menu-topo

Não é preciso dizer o que penso do ranking das escolas

sábado, novembro 29, 2014
pois não? ;)
#agoraacrescentavatantoshashtags

7 comentários:

  1. Cada vez que ouço falar disto penso: "Lá vamos nós ser todos considerados um número, uma estatística......". Eu queria ver se fosse possível fazer um ranking de alunos felizes, criativos, bondosos.....de certeza que este país ia ter grandes surpresas.
    E o melhor mesmo é nem pensar muito sobre este assunto!
    Beijinhos Rita ;)

    ResponderEliminar
  2. Pois eu concordo com eles. A escola pública tem de mudar. As turmas têm de ser mais pequenas, os professores devem sentir a pressão da avaliação, os alunos com mais dificuldades devem ser mais apoiados. São as conclusões que tiro dos rankings.
    Até ao 8º ano frequentei escolas em meios sócio-econômicos desfavorecidos ( onde me incluía).comprometeu e muito, o meu desempenho académico. A mudança, que acabou por determinar, e muito, o meu percurso deu-se no 9º ano. Fui para uma escola (pública) que "jogava" noutro campeonato. Que diferença. Os rankings podem ser perversos. Mas também podem ser muito úteis.

    ResponderEliminar
  3. (desculpem lá qualquer coisinha)
    SN,
    as escolas melhor classificadas no ranking obtêm mais créditos horários (podem ter mais professores, com mais horas livres para outras tarefas além de leccionar), as escolas pior classificadas perdem créditos horários... será isto racional?!? A quem servem os rakings?! E por aqui me fico!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas Lena, bem sei que os rankings trazem coisas perversas. Mas também coisas boas. Cabe aos cidadãos lutar com a informação que dispõem.

      Eliminar
    2. "melhor/pior qualificadas" não existe. Existe "mais bem/mal qualificadas". E não, não andei nas escolas top dos rankings mas sei falar e escrever a minha língua materna.

      Eliminar
  4. Os rankings das escolas são um indicador . Cada um dá lhe a importância que quer. Por acaso, a escola da minha filha ficou muito bem classificada e eu fiquei muito feliz com o reconhecimento . A posição no ranking não foi um indicador que eu tivesse sequer visto qd escolhi a escola , contudo , fiquei feliz porque o extraordinário trabalho foi reconhecido . Os meninos são muito felizes , o método de trabalho muito criativo e desafiante . A pouco mais de 2 km fica a escola pior classificada e aqui ,espero , que algo seja feito e que esta classificação seja um ponto de partida para um plano de desenvolvimento para aquelas escolas.

    ResponderEliminar
  5. Dir-se-á sempre: mais bem classificada/mais mal classificada.
    Ou então: a pior do ranking / a melhor do ranking
    Também eu estudei numa escola (pública) que hoje está num lugar muito em baixo no ranking, mais mal classificada, portanto. E daí segui direta para a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (pública).

    O ranking vale o que vale.... FELIZMENTE!

    ResponderEliminar