menu-topo

10 medidas para os ensinarmos a lidar contra o abuso sexual

sexta-feira, novembro 21, 2014
Talvez porque trabalhe nas notícias ou porque, simplesmente, sou mãe ando um bocado stressada com o mundo.
O que mais assusta é que tudo pode acontecer. Estejam connosco, longe, conheçam ou não a pessoa, sejam menino ou menina. Nunca se pode estar 100% seguro, porque não estamos 100% do nosso tempo com eles.
Mas claro, há coisas que estão ao nosso alcance.
A primeira que estou a estudar é: A conversa!
"A conversa" tem de ser adaptada à idade, não chocar mas que faça lembrar. Devemos falar com eles, com calma, de forma clara mas sem dizer demais. É por isto que estou a medir todas as sílabas "da conversa". Não quero criar desconforto perante o corpo deles e a sua sexualidade,mas quero deixar claro os limites e ensiná-los a agir. "A casa conversa" deve acontecer a vida toda, para as mais variadas situações.
Adorei encontrar este livro produzido pelo Conselho da Europa no âmbito da Campanha «UMA em CINCO» de combate à violência sexual contra crianças. [Isto porque cerca de uma em cada cinco crianças é vítima de violência sexual ou abuso sexual.]
Para os pais têm aqui tudo sobre como ensinar a regra do Aqui ninguém toca!,


E, por isso, quero partilhar 

As 10 medidas (que encontrei) que podem evitar uma tragédia.
Um beijinho enorme

  1. NUNCA os deixar em locais públicos sozinhos
  2. NUNCA os deixar ir sozinhos à casa de banho fora de casa, wc publicos, etc, tudo fora de questão sozinhos
  3. Ensine o seu filho a dizer NÃO se lhe tocarem no corpo e a contar logo aos pais.
  4. Respeitinho aos mais velhos, mas com excepções. Não lhes diga que os mais velhos e as figuras de autoridade é que mandam e que eles têm de fazer tudo o que dizem. Respeito é diferente de medo.
  5. Peça ajuda à escola para programas profissionais para a prevenção. Teatros, livros, conversas.. A brincar se fala sério.
  6.  Encha-se de força e não faça da sexualidade um tabu. Desde cedo dê confiança ao seu filho para ele falar de tudo em relação à sexualidade. Em todas as idades, a partir do pré escolar, há um diálogo certo. Normalmente é o da verdade. ;)
  7. Há uma clara diferença entre um carinho e uma carícia sexual. Tente explicar-lhe isto.
  8.  Oiça. É muito importante ouvi-lo. E reponder com calma e clareza.
  9. Não desacredite o seu filho. Peça ajuda se tem dúvidas, mas se for verdade e você não acreditar, terá consequências na vida dele. Procure profissionais que o ajudem a agir.
  10. Muito amor, muito carinho e sempre cada vez mais. Confiança e a noção que você é fonte segura para tudo na vida deles.



1 comentário: