menu-topo

Porque quero que o meu filho não entre rápido na primária

terça-feira, junho 23, 2015
O Duarte é de Dezembro.
Faz quase diferença de 1 ano de alguns colegas.
Não que se acanhe ou que haja um grande choque em termos de inteligência dos amigos [apenas nos desenhos vá e porque não consegue estar sentado quieto muito tempo], e a professora diz que não vê problema nenhum mas.. estou a pensar retê-lo.
Quando digo isto fica tudo a olhar para mim com ar espantado. Parece que não é um pedido muito frequente entre os pais e quando sugerido nem é levado a bem.
A minha justificação é só uma:
Se ele pode brincar mais um ano...
Pode ser que, até à decisão final, ele cresça e se torne mais maturo... mas vê-lo tão cedo numa secretária durante horas, quando ainda pode brincar todo o dia, faz-me mesmo pena. E parece-me tempo de infãncia perdido.
Tenho mais um ano para pensar nisto mas, se conseguir que aconteça sem traumas dos amigos irem e ele não sinta tanto [o que pode acontecer porque coincide com a mudança de escola], estou convicta que é o melhor que posso fazer por ele e por um futuro ainda mais feliz na educação.
Amei ler isto e vou guardar como aliado.


20 comentários:

  1. Olá Rita , já vi umas quantas mães a faze-lo lá na creche e realmente foi bom para as crianças esse atraso.
    O que fizer, será bem feito.
    Carolina Melo

    ResponderEliminar
  2. Tenho o mesmo problema, estou 100% de acordo e feliz por não ser a única com esta opinião "rara"

    ResponderEliminar
  3. Olá Rita!! Grande decisão. Ainda hoje me arrependo de não ter feito o mesmo...

    ResponderEliminar
  4. Haja de acordo com o seu coração Rita.
    Pessoalmente faria o mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Tenho um filho de fim de ano, vou fazer o mesmo. Mudei de ideias depois do mais velho entrar para o 1º ano. Os horários e programa são massacrantes. Quase maus tratos.

    ResponderEliminar
  6. Rita, concordo plenamente. Na minha opinião só tem a ganhar em ficar mais um ano a brincar e a adquiri a maturidade emocional necessária para estar tanto tempo sentado a uma mesa a absorver toda a informação que lhe é transmitida.

    ResponderEliminar
  7. Fazes muito bem, eu não tive hipótese por ser um caso de adopção e já estava inscrito na escola,, tinha sido muito bom para o garoto . Tudo se faz, mas são muito bebés ainda.

    ResponderEliminar
  8. Olá Rita, Tenho uma Inês com 7, também de Dezembro. No momento de decidir a entrada para o primeiro ano pensámos muito e optámos por esperar que a Inês entrasse quando já tivesse 6 anos completos. Ou seja, entrou para o primeiro ano quase a fazer 7 anos. Na minha opinião e no meu caso, sei que foi a melhor opção. A maturidade e a capacidade de atenção e organização aumentou imenso nesse ano de 'retenção' e a adaptação ao cumprimento das regras da escola foi mais natural e fácil. Na tomada de decisão também ajudou o facto de haver mais dois coleguinhas na mesma situação que também esperaram. Cada caso é um caso, mas partilho da sua opinião: porquê começar já com as obrigações escolares quando se pode escolher que brinquem mais um ano? No meu caso só tenho vantagens a apontar à decisão tomada. Também senti a incompreensão de muitos quando dizia preferir esperar (a resposta era invariavelmente "porquê esperar? assim vai ficar um ano atrasada...") e muitas vezes quase sentia necessidade de justificar a opção. Mas não sinto que tenha atrasado nada, antes pelo contrário...
    Patrícia V

    ResponderEliminar
  9. Eu acho a melhor opção, o meu 2o filhote ainda bebé é de novembro, e nem vou matar a cabeça a pensar nisso, só vai entrar quando fizer os 6 anos.
    Tenho vários amigos com filhos nessas situações, um deles é de novembro tb e nunca me esqueço que no 1 ano tinham de dar galão à hora de almoço ao miúdo para ele estar mais desperto na aula à tarde, e as notas não são famosas, se tivesse ficado mais um ano poderia ter evitado talvez, essas coisas....

    ResponderEliminar
  10. Ha varios modelos na Europa, mas a verdade e que mais para norte, (excluindo o Reino unido), as criancas entram na primaria com 6 ou 7 anos e, parece-me, com grande sucesso.
    No cantao da Suica onde vivo, entram para a primaria as criancas que tenham feito 6 anos ate 31 de Maio desse ano; os meus filhos estao numa escola internacional e a data ai e 31 de Agosto. O meu filho e de Setembro e portanto fara 7 anos muito pouco tempo depois de comecar a primaria. Nao podia estar mais contente com essa perspectiva: mais tempo para amadurecer, para aprender outras coisas importantes que nao apenas numeros, letras, etc..

    ResponderEliminar
  11. Olá Rita !!
    Pela minha experiência, o único conselho que te posso dar é segue o teu instinto de mãe.
    Eu não segui, e fiz o que toda a gente me disse para fazer e coloquei a minha filha na escola primária com 5 anos (fazia os 6 a 28 de Novembro). Passou agora para o terceiro ano, mas sempre com a mesma queixa da professora, passa o tempo desligada, no seu mundo imaginário de princesas e dragões. A professora diz-me "Devia ter esperado um ano, ela entrou tão novinha, ainda não tem a capacidade de concentração desenvolvida". E mais, por ter entrado tão nova, forçou-se esse desenvolvimento, o que só piorou as coisas.
    Deixa-o brincar mais um ano !!!
    Beijinhos

    Ângela Ponte

    ResponderEliminar
  12. Concordo plenamente! O meu filhote também é de Dezembro e ficou mais uma ano na pré, porque a prof.ª aconselhou e porque nos queríamos dar-lhe mais um ano de brincadeira quase total! A partir da 1ª classe vai ser estudar/trabalhar até à reforma, porque não aproveitar este ano?!??!
    Hoje ele tem 13 e queixa-se, que é o mais novo e tal... mas um dia acho que vai dar valor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá BelaLinha. É só uma questão..queria escrever que o seu filho se queixa de ser "o mais velho", certo? (escreveu, creio que por lapso, o mais novo). É que eu fui um desses casos e ainda hoje nao consigo dar valor, lamentei e hoje com quase 30 anos ainda lamento a decisão dos meus pais. Ainda hoje, quando termino uma etapa (e.g. licenciatura, mestrado), vejo propostas de trabalho, bolsas, mudanças de planos que eram melhores para piores e que eu, se não tivesse sido retida, tinha ido a tempo de as conseguir. Pode parecer parvo, mas é apenas um feedback de algo que me pesa toda a vida. No entanto, conheço crianças (adultos já) a quem nunca lhes fez diferença essa retenção e serem sempre os mais velhos. Portanto, como não conseguimos saber já que tipo de pessoa serão os nossos filhos (se como eu ou se como os outros amigos a quem nao fez diferença), será sempre um risco. E havendo risco, vale realmente mais fazer aquilo que naquele momento nos parece melhor...apenas não pensem que há uma decisão correta.

      Eliminar
  13. Olá Rita
    Vou partilhar a minha situação particular. A minha filha mais nova, é de 21 de Dezembro. Também passei por essas dúvidas e preocupações: " como se vão desenvencilhar...tão pequenos!!". Depois de muito pensar, a Mariana entrou mesmo com 5 anos no 1.º ano e não me arrependo em nada! Os nossos filhos surpreendem-nos e conseguem superar e ultrapassar barreiras que nós, mães preocupadas, não pensávamos ser possível. Actualmente a Mariana passou para o 12.º ano e tem sido, graças a Deus, uma excelente aluna. Até porque se pensarmos bem os "5" é uma questão de meses. Há até pais que com filhos a fazerem anos em Janeiro e Fevereiro fazem declaração para entrarem no ano anterior. É uma questão nossa, uma escolha pessoal e de certeza, a que achamos melhor para os nossos filhos. Afinal, não há quem os conheça tão bem! Qualquer que seja a sua decisão, espero que tudo corra bem. Felicidades e um beijinho.

    ResponderEliminar
  14. Olá Rita,

    aminha filha é de 26 de dezembro e também tive as mesmas dúvidas quando se iniciou o último ano letivo no infantário.
    A Educadora aconselhou a que prosseguisse e assim foi. O inicio do 1º ciclo praticamente coincidiu com o nascimento do irmão, felizmente correu bem. No inicio precisou de alguma ajuda, pois não tinha métodos de trabalho, o que é natural!
    Hoje, com 10 anos, concluiu o 5º ano, com ensino artístico de música, o qual foi sua opção, com excelentes notas. Pode mudar e precisar de repetir um ano, ou dois, não me preocupo agora, mas sei que está feliz e que gosta de aprender.
    Cada caso é um caso e ainda tem algum tempo para decidir.
    Beijinhos e tudo de BOM!

    Sofia

    ResponderEliminar
  15. Encontro-me numa situação semelhante e ponderei se seria melhor manter a minha filha na pré mais um ano. No final do primeiro período, a educadora disse que logo se via. Naquele momento, sim, notava-se que ela era mais imatura que a maioria. Mas a verdade é que em pouco tempo evoluem sem estarmos à espera. Neste momento, a recomendação é que prossiga com a sua turma, mesmo que ainda um pouco imatura, e é o que vou fazer. Se ele tiver maturidade para prosseguir e se não houver nada contra, também é importante ouvi-lo. Digo isto porque a minha está a contar desde sempre que vai para o primeiro ano, com os seus amigos, que vai ser crescida e tal. Se ficasse "retida" iria ressentir-se, creio eu. Essa demonstração de vontade da parte deles também deveria contar para a decisão.

    ResponderEliminar
  16. Uma sugestão: é um pouco longo mas vale mesmo a pena...

    http://blogdotarso.com/2013/03/28/finlandia-a-melhor-educacao-do-mundo-e-100-estatal-gratuita-e-universal/

    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  17. Rita, sou de Novembro e também entrei um ano mais cedo na primária para acompanhar os meus colegas. Os meus pais arrependeram-se sempre, era uma miúda super imatura e a professora passava um castigo para me manter sentada na cadeira durante umas horas! Penso que se verificou uma diferença entre mim e alguns dos meus colegas em termos de maturidade, até para aí os 12 anos.
    Depende muito da criança, mas na minha opinião achou que as crianças não perdem nada por ficar mais um ano a brincar. Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Olá Rita, o meu filho é de Novembro e vou fazer o mesmo, tem muito tempo de ir para a escola, agora é para ser criança, brincar, quando entram na escola, iniciam uma etapa que se espera longa, por isso agora é deixa-los brincar!
    bjs

    ResponderEliminar
  19. Olá Rita,fiz o mesmo com o meu filho, que tb é de Dezembro. Aproveitei que ele ia mudar de escola, e voltou a repetir a "sala dos 4 anos". Só lhe posso dizer que não estou nada arrependida e que este ano que passou, o notei mais seguro e feliz... e depois é como disse, mais um ano de brincadeira pela frente :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar