralativizar a importância do quadro de honra, mostrar-lhes que há coisas mais importantes na vida. Há crianças que sofrem por não estarem no quadro de honra, outras que choram por não terem possibilidade de viajar ou ir à neve, ou até mesmo à praia. Cada vida é uma vida e devemos ensiná-los a olhar para o que têm de bom.

      Eliminar
    3. 100 % de acordo com o anónimo. Um disparate de post da Rita. Que se criem outras categorias para os Quadros de Honra para além do desempenho académico ainda lá vai mas acabar com o Quadro de Honra é um disparate pegado de uma sociedade cada vez mais no medianismo.

      Eliminar
    4. Peço desculpa Rita, mas a culpa não morre só...a escola pode ter alguma culpa, mas os pais também têm. E quem lida com pais e seus filhos todos os dias imediatamente percebe isso. Visite uma escola e fique lá o dia inteiro e vai ver que ao contrário do que pensa as crianças brincam e sorriem. E com os pais? Será que a maioria está para gastar o seu pouco tempo com as conversas, brincadeiras e sorrisos....Ou será que é melhor eles irem para a tv e pc para não chatearem muito????? Será justa uma sociedade que ajuda a seguir viagem na aprendizagem alunos com dificuldades e não pode dar mérito aos que o merecem...por isto muitos alunos nem sequer tentam e se esforçam, para quê? No final vai passar como os outros... Esta história é muito mais complicada do que parece...o que falha é a ausência de valores...e isto dava pano para mangas. Boa noite!

      Eliminar
    5. Peço desculpa Rita, mas a culpa não morre só...a escola pode ter alguma culpa, mas os pais também têm. E quem lida com pais e seus filhos todos os dias imediatamente percebe isso. Visite uma escola e fique lá o dia inteiro e vai ver que ao contrário do que pensa as crianças brincam e sorriem. E com os pais? Será que a maioria está para gastar o seu pouco tempo com as conversas, brincadeiras e sorrisos....Ou será que é melhor eles irem para a tv e pc para não chatearem muito????? Será justa uma sociedade que ajuda a seguir viagem na aprendizagem alunos com dificuldades e não pode dar mérito aos que o merecem...por isto muitos alunos nem sequer tentam e se esforçam, para quê? No final vai passar como os outros... Esta história é muito mais complicada do que parece...o que falha é a ausência de valores...e isto dava pano para mangas. Boa noite!

      Eliminar
  19. A minha filha acabou agora o 3º ano no Jardim Escola Joao de Deus onde, felizmente, não existe Quadro de Honra. Ela é boa aluna. Não é excelente. Estou sempre a dizer-lhe que ela não tem que ser melhor do que os outros, tem que dar o seu melhor! Acho que isso é o mais importante.

    ResponderEliminar
  20. Como mãe de uma criança que sempre teve, e ainda tem, necessidades educativas especiais, não posso estar mais de acordo com o seu desabafo, parabéns pela partilha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque é que ter boas notas deve ser recompensado? Será que os resultados acadêmicos reflectem o esforço para alcançá-los?
      Será possível que um aluno não se esforce nada e tenha bons resultados e outro se esforce bastante e não consiga deixar de ser mediano?
      Em que medida afixar numa parede uma lista de mentes brilhantes é recompensa de esforço? Não será apenas vaidade?
      Porque é que alguém quer ficar num quadro de honra? Para ser reconhecido, elogiado, bajulado?!
      Para que é que serve a escola? Ensinar. Os testes servem para aferir conhecimentos. Perceber quais as dificuldades para poder melhorar.
      A escola não devia ser um concurso em que há 1º, 2º e 3º classificado.
      Não tenho filhos em idade escolar. Mas conheço quem tenha e confesso que me causa alguma repulsa ver tanta vaidade à volta de resultados escolares e tanta obsessão com provas de exame. É que não interessa nada o que os miúdos sabem. Interessa a nota que vão ter para poder falar disso de nariz empinado.

      Eliminar
    2. Educar/Ensinar vrs Avaliar. Lamentavelmente muito confundido hoje em dia.

      Eliminar
    3. será que na escola educar/ensinar não leva a um fim? Esse fim desde que me conheço não é avaliar? Para passar de um ano para o outro não tem que haver uma avaliação? Já agora os alunos não vão passar de ano porque os amigos que não cumprem os objetivos, coitadinhos vão sentir-se excluídos? Ou então fazem s escolaridade todos juntos durante o tempo que os que têm mais dificuldade precisam? Que acham ass toda a gente fica contente.

      Eliminar
  21. O meu filho, que vai para o quinto ano agora, esteve no quadro de honra todos os anos, mas não é por isso que acho aquela treta uma boa ideia. Se me perguntarem se estou orgulhosa pelas boas notas e pelo reconhecimento das mesmas não posso mentir, claro que estou, no entanto até mesmo o sistema de avaliação não me parece que seja justo e reflicta o que os miúdos sabem realmente. Vejo uma escola muito pobrezinha em Portugal, cujo principal objectivo é formatar mentes. :-(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vindo esta opinião de uma mãe com um filho no quadro de honra acho muito bonito este gesto de solidariedade.
      Obrigada e um grande beijinho

      Eliminar
    2. A minha filhar frequentou o 1' ano em 14/15. O o início foi terrível, havia uma exigência enorme e uma imensidão de regras às quais, mesmo frequentando o pré escolar a minha filha não estava preparada. Foram dias sem comer e noited sem dormir. Nunca exigi nada dela, deixei que fosse ela a escolher o caminho, a inova coisa que fiz foi acompanhar o ritmo dela, pensando que ela nunca iria gostar da escola. Apenas tive conhecimento do quadro de honra quando ela trouxe o convite para casa. Acreditem, chegou no dia de anos do pai e foi o melhor presente que ele podia ter. Mas mais ainda ELA mereceu. Foi a compensação daquilo que conseguiu por ela. E por isso tenho orgulho. E por isso estava lá com ela, orgulhosa de tal feito, orgulhosa de quem com apenas seis anos ultrapassou a sua grande 1a barreira sozinha.

      Eliminar
  22. Quero deixar bem clara a minha opinião:
    Os quadros de honra não se conquistam só na escola; existe também um trabalho que tem de vir de casa. Se eu não acompanhar o meu filho em casa, se eu não o obrigar a fazer os trabalhos de casa ou se eu não me der ao trabalho de verificar, corrigir e ajudar no que ele precisar, acho que o meu filho não conseguiria ir para o quadro de Honra. Eu não facilito nem um bocadinho. O ditado é bem antigo: A educação dá-se é em casa.
    Alguns pais, felizmente não são todos, depositam os filhos na escola e nada mais querem saber. Nunca se preocupam em saber o que aprenderam naquele dia, verificar TPC e muitas outras coisas que temos de estar sempre atentos......

    ResponderEliminar
  23. A minha opinião é de que servem de incentivo, principalmente para os que mais se esforçam, o culminar dos esforços. Claro que seria injusto dar aos esforçados e não dar aos excelentes apenas porque têm mais facilidade em aprender.
    Ña minha opinião deveriam ser premiados os que se esforçam e os que cujas familias, têm difculdades financeiras. É uma forma de lhes dizer que apesar das dificuldades financeiras, não vale desanimar e que se nos esforçar-nos tudo é possível.

    ResponderEliminar
  24. Os pais com filhos nos quadros de honra deviam todos experimentar a tristeza e frustração dos que se esforçam e não conseguem. Realmente há gente sem o mínimo de humildade.
    Dizer o meu filho está e não é arrogante, só que a arrogância pode não estar na pessoa, mas no gesto e nas acoes, neste caso da escola.
    Só passando pelas coisas se sente por isso bem hajam as mães com filhos no quadro de honra e que acham que não há necessidade. As outras, estudassem... E que nunca os seus filhos deixem de conseguir estar no quadro da vaidade.
    Bom Post. Boa postura.
    Um beijinho
    Ana Rita

    ResponderEliminar
  25. Eu sou aluna, e vou agora passar para o 10º ano. Admito que sim, já estive no Quadro de Honra várias vezes, como também não estive! Sinceramente, não acho que isso me torne arrogante ou convencida, e, no que toca aos meus colegas, estes nunca praticaram bullying comigo ou vice-versa. Até aproveitam para me pedirem ajuda quando têm alguma duvidas, e muitas vezes eu é que lhes peço opiniões e ajuda numa certa matéria ou disciplina. E eu sinto-me bem quando estou no Quadro de Honra, porque sei que fiz os meus pais orgulhosos de mim, e também porque demonstra que sim, sou uma boa aluna. Aliás, até os meus colegas e amigas mais chegadas se sentem orgulhosas de mim.
    Sempre que venho para casa os meus pais ensinam-me a não ser arrogante ou convencida e a ajudar os outros e a não ter medo de pedir ajuda. Além disso, dizem-me constantemente que não faz mal se eu não tirar notas excelentes ou não entrar no Quadro de Honra. Acho que o facto de eles fazerem isso é um factor importante no que toca ao meu comportamento na escola. Se os alunos vierem de pais que incentivam a competitividade, ou que invejam o que os outros têm, é normal que depois reajam de uma forma negativa ao que os outros alcançam!
    Acho que o facto de ter estado no Quadro de Honra nunca me mudou e acho que não incomoda os outros, para o facto de que para mim, é um objetivo que posso cortar da minha lista, já para não falar que me faz sentir muito bem comigo mesma, aumenta-me a confiança. Por exemplo, o meu irmão mais velho que agora está a tirar um curso, nunca teve assim as melhores notas, mas isso nunca o afectou. No entanto tivemos ambos a mesma educação, o que demonstra que cada aluno depois reage ou sente-se como quer, tudo depende da maneira como o ensinaram!
    Isto é só uma opinião, e acho que é bom ter aqui o ponto de vista de um aluno.

    ResponderEliminar
  26. Eu não acho mal premiar quem se esforça por atingir um objetivo. Não acho mal premiar quem atinge resultados. Sou professora (e mãe) e na escola onde trabalho há o quadro de honra (para premiar resultados escolares) e quadro de valores (para premiar atitudes).
    Ñunca me apercebi que aqueles que não entram para os quadros se sintam humilhados ou descriminados, nem nunca me apercebi que aqueles que entram se sintam superiores e se tornem arrogantes.
    Mas enfim, é apenas a minha opinião.

    ResponderEliminar
  27. Sou professora e Mãe de 4 filhos- a mais velha na clássica em direito , os dois do meio em engenharia no Técnico e a mais nova soube hoje as notas dos exames do 11º ano. Como Mãe fico orgulhos e emocionada quando vejo o esforço dos meus filhos- esforço académico, esforço na ajuda aos outros, esforço nos projectos de solidariedade da escola, na educação e delicadeza com professores e demais funcionários ( como poderão entender nestas idades a delicadeza não abunda entre "pares".....) na pontualidade.... ser recompensado no final do ano. Existe Quadro de Honra na escola pública onde todos eles andaram e a mais nova ainda anda e tem todos estes aspectos em consideração. Ser apenas bom aluno não chega. Ser esforçado em muitos aspetos, e no final do ano ser recompensado por isso, no meu entender é muito bom. Chamar a atenção que a mediocridade não leva a nenhum lado. Sei que há o critério de não se ter nenhuma classificação abaixo de 15 e depois há todos os outros. um dos meus filhos há 2 anos não foi "premiado" embora a média final do 11º tenha sido de 17,4-- teve faltas de atraso ( 4 ao longo de todo o ano) e eu achei lindamente. Não sou professora na escola onde eles estudaram, que é uma escola com 12 turmas de cada ano, e nem sempre eles estiveram entre os melhores. Mas eu fico orgulhosa quando eles recebem a medalha de mérito, ai isso fico.

    ResponderEliminar
  28. Eu gostava de saber quantas destas mães que se indignam tanto com os diplomas de excelência (é assim que se chama em muitas escolas e não são nomes afixados numa lista na parede) têm ou pensam vir a ter filhos em escolas públicas. Quantas palmilham os rankings e os resultados escolares dos colégios que mantêm debaixo de olho. Quantas seriam capazes de pôr os filhos em escolas marcadas pela pobreza e pela exclusão social, para os seus filhos desenvolverem as capacidades de tolerância, entreajuda e humildade que tanto admiram. Só um exerciozinho - que escolas querem para os filhos? E a bloguista, na vida real?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha filha vai para uma escola pública este ano. O meu filho não teve vaga e por isso vou ter de esperar no mínimo mais um ano.
      É assim a bloguista na vida real.

      Eliminar
    2. Eu tb na vida real, apesar de não nadar em dinheiro, se quisesse tinha as filhas no privado sem dever nada a ninguem,. simplesmente não quero pq tenho pavor a emergentes q são toda a este gente cheia de orgulho nos quadros de honra que invadiram como moscas as escolas privadas e q n fazem a minima ideia q o q pretendem q o berçoo, n é conseguido nas escolas pagas muitas vezes às prestações lol

      Eliminar
  29. Obrigada por ter respondido.

    ResponderEliminar
  30. Ola, bem eu não concordo consigo
    Sou aluna, neste momento vou para o 11º ano de design gráfico.
    Acho que é bom existir quadros de mérito e honra, na minha antiga escola sempre fui uma aluna com notas regulares nunca fui muito boa nem muito má, andava sempre nos 3,4 e alguns 5 e nunca estive no quadro de mérito, por vezes sentia inveja por outros alunos estarem e eu não mas por muito que me esforça se nunca conseguia lá chegar, a minha mãe também nãoo se preocupava com as minhas notas ou estudo, nunca perguntava se fiz o TPC ou se já estudei , mês mesmo assim eu tentava me esforçar para alcançar o quadro de mérito, sempre que mostrava as notas à minha mãe e ela apenas dizia "podias ter tirado melhor" ou "o teu amigo tira boas notas quem me dera que tirasses notas tão boas" eu penso que isso não é algo que se deva dizer a um filho, eu adorava que ela dissesse "já fizeste os TPC? não podes ver tv sem os fazeres primeiro" ou " deixa me ver se estás a estudar direito, vou te fazer perguntas" ou quando recebesse um teste " muito bem! sei que vais te esforçar para ainda tirares melhor, continua assim" eu amava ter ouvido essas palavras, mas nunca ouvi tantas vezes que pedia e ainda peço a minha mae "Mãe podes me fazer perguntas para ver se já sei tudo?" e ela é "não vês que tou a ver a novela agora não posso" nenhum filho gosta de ouvir isso, os meus amigos queixavam-se " fogo a minha mãe obrigou me a estudar com ela duas horas" eu era "quem me dera que a minha mãe estudasse comigo"...
    acho que mesmo com esses pensamentos me esforcei pk eu tinha OTL (ocupação de tempos livres) que me ajudavam nos trabalhos de casa, a estudar e também me davam os parabéns pelas notas... quando sai de lá foi como se metade de mim também sai-se junto, pensava que não ia conseguir viver sem eles e que ia descer as notas, mas ouve o quadro de mérito e que me ergueu as forças e eu continuei a tentar alcançar o meu objetivo... mas não deu resultado ^^"
    acho que quando for mãe, vou querer dar todo o meu apoio à minha filha, uma coisa que a minha mãe não fez e pouco faz agora...vou apoiar em tudo, ajuda la nos estudos e etc. e vou querer que ela tenha um objetivozinho de tentar entrar no quadro de honra pk motiva uma criança a fazer mais e melhor.
    desculpe o texto enorme :)

    ResponderEliminar
  31. Rita...é bom quando alguém consegue escrever aquilo que sentimos relativamente a um assunto..Concordo a 100% com o seu texto:) Tenho dois filhos de 14 e 10 anos, e a minha opinião e o meu desejo é que eles sejam pessoas/Homens com caracter e Honra, o resto vem por arrasto...as notas são um pormenor redutor daquilo que eles são e do que são capazes..O meu filho mais velho é muito aplicado e tem Muito Boas notas, já a minha filha que é muito esperta, não se interessa nem se aplica e tem notas mais baixas...vejo-os no futuro a desempenharem profissões diferentes, ele mais altruísta, a ajudar pessoas, já ela mais criativa, a liderar causas...tenho a sorte de ela não se subestimar com as notas, mas tenho medo de que isto se altere e porquê??? pelo culto actual dos Quadros de Honra e afins!! Obrg

    ResponderEliminar
  32. E se lhes chamarmos "quadro de excelência", já pode ser?
    Ou "quadro de competência escolar", vá.

    ResponderEliminar
  33. Subscrevo! Não havendo equidade num mesmo contexto, os Quadros de Honra enformam o paradigma mais exponencial da discriminação!

    ResponderEliminar
  34. Tenho 3 filhos a mais velha inteligente , a do meio estaahora a comecar mas nao lhe fica atraz o mais oequenino ainda nao comecou mas pelo ke vejo e sinto tambem ... Nao favo questao nenhuma do quadro de horan e se okha que se eu me esforca se eles estavam la ... Pirtanto o esforco e dos alunos?! Ou dos pais desses alunos ?! Impirtante para mim e passar o que me foi enssinAdo e isso sim faz falta sempre e cada vez mais ... O respeitos por si e pelos outros , a amizade , o amor, a entreajuda ... Isso sim merece diploma ☺️☺️

    ResponderEliminar
  35. Absolutamente, completamente de acordo!!!

    ResponderEliminar
  36. O meu filho foi indicado para os "prémios de mérito" da sua Escola, pela primeira vez há 4 anos e até final do secundário todos os anos. da primeira vez que a carta chegou lá a casa comuniquei-lhe data e hora. Respondeu-me "não vou", e acrescentou "os prémios só servem para humilhar os meus colegas e amigos que não tiveram boa notas". Não foi receber o prémio, nem nesse ano nem nunca. Confesso o meu orgulho.

    ResponderEliminar
  37. Sim, Rita, um quadro de honra só valerá se for "vestido" com tanta outra honra, tão importante e às vezes tão esquecida. E se nos esquecermos dessa "outra honra" nas nossas escolas, estaremos a esvaziá-la de conteúdo.

    Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  38. Completamente de acordo :)
    Aliás desde quando é que as notas contam assim tanto? E se já há pautas expostas para todos verem, porque ainda haver quadros de honra?
    Ainda bem que quando andei na escola não havia nada disso. Aliás nas escolas que andei acho que estar no quadro de honra seria mais alvo de chacota do que de outra coisa.

    ResponderEliminar
  39. Um não assunto ...quem é bom,,quem trabalha deve ser lhe reconhecido o mérito, porque não ver isto numa perspectiva de motivação para quem não está no quadro , para trabalhar mais , para estudar mais ...será que a Rita alguma vez foi aos globos de Ouro ? ou a outra gala em são premiados artistas , apresentadores ...também esses prémios não deveriam ser entregues? porque estariam a menosprezar todos os outros artistas ?O Ronaldo não deve receber o prémio de melhor jogador do mundo porque trabalhou e muito para isso ,porque o Taarabat que quer é andar nas noitadas , pode se sentir menosprezado ? acho que temos que ser menos paternalistas e mais pragmáticos...uma criança segue muitas vezes os exemplos das outras , porque não acreditarmos que o desejo de ser como as crianças dos quadros de honra as pode um dia levar lá....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isto!

      Eliminar
    2. Nos adultos, com a sua personalidade formada - alguns -, quando é o caminho que escolheram, sim! Nas crianças, com o mundo pela frente, muitas escolhas, e ainda a descobrirem o mundo, não.
      As notas já fazem essa valorização. Não é preciso mais.

      Eliminar
  40. Não concordo nada! Parece-me que estamos a pensar "muito pequenino", um pensamento tipicamente português.
    Em tempos, conheci e fui professora de uma menina que integrou o quadro de excelência desde o. 1* ao 12* ano. Simultaneamente, integrava o de mérito, por atitudes meritórias, como o respeito pelo próximo e a interajuda para com os seus pares. Agora pasmem-se: Não era filha de gente rica, pelo contrário. Os pais são ambos operários fabris e são uma família numerosa.
    Além disto, nunca foi a "Nerd" ou a "croma" da escola.
    Hoje é uma jovem que frequenta o curso universitário que escolheu como primeira opção e tenho a certeza de que terá um futuro profissional e PESSOAL muito feliz porque continua a cultivar os valores da família e da amizade, entre outros.
    Não generalizem, por favor.
    Este é apenas um exemplo de que os quadros de honra não são contraproducentes , mas conheço outros.

    ResponderEliminar
  41. Não concordo nada! Parece-me que estamos a pensar "muito pequenino", um pensamento tipicamente português.
    Em tempos, conheci e fui professora de uma menina que integrou o quadro de excelência desde o. 1* ao 12* ano. Simultaneamente, integrava o de mérito, por atitudes meritórias, como o respeito pelo próximo e a interajuda para com os seus pares. Agora pasmem-se: Não era filha de gente rica, pelo contrário. Os pais são ambos operários fabris e são uma família numerosa.
    Além disto, nunca foi a "Nerd" ou a "croma" da escola.
    Hoje é uma jovem que frequenta o curso universitário que escolheu como primeira opção e tenho a certeza de que terá um futuro profissional e PESSOAL muito feliz porque continua a cultivar os valores da família e da amizade, entre outros.
    Não generalizem, por favor.
    Este é apenas um exemplo de que os quadros de honra não são contraproducentes , mas conheço outros.

    ResponderEliminar
  42. Tanta frustração neste tipo de comentário. Porque não há-de haver quadro de honra ?.Era bom sim e até digo mais que todos os alunos deveriam ser quadro de honra .Ninguém que saiba obriga os filhos a ser quadro de honra incentivam-se para estudem e sejam bons alunos agora se se destacam só teremos que ter orgulho neles e mais eles serão um bom exemplo sempre para estimular outros alunos, quem faz um comentário destes tenta fazer um nivelamento por baixo do que é bom em função do mau ou medíocre, mas assim vai o País que fazer?. Estando o País como está não faltam cabecinhas como a desta sra. para o trazer para cima .

    ResponderEliminar
  43. MEU DEUS, CHEGUEI A PENSAR QUE SÓ EU PENSAVA ASSIM.E ENTÃO QUESTIONAVA-ME SE SERIA EU QUE NÃO SOU NORMAL , SE SERIA EU QUE ESTOU ERRADA.
    HOJE ESTOU MAIS FELIZ PORQUE HÁ MAIS PESSOAS A PENSAREM COMO EU.
    AFIRMO MUITAS VEZES : " PREFIRO UMA CRIANÇA /UM JOVEM FELIZ E UM SER HUMANO RICO ; DO QUE UM EXCELENTE ALUNO , FRIO, CALCULISTA, PREPOTENTE, ARROGANTE" !
    CONHEÇO DOIS CASOS QUE SE ENQUADRAM NESTE QUADRO DE VAZIO DE CARINHO, DE AFECTO VERDADEIRO.
    MAS ESTA É SÓ A MINHA OPINIÃO, E VALE O QUE VALE. Carla

    ResponderEliminar
  44. Desculpem mas não consigo encontrar aqui uma unica linha que se aproveite neste texto, parte sempre de presupostos de "....podem... e podem....." e as opiniões são sempre subjectivas.

    ResponderEliminar
  45. E ter que lidar todos os dias com a frustaçao dos alunos dislexicos que sao tao inteligentes como os meninos dos quadros de honra e para os quais as escolas nao estao preparadas e,muitas vezes nao demonstram aminima sensibilidade?

    ResponderEliminar
  46. E, como lidar com a frustaçao duma criança com dislexia tao inteligente como os meninos do quadro de honra para quem a ESCOLA nao tem resposta e,demonstra a maior parte das vezes uma enorme insensibilidade ?

    ResponderEliminar
  47. Depois de ler todos estes comentários, devo dizer que não concordo com parte do que foi escrito. O quadro de mérito da escola do meu filho é avaliado pela média das notas. Ou seja, quem tiver uma média de 4,5 ou superior pertence a este quadro ,no 2° e 3° ciclo , e penso que excelentes na primária. Só se deve dar apoio aos alunos que precisam, ou também se deve premiar o esforço dos alunos que conseguem chegar a essa média ? Eu acho que sim. Não é importante para o futuro do meu filho , mas é motivador para fazer mais e melhor. Não vive obcecado por isso e fica feliz pelos colegas que lá chegam. É óbvio que nem sempre os melhores alunos , chegam aos melhores cargos e chegam a ser melhores pessoas , mas não devemos generalizar. Vejamos a carreira de médico: para entrar em medicina a média anda nos 19 valores ,logo não está acessível a todos. Mas, no país não precisamos só de médicos. Não é menos importante o padeiro ou o empregado do supermercado e para isso não são precisos 19valores. Vocês falam em quadro de Honra ...Honra não se mede pelas notas e aí estou de acordo. Na escola do meu filho existe , além do de Mérito, o quadro de Valor, que premeia os alunos que elevaram o nome da escola ( por exemplo a nível do desporto escolar) ou que por uma atitude tenha mostrado que tem bons princípios .
    Acho que se deve premiar o esforço , tendo sempre em atenção que não é isso que os classifica como bons meninos ou meninas.

    ResponderEliminar
  48. Não concordo nada mesmo. A minha filha foi agora para o 5° ano e durante os quatros anos de escola primária srmpre esteveino quadro de mérito! Foi sempre a delegada de turma! Nunca foi alvo de bullying nem qualquer tipo de discriminação, muito pelo contrário. Na vida adulta tb só são premiados os bons. Só esses se safam (não contando com os compadrios).

    ResponderEliminar
  49. Na turma do meu filho (turma com 20 alunos) 6 deles foram premiados com o quadro de honra! Nesse grupo de 6 alunos encontra-se o meu filho Rodrigo, uma criança que poderia ser igual às outras mas que é especial porque tem hiperactividade! É com muito orgulho que discordo completamente do que diz a Rita Ferro Alvim neste texto e porquê?! Porque estas 6 crianças que foram premiadas levaram grande parte do ano, para não falar na totalidade a ensinar, ajudar e incentivar os colegas da mesma turma. Gastaram muito do tempo que tinham livre para o fazerem.Nenhuma destas crianças tem a mania que é melhor, não são prepotentes nem têm a mania que são bons! Nunca agrediram,nunca humilharam nem nunca excluiram nenhuma outra criança,muito pelo contrário. São crianças que chegavam a casa mais felizes pelas notas dos colegas que ajudavam que propriamente pelas suas. Ainda me lembro do dia em que, já a terminar o 4º ano, o meu filho chegou a casa e disse: "Mãe, hoje foi o dia mais feliz da escola. A professora disse que não ia reprovar ninguém". Este ano, estes meninos a que a Rita Ferro Alvim apelida de " convencidos, prepotentes e armados em bons" vão nos tempos livres à sala da ex-professora do 1º ciclo ajudar os pequeninos nas suas tarefas!!São crianças que partilham lanche, que se ajudam no refeitório, que se atiram para poças de lama quando alguém lá cai por descuido e é gozado... A humildade, solidariedade, ajuda está presente em todos eles. Bullying?! Bullying é outra coisa, Sra D. Rita Ferro Alvim!Bullying são os colegios particulares, as roupas de marca os iphones e outras coisas mais! E eu, estou super orgulhosa do meu filho e das outras 5 crianças da mesma turma!Se todas as crianças fossem como eles, o mundo seria de facto muito melhor!!

    ResponderEliminar
  50. Na turma do meu filho (turma com 20 alunos) 6 deles foram premiados com o quadro de honra! Nesse grupo de 6 alunos encontra-se o meu filho Rodrigo, uma criança que poderia ser igual às outras mas que é especial porque tem hiperactividade! É com muito orgulho que discordo completamente do que diz a Rita Ferro Alvim neste texto e porquê?! Porque estas 6 crianças que foram premiadas levaram grande parte do ano, para não falar na totalidade a ensinar, ajudar e incentivar os colegas da mesma turma. Gastaram muito do tempo que tinham livre para o fazerem.Nenhuma destas crianças tem a mania que é melhor, não são prepotentes nem têm a mania que são bons! Nunca agrediram,nunca humilharam nem nunca excluiram nenhuma outra criança,muito pelo contrário. São crianças que chegavam a casa mais felizes pelas notas dos colegas que ajudavam que propriamente pelas suas. Ainda me lembro do dia em que, já a terminar o 4º ano, o meu filho chegou a casa e disse: "Mãe, hoje foi o dia mais feliz da escola. A professora disse que não ia reprovar ninguém". Este ano, estes meninos a que a Rita Ferro Alvim apelida de " convencidos, prepotentes e armados em bons" vão nos tempos livres à sala da ex-professora do 1º ciclo ajudar os pequeninos nas suas tarefas!!São crianças que partilham lanche, que se ajudam no refeitório, que se atiram para poças de lama quando alguém lá cai por descuido e é gozado... A humildade, solidariedade, ajuda está presente em todos eles. Bullying?! Bullying é outra coisa, Sra D. Rita Ferro Alvim!Bullying são os colegios particulares, as roupas de marca os iphones e outras coisas mais! E eu, estou super orgulhosa do meu filho e das outras 5 crianças da mesma turma!Se todas as crianças fossem como eles, o mundo seria de facto muito melhor!!

    ResponderEliminar
  51. Na turma do meu filho (turma com 20 alunos) 6 deles foram premiados com o quadro de honra! Nesse grupo de 6 alunos encontra-se o meu filho Rodrigo, uma criança que poderia ser igual às outras mas que é especial porque tem hiperactividade! É com muito orgulho que discordo completamente do que diz a Rita Ferro Alvim neste texto e porquê?! Porque estas 6 crianças que foram premiadas levaram grande parte do ano, para não falar na totalidade a ensinar, ajudar e incentivar os colegas da mesma turma. Gastaram muito do tempo que tinham livre para o fazerem.Nenhuma destas crianças tem a mania que é melhor, não são prepotentes nem têm a mania que são bons! Nunca agrediram,nunca humilharam nem nunca excluiram nenhuma outra criança,muito pelo contrário. São crianças que chegavam a casa mais felizes pelas notas dos colegas que ajudavam que propriamente pelas suas. Ainda me lembro do dia em que, já a terminar o 4º ano, o meu filho chegou a casa e disse: "Mãe, hoje foi o dia mais feliz da escola. A professora disse que não ia reprovar ninguém". Este ano, estes meninos a que a Rita Ferro Alvim apelida de " convencidos, prepotentes e armados em bons" vão nos tempos livres à sala da ex-professora do 1º ciclo ajudar os pequeninos nas suas tarefas!!São crianças que partilham lanche, que se ajudam no refeitório, que se atiram para poças de lama quando alguém lá cai por descuido e é gozado... A humildade, solidariedade, ajuda está presente em todos eles. Bullying?! Bullying é outra coisa, Sra D. Rita Ferro Alvim!Bullying são os colegios particulares, as roupas de marca os iphones e outras coisas mais! E eu, estou super orgulhosa do meu filho e das outras 5 crianças da mesma turma!Se todas as crianças fossem como eles, o mundo seria de facto muito melhor!!

    ResponderEliminar
  52. As tretas que se escrevem...como se as pessoas que estão no quadro de honra fossem uns pestinhas!!! Bullying ??? Como se as pessoas que estão fora do quadro de honra fossem uns estúpidos!!!! Este texto, não agrega....exclui! Exatamente o contrário daquilo que apregoa; qual o problema de se respeitar e incentivar o mérito? Na vida como na escola nunca seremos iguais; a aceitação não é tolerância.

    ResponderEliminar
  53. Isto é tudo relativo,tenho duas filhas uma de 15 e outra de 11. A mais nova pouco estuda mas tem capacidade de memorização fora de serie e tem 5 a tudo por isso tem o diploma de honra da turma, não se importa muito com isso agora, mas na escola primária tive que a chamar à atenção porque dizia-lhe para estudar e ela respondia que não precisava porque era das melhores da turma e tive que lhe mostrar o quanto ela estava errada e como estava a ser mesquinha e a desprezar os amiguinhos que não tinham tanta facilidade. A mais velha é trabalhadora e tem notas boas entre 4 e 5 a preocupação até agora era não ter 3 porque era próximo da negativa, nunca foi para o quadro de honra mas nunca se sentiu inferiorizada por isso. No entanto já sentiu na "pele" durante 3 anos, a prepotência dos quadros de honra. A colega que os recebia, uma excelente aluna, sempre na casa dos 90%, sempre que a minha filha por acaso tinha alguma décima a mais tratava-a mal, chegou mesmo a dizer que não admitia ser humilhada perante a turma, a minha filha da vez de ficar contente com a nota sentia-se triste com a dita amiga e chegou a deixar perguntas por fazer para isso não acontecer. è culpa dos quadros de honra? Não, é culpa da educação que trazem de casa. Foi dificil gerir tudo isto. Nem todos temos a mesma facilidade de aprender, temos que elogiar quem se esforça e mostrar que o trabalho compensa ...

    ResponderEliminar
  54. Não faço questão que existam os tais quadros de mérito ou de honra pois, mesmo que não existam formalmente, eles existem, de facto, na hierarquia do grupo. O que não posso aceitar é a argumentação acerca das suas desvantagens. As ditas desvantagens que a autora refere são, em linhas gerais, os fundamentos da Educação. Sem conflito interior não há educação, a tal mola que, desde o berço, nos adapta, transforma e prepara para o mundo real. Diz a autora que "são uma desonra para os alunos que não têm a honra de lá estar". E diz ainda que " dividem, separam, humilham, angustiam, agridem.... criam grupos quando deviam agregar...."
    Pois eu digo: A Escola, "em idade tão nova", quando a plasticidade é maior ou, como diz o povo, quando ainda se pode torcer o pepino, deve, em primeiro lugar, preparar para a vida. E isso não acontece se criarmos uma redoma onde as crianças estão protegidas da realidade com que irão confrontar-se. E a vida é assim mesmo, os "quadros de honra" irão ser uma constante em todos os aspetos da vida real. Nos brinquedos que temos ou não temos, no acesso ao trabalho, na promoção e remuneração, no desporto, nas artes, na literatura, na casa que ocupamos, no carro que usamos, na roupa que vestimos, nas férias que temos ou não temos.
    O mérito deve ser sempre recompensado ou então estaremos a promover a mediocridade e a nivelar por baixo e, com o pretexto de termos crianças felizes ou por não sabermos gerir a questão, iremos perder oportunidades de criar adultos mais adaptados e felizes que saibam viver num mundo de diferenças.

    ResponderEliminar
  55. Olá, Tenho 14 anos e ando no 9º ano, sempre fui uma aluna do quadro e mérito e não me acho por isso melhor que os outros, nunca descriminei ninguém, muito pelo contrário ajudo-os para que eles também possam lá estar pois também tenho boas notas graças a eles e ao meio de estudo que eles me fornecem. Estudo, tenho amigos e divirto-me com eles. Acho importante os quadros de honra, pois são uma forma de incentivo aos que tiveram boas notas e aos que se esforçaram para as ter, pois num próximo ano a luta irá continuar para lá chegarem. E mesmo que não existi-se o quadro de honra continuaria a ter boas notas pelo gosto que tenho pela escola e pelo aprender. Isto é como tudo na vida, os melhores tem de ser recompensados pelo seu desempenho. Temos por exemplo o Cristiano Ronaldo que só chegou onde chegou pelo trabalho que teve e não é por ele ser melhor que os outros que deixam de existir equipas de futebol pois muito do seu trabalho também se deve aos seus colegas. E como ele existem muitos mais exemplos.

    ResponderEliminar
  56. Penso isto faz já muito tempo. Disse isto, algumas vezes, entre amigos ou com um ou outro colega, mas nunca tive a suficiente coragem para me fazer ouvir, assim, desta maneira. Obrigada Rita Ferro Alvim, por tê-lo dito por mim e por todos os que assim sentem.

    ResponderEliminar
  57. não concordo absolutamente nada, não vejo mal algum em premiar com um simples diploma o esforço de um ano escolar, tenho um sobrinho num quadro de honra e ele brinca muito, ri muito joga muito, faz tudo muito. há algum mal em reconhecer o mérito por além de tudo isto, também estudar muito? mal estava ele na anterior escola onde sempre sofreu e com o silêncio das professoras que o rodeavam, aí sim havia chacota da grande, aí sim ele podia caminhar para o insucesso. felizmente tem uma grande mãe que tratou do assunto da melhor forma que soube, mudou-o de escola e...estranhamente transformou-se num aluno brilhante e aceite por todos como igual. lamento, mas reconhecer o mérito nunca fez mal a ninguém e não entrar num quadro de honra também nunca matou ninguém eu continuo viva e de saúde e não me sinto humilhada por não ter entrado.

    ResponderEliminar
  58. O desconhecimento é enorme!!!! Eu não de que quadro estão a falar !!! Os únicos quadros que as escolas publicas portuguesas prevêem são os quadros de Mérito (académico, desportivo e social). Para quem achar que é apenas uma questão de designação...então não percebeu nada...
    devem ser os mesmos que andam sempre a queixar-se que a nossa sociedade não valoriza o mérito ...

    Se não tem sobre o que escrever ... escrevam receitas culinárias (embora não seja coisa para a qual eu não reconheça ser necessário algum mérito)

    ResponderEliminar
  59. Um texto realmente de quem nao tem mais nada para dizer. A minha filha esteve o ano todo no quadro de honra da escola que frequenta e nao deixou de ser a menina que e por causa disso continua a viver e a ser muito feliz, continua a brincar e a ter amigos e nao mudou em nada a maneira de ser. Estuda quando tem que estudar brinca quando tem de brincar igualzinho aos outros colegas que nao estao no quadro de honra... a humildade vem da educacao e dos valores dados pelos pais e educadores e nao pelo nome constar de um papel isso tem a importancia que cada lhe queira dar.

    ResponderEliminar
  60. A escola não pode olhar apenas com os alunos com dificuldades. Há-que reconhecer o trabalho dos alunos que têm bons resultados. Os quadros de honra, pelos menos os dos vários agrupamentos de escolas que conheço, não têm cotas. Assim sendo, todos os alunos com bons resultados têm lá lugar. Muitos agrupamentos valorizam também o sucesso ao nível desportivo, artístico, moral, etc.

    ResponderEliminar
  61. Eu não...

    À conta de não criarmos competitividade positiva nos jovens, e por darmos medalhas de participação a todos, ao invés de ensinarmos o que é conquistar (com respeito pelo próximo) é que estamos a criar gerações de meninos que quando chegam a adultos não sabem lidar com a rejeição ou, ainda pior, tornam-se pequenos ditadores porque não passam de fedelhos mimados.

    Há já diversos estudos nesse sentido. O programa 60 minutos teve uma emissão sobre isso mesmo há alguns anos.

    A competição, devidamente suportada em valores éticos, é aconselhável.

    Não recompensar quem se esforça, é errado.
    Recompensar quem não se esforça é errado.

    Mas podemos continuar a criar meninos mimados, sem capacidade para serem adultos.

    As mães e os pais devem, de uma vez por todas, de deixar de quererem ser os melhores amigos e passarem a ser mães/pais...

    ResponderEliminar
  62. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  63. A mesma moeda tem sempre duas faces.
    Na vida, a mesma coisa, também tem sempre duas faces.
    Não necessariamente uma boa outra má.... mas de certeza diferentes.
    Ao longo da vida a pessoa torna-se diferente a cada momento.
    Permita-me fazer a analogia com uma árvore, por exemplo, a cerejeira; NO outono a folha a cair, no Inverbo despida de folhas, na Primavera cheia de folhinhas verdes e flores, No Verão carregadinha de frutos suculentos e saborosos.
    A árvore é sempre a mesma... Por favor não generaliza a vida humana a uma só fase... A meninice é diferente da adolescência, esta é diferente da idade adulta e por fim esta é diferente da velhice.... Com a vida intectual dá-se a mesma coisa. Não fiquemos eternamente com pensamentos infantis, à medida que crescemos temos de evoluir... tudo isso é normaç e é bom que assim seja

    ResponderEliminar
  64. O meu Quadro de Honra é muito melhor do que o teu! NA NA NA NA NA NA!!!!! O MEU Quadro de Honra será sempre MUITO MELHOR do que o teu!!! NA NA NA NA NA NA!!!!! EU SEREI SEMPRE MUITO MELHOR DO QUE TODOS VÓS!!!! NA NA NA NA NA NA !!!!! Viva o MEU Quadro de Honra, VIVA, PIM!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  65. Ainda não tenho filhos em idade escolar, vou ter em breve! nunca achei grande piada aos quadros de honra... muito menos nos primeiros anos de escolaridade, quando nem sequer concordo com a maneira como são avaliados.... ! Os quadros de honra não só são insultuosos para quem nunca consegue fazer parte deles mas também quem faz parte!! conheço vários miudos que ficam numa ansiedade enorme pois querem continuar a fazer parte do quadro de honra... e isso não é saudável!! O quadro de honra avalia notas... e não o esforço... o que dizer de crianças por exemplo, com dislexia, que se têm de esforçar bem mais! A continuar a existir quadros de honra, porque não honrar também os melhores no desporto, no civismo, em artes, musica etc...

    ResponderEliminar
  66. Concordo consigo. Fui vítima de bullying por estar no Quadro de Honra, e não por estar fora do mesmo. No meu ensino secundário, procurei uma escola em que não houvesse quadros de honra, e fui bem mais feliz no 'anonimato'. Na faculdade, apresentei um trabalho em ética e deontologia do docente (sou professora) em que defendi a não existência dos quadros de honra. Contudo, muitos são aqueles que discordam comigo e consigo, e os quadros de honra, continuam a existir...

    ResponderEliminar
  67. Confesso-vos algo surpreendente... a minha filha pertenceu este ano ao chamado quadro de honra, mérito e valor. De forma surpreendente aqui em casa fomos os últimos a saber. Bem...não todos! A minha filha sabia-o mas ocultou-o até ao último momento. Confessou-me depois que não era vaidosa pelo que tinha conseguido. Sentia-se feliz mas não o queria revelar porque os seus colegas não pertenciam ao dito quadro! Sentia um misto de orgulho pela sua façanha mas, longe das suas intenções vangloriar-se. Fomos à cerimónia a que ela fez questão de comparecer, subiu ao palco, humildemente aceitou os parabéns, aceitou o diploma e o prémio simbólico. A agradeceu aos aos professores mas no seu pequeno discurso improvisado deixou-me em lágrimas! " Muito obrigado! Tenho muita sorte por ter uns pais que me ajudam...tenho muita sorte em não me faltar nada. Tenho o que preciso e gosto de aprender. Por isso tenho mais sorte que muitos colegas e amigos... Muito obrigado por acharem que mereço, mas eu acho que todos os meninos desta escola também merecem. O meu desejo é que todos conseguissem estar estar aqui comigo". Estas palavras ainda ressoam, tal e qual, na minha memória. Afinal a minha pequenota de 10 anos merece e tem verdadeiro mérito pelo que o tal "quadro" lhe é totalmente desnecessário... sei-o agora!

    ResponderEliminar
  68. Então acabemos com as competições e respectivos prémios ao mérito e ao reconhecimento para não ofendermos as crianças que não os conseguem alcançar. E viva a mediocridade, a sorna e o deixa andar porque um dia até o mais inútil e estúpido, poderá mandar e ser estrela num qualquer partido ou governo.

    ResponderEliminar
  69. Não concordo com a denominação que é dada a estes quadros. "Quadro de Honra" quando de facto não afere a honra de uma criança, afere sim o mérito que essa criança possa ter tido ao longo do ano (ou período lectivo) por se empenhar, estudar, ter um comportamento correto nas aulas e ser amigo dos seus colegas e por isso deveria haver uma mudança nesta denominação. Sendo utilizados por docentes capazes que tomem as suas decisões (a decisão de colocar determinadas crianças nos ditos quadros de honra) tendo por base metodologias pedagógicas justas e de incentivo poderiam até ser interessantes. A verdade é que nem sempre há justiça na colocação ou não das crianças no dito quadro de honra, os critérios que são usados para colocação dos alunos infelizmente não estão bem definidos e não são iguais para todas as crianças, os docentes usam por vezes o seu lugar de poder e decisão para colocar neste quadro as crianças que entendem sem qualquer tipo de critério...Por tudo isto penso que são perfeitamente dispensáveis, parece-me que, muitas das vezes não aumentam qualquer tipo de informação fidedigna acerca dos alunos que lá são colocados. Penso também que as crianças não se sentem melhor ou pior por figurarem ou não nesses quadros, principalmente quando são mais pequenos e menos competitivos. Nós adultos fazemos uma leitura muito diferente daquela que as crianças fazem acerca das coisas e por vezes problematizamos o que para eles não era problemático até nós falarmos nisso...

    ResponderEliminar
  70. Já assisti a conselhos de turma em que se subiam as notas doo menino A ou B para ir para QH....

    ResponderEliminar
  71. Já alguém notou que seguindo este raciocínio de acabar com o quadro de honra, teremos também que acabar com as notas de BOM e MUITO BOM. Estas classificações também "dividem, separam, humilham, angustiam, agridem". Teremos também que acabar com os testes para que os seus resultados não dividam, separem, humilhem, angustiem e agridam aqueles que têm piores resultados e tornam convencidos os que têm bons resultados. No limite acabaremos com a escola...

    ResponderEliminar
  72. Mas porque raio faz tanta confusão a alguns, normalmente aos mais fustrados ou incompetentes que existam outros mais aplicados ou melhores nas mesmas funções?

    ResponderEliminar
  73. SANTA PACIÊNCIA, HÁ COM CADA DOIDA, MEU DEUS....

    ResponderEliminar
  74. Que disparate de artigo. Querem ensinar as crianças que se eforçam que não vale a pena, que sejam medíocres como as outras. Vamos parar de dar prémios a quem vence? Os 3 primeiros lugares na Fórmula 1, também não devia de existir? Ganhem juízo

    ResponderEliminar