menu-topo

Cansei da exigência.

quarta-feira, julho 22, 2015
Peço-vos que não me falem mais do que esperam dos meus filhos. Que querem boas notas, bom comportamento, atenção, sossego, entreajuda, concentração, desembaraço, independência, autonomia, boas maneiras. Imploro-vos!
Cansei disso tudo. Cansei que lhes peçam que acordem, que durmam, que comam, que não comam, que gostem de música, que falem inglês, que toquem piano, que esperem, que se mexam, que fiquem sossegados, que sejam rápidos ou que sejam lentos, que façam muitas coisas, que façam uma de cada vez. 
Cansei que lhes digam que devem dar o exemplo, seguir o exemplo, não ser exemplo.
Cansei dos rankings, das médias, dos exames, dos tpcs, das metas curriculares, do stress familiar.
Cansei de estarem sentados o dia todo no 1º ano, das frações no 3º. Cansei do aprender sério, da responsabilidade, deverobrigação, do descer à terra. Cansei que os comparem com a croma do lado, que os ameacem com o que vem no futuro, que tenham de ter um curso superior, que pensem que um dia não vão ser ninguém. Cansei que os façam não acreditar, que  os diminuam, e que lhes digam que têm de crescer. Cansei que não respeitem as fases, que andem a reboque, em manada, que sejam todos iguais. Cansei da altura em que [que horror] ainda não deixaram as fraldas, ainda bebem do biberão, ainda dormem com a mãe, ainda dormem a sesta, ainda mamam, ainda qualquer coisa. Que têm de falar, de andar, de ler, de escrever, de fazer contas, de saber de cor. Cansei que não se preocupem com a alimentação que lhes servem, que não tenham uma árvore para eles treparem, que não possam mexer na terra, que não plantem uma flor, que achem que os números e as letras não se encontram na natureza e noutros momentos do dia a dia mais interessantes que o quadro e o giz. Cansei que escolham tudo por eles, que tenham de gostar de tudo, que não possam contestar. Cansei do que acham quando eles não estão interessados. Cansei que não pensem no que lhes interessa. Cansei dos castigos, das reprimendas, dos limites e que os humilhem à frente dos amigos. Cansei que não possam falar na aula ou que vão para o canto sozinhos. Cansei que analisem, critiquem, dissequem as suas atitudes e comportamentos. Cansei que estejam apaixonados pela exigência e pela perfeição. Cansei que os tratem como adultos e que achem isso aceitável. Cansei que os obriguem a tanto, quando deviam ser só crianças. 
Cansei e não é comigo. Imaginem o que lhes cansa a eles.

18 comentários:

  1. Rita, esta semana está fortíssima!

    Beijinhos Sofia P

    ResponderEliminar
  2. Concordo com os comentários. A Rita já nos habituou a textos fantásticos, mas esta semana está demais :)
    Obrigada por todas estas palavras. O seu ponto de vista não poderia estar mais correto.

    ResponderEliminar
  3. Ó Rita, que palavras! Que texto! Ultimamente ando tão em baixo, pk, sendo mãe a tempo inteiro, tratam-me com não fosse nada, e que o melhor para a minha filha era estar na escola para se desenvolver mais rápido! Sinto-me devastada! Quero dar tudo do melhor à minha filha, e para pessoas da minha família o melhor era ela estar na escola. Sinceramente, há uma exigência tremenda para que ela seja um mini adulto sem antes completar um ano. Pouco importa se é feliz! Obrigada pelo seu texto.

    ResponderEliminar
  4. Cara Rita, já experimentou visitar uma escola Montessori (ou qualquer outra alternativa: Reggio Emilia, Waldorf, etc)? Muitas das suas "canseiras" (tenho a certeza) ficariam resolvidas. ;)
    Para mim são as melhores escolas.
    Um beijo *

    ResponderEliminar
  5. Tudo isso Rita.
    Bem haja.
    A minha vai para o 3.ano.
    Como despedida a professora disse aos seus meninos.... VAI SER MUITO DIFÍCIL!!!!
    Na reunião final de pais.... o manual de matemática É MUITO DIFÍCIl.... até para OS PAIS!
    Se isto não é um verdadeiro estimulo...
    Tive vontade de..... ir!
    Beijinhos Rita

    ResponderEliminar
  6. Adorei Rita!
    Já somos duas.

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. é mesmo. tb já estou cansada disto tudo (e anda mal começou)!

    ResponderEliminar
  8. Discordo claramente! Se não exigirmos aos nossos Filhos, boas maneiras, bons comportamentos, partilha, empenho,...de que tipo de adultos vai ser povoado o nosso mundo daqui a 20 ou 30 anos???acho que nunca os devemos diminuir, mas sim enaltecer, para que se sintam capazes para enfrentarem o mundo e as dificuldades. A minha já vai sendo capaz de se defender de algumas situações embaraçosas e deixar de dar importância ao que não tem, e eu fico muito contente com isso! Nem tanto ao mar, nem tanto á terra! educar dar trabalho, formar crianças dá trabalho! Que cada uma de nós seja capaz de dar o seu melhor!
    MP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas acho que não se consegue a exigir. Só se consegue dando o exemplo. E com amor e empatia chega-se lá. Dá mais trabalho e nem todos na sociedade estão para isso, mas chega-se.

      Mts beijinhos

      Eliminar
    2. Claro que sim, o exemplo acima de tudo! eu confesso, que nem sempre sou o melhor exemplo!
      A escola é difícil, mas super protege-los não me parece que os ajude! hoje percebo o que a "nossa" amiga Magda dizia quando "queria escolher" os amigos dos Filhos, na altura fiquei chocada, mas hoje percebo que os ensina sozinhos a fazerem as melhores escolhas, a melhor selecção, a unirem-se ás pessoas que tem mais em comum com eles por exemplo na educação e maneira de estar. Tenho aprendido muito consigo também e realmente dar lhes momentos felizes é muito importante para que tenham boas memórias!
      um beijo
      MP

      Eliminar
  9. Se fosse um manifesto assinava por baixo :-) Seria importante haverem mais pais a "cansarem-se" como nós para que pudessemos repensar rapidamente o actual modelo de escola...

    ResponderEliminar
  10. Olá Rita...
    Há pouco tempo conheci o método PBL (Problem Based Learning) onde em vez de professores existem tutores. No país onde estou a viver começa a aparecer um pouco por toda a parte como método de oposição ao tradicional. Neste método, é apresentado aos alunos um problema e é esperado que eles façam algum tipo de pesquisa para tentarem resolver as questões que fizeram quando se depararam com a questão.
    Achei o método interessante e acho que se adequa à sua família uma vez que fomenta a educação das crianças de uma forma muito mais pacífica (a meu ver). Atualmente muitos adolescentes não gostam de matemática porque não percebem "onde vão usar aquilo na vida real" e este método tenta acabar com essas questões.
    Procure um pouco sobre PBL. Quando o vi lembrei-me de si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola! Já ouvi falar sim, mas vou aprofundar melhor!!
      Acho que me falou logo ao coração... ;)
      Obrigada!!! <3

      Eliminar