menu-topo

Carta aos meus filhos #8

terça-feira, junho 30, 2015
Queridos filhos, daqui mãe!
Já não vos escrevo há algum tempo. A razão porque isto aconteceu é simples: Não vos escrevi para vos viver. Porque tenho aproveitado o tempo convosco. Conosco.
Muitas vezes, a nossa vida torna-se indomável. Corre como cavalos selvagens e andamos assim a galope dela, a toda a velocidade. Podíamos até apreciar a viagem não fosse ela dotar-nos de uma cegueira completa com tanto a acontecer que acabamos por ficar com pouco. Quando olhamos para trás, vemos o que perdemos, os caminhos que não percorremos, os trilhos que esquecemos e o que não parámos para absorver.
Não é preciso muito para isto. O que é preciso é mesmo nada. Parar. Ficar. Observar. Acompanhar.
E assim foi. Assim tem sido. Não escrevi para vos viver. Para nos viver.
É uma opção, sabem? Vivermos.
Podemos escolher que a vida viva por nós. Que tudo se atropele e corra em segundos. Meter mil compromissos numa mochila e carregar o peso sem o questionarmos. Ou, então, podemos esvaziar-nos de conteúdo para a viver.
Podemos largar a dependência da agitação, desse açucar que o stress dá, mas que tem efeitos secundários graves na vida de uma família. O doce está no nada. Naquelas que são as pequenas grandes coisas.
Observar. Ficar apenas a observar-vos/nos. Brincar. Ser criança com vocês, mesmo quando me lembro que, às vezes, sou adulta. Que tenho de ser adulta mas que as tantas vezes que sou criança vos tenho de agradecer.
Foram vocês que me fizeram regressar ao melhor do meu ser.
Pensar em amor antes de agir. Não julgar, não criticar, não fazer juízos de valor, não esperar por amanhã, não ficar agarrada ao que passou, como tanto fazem os crescidos.
E quando, sem querer, regresso a ser crescida, volto a pensar no amor e a responder só com ele. Ou pelo menos a saber que não estou a reagir com amor e que o tenho de procurar dentro de mim, muitas vezes [quase todas] inspirada em vocês. E aí fica perfeito.
Queridos filhos, não vos escrevi porque vos estou a viver. Com todo o meu ser. Porque vos estou a absorver, porque estou a aprender e a apreender, porque estou a crescer. Porque, com vocês, estou a voltar a ser criança outra vez.

Adoro-vos,
Mãe



13 comentários:

  1. Gosto sempre tanto destes textos, inclusive já partilhei um que tem guiado os meus dias de exames.
    Muito obrigada

    Um beijinho,
    Diana Moura

    ResponderEliminar
  2. A Rita é a melhor blogger/escritora!
    Obrigada por de forma tão simples e bonita, dizer tanto.
    Adorei e vou partilhar!!!!!

    ResponderEliminar
  3. Querida rita, vir lê-la dá ânimo aos meus dias.
    Obrigada por nos fazer lembrar do essencial.
    Um beijinho,
    Sofia S

    ResponderEliminar
  4. Arrepiei me ao ler este texto
    Obrigada !
    Um beijinho
    Sandra

    ResponderEliminar
  5. Adorei !
    E que fotografia Lindaaa
    Maravilhoso

    ResponderEliminar
  6. Tão boooooooooommmmmm!!!!!

    ResponderEliminar
  7. A-D-O-R-E-I!! <3 Tanto amor em cada uma destas palavras que até dói!!! <3True love!
    E a foto...meu Deus....o quanto eu adoro esta foto!! Tanto que a usei no meu blog numa homenagem - em vida, pois! - que fiz a estas mesmas cartas!! http://blogjustforall.blogspot.pt/2015/06/as-palavras-que-ela-escreve.html

    ResponderEliminar
  8. É exactamente por isto que estou a gozar 3 meses de licença de parentalidade alargada com os meus filhos, juntos a tempo inteiro😍❤️
    Experimenta, Rita, e vais ver que compensa 😊 muitas vezes só falamos e não temos coragem para viver as coisas 😄 beijinhos!
    Sofia Serrano
    www.cafecanelachocolate.sapo.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gozei os três meses da alargada e só me arrependo é de não o ter feito da primeira vez. Mais haja, mais gozarei!

      www.adoscoelhos.wordpress.com

      Eliminar
  9. Cara Rita, não a conheço mas venho aqui agradecer-lhe do fundo do coração o livro que escreveu (Socorro! Sou Mãe). Comecei a lê-lo quando estava grávida e ainda hoje vou espreitar um ou outro capítulo pois tem sido uma ajuda preciosa nesta fase inicial de vida de mãe! Se não tivesse lido sobre o baby blues no seu livro ia achar que estava com uma depressão pós-parto nos primeiros dias em casa com a minha filha!! O capítulo da amamentação também foi bastante útil e agora é o da dieta!! eheheh Beijinhos!

    http://blogfilhadamae.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Estou aqui de lágrima no olho. Lindoooo!

    ResponderEliminar
  11. As cartas aos filhos são das melhores coisas deste blog - e elas são muitas!

    www.adoscoelhos.wordpress.com

    ResponderEliminar