menu-topo

Trabalhar a família, de dentro para fora.

quinta-feira, abril 30, 2015
Tenho aprendido muito sobre isto e tentado aplicar, uns dias melhor que outros, claro.
Enquanto o meu marido me pergunta quando abro o consultório [lol], eu vou lendo e tentando trazer novos conceitos lá para casa.
Mas este foi uma das melhores coisinhas que aprendi até hoje e que vou incluir no meu próximo projeto [segredo!!!!] .
A vida não é fácil, o mundo não é fácil. Andamos a correr entre o trabalho, a escola, as medidas do Estado, os trabalhos de casa, as faltas, as notas, as expetativas, o stress, o dinheiro, as falhas, a vida a correr, o estarmos magras, giras,...
Esta correria loucura dos tempos modernos anda a afetar as nossas crianças. É normal. Já não vivem como antes que se fossem à escola - quando iam - era com calma porque, se não, havia gente por casa para tomar conta e andavam por ali... Não havia trânsito, muito era a pé em passeio, mesmo que apressado, e tudo andava mais lento. Vivia-se com menos, mas a calma estava comprada.
Este ritmo, a juntar aos mil estímulos que eles recebem com ipads, televisão horas e horas, os miúdos não têm muitas vezes os momentos parados. Nem nós.
Não há silêncio e os momentos mortos, estão tão mortos, que nem damos por eles.
Não interessa, nem adianta, fugirmos para uma caverna e vivermos qual eremitas, fechados a tudo porque há-de haver algo a beliscar a nossa paz, se ela não estiver em nós. [Coisa bonita!!!]
Mas é a verdade. O mundo não vai parar, resta-nos fazer acalmar o nosso.
A família tem de ser trabalhada de dentro para forma de forma a que esses causadores de perturbações não nos afetem ou deixem apenas moças ligeiras.
Trazer a paz para nossa casa, abrandar, desligar estímulos, fomentar o diálogo, o amor. Partilhar experiências e crescer em família. Criar uma bolha de ternura, de criação de autoestima e empatia.
É nisto que ando a trabalhar, devagarinho, para que um dia nada atinja a minha família. ou pelo menos ,que todo este mundo louco e exigente nos passe completamente ao lado.

4 comentários:

  1. Aplaudo e subscrevo!
    O único problema é quando somos a única a (parecer) querer tal coisa...

    ResponderEliminar
  2. Adorei, aprendo muito a ler os seus posts. Maravilhoso e ansiosa pelo novo projecto
    Beijinhos
    Carolina Melo

    ResponderEliminar
  3. Pena é que depois não há escolas que dêem continuidade a estar forma de educar e viver a infância. Ou há mas são a minoria!

    ResponderEliminar
  4. é isso mesmo!Parece que não saboreamos a vida...e quanado dermos por ela já ela passou por nós! Beijinho Teresa

    ResponderEliminar