menu-topo

9 meses depois e ainda não me caiu a ficha.

quinta-feira, abril 07, 2016
Vou ser mãe outra vez. Aliás, estou mesmo quase quase a ser mãe outra vez.
[Nem sei se se pode dizer isto. Uma vez mãe, para sempre mãe. Não se é de novo. É-se e pronto. Para sempre.]
Não era suposto estas 37 semanas + 6 dias já me terem preparado? Aliás, ter outros dois filhos devia ser preparação suficiente.
Mas calma, não é de medo ou nervosismo. Nãoooooooo...
É de ser tão inacreditável que ainda não acredito.
Tinha fechado esta aventura da maternidade ao segundo.
Mentalizei-me. "Destralhei" tudo o que pude. Afirmei com todos os dentes e com todas as letras. Fechei a loja, fiquei pelo casalinho, fiz contas à vida e usei  todas as mais expressões e desculpas que fazem parte do fim de um ciclo.
Um certo dia ouvi em mim a frase: E se... 
E desde esse dia (bem, desde o dia em que a soubemos) adoro-a e vibro com todos os segundos.
O que passámos [se soubessem o quanto é rija esta bebé que trago na barriga] e o quanto, mesmo assim, esta gravidez me tornou numa pessoa tão melhor. Acho eu. lol
[Bem, este final não está a ser fácil, mas vá. O normal: contrações, insónias, azia, dores no corpo, ela muito descida, dois filhos reclusos e cheios de energia, a sentirem mudanças e a precisarem de uns bons dias de "rua" e um mundo infinito e renovável de coisas para apanhar do chão e para fazer em casa que quase nascia antes do tempo.]
Tão mais aqui. Tão mais apaixonada pelo momento. Tão mais relaxada. Tão mais distraída com coisas que dantes me deixavam tão stressada. Tão mais pronta ao amor e só ao amor.
Senti-me linda. Porque te trazia.
Senti-me especial, feliz, completa, apaixonada. Porque te mereci. Apaixonada pelo meu marido. Pelo que construímos. E por algo novo e especial que nasceu entre nós. Pelos meus filhos. [Apesar de tanto me terem tornado a vida melhor como num inferno. Mas vá. Pazes feitas. Também a mim me faltou por vezes a força, a energia e a paciência. Adoro-vos até ao infinito!]
E tantas vezes dei por mim a beliscar-me. A pensar se seria mesmo verdade. Se serias mesmo verdade?! [E quantas vezes parei tudo só para te sentir dentro de mim. E quantas vezes já me despedi de te ter cá dentro. E quantas vezes já tive saudades antes de te largar.]
No máximo dos máximos daqui a duas semanas vou estar a abraçar-te [Se Deus quiser.] Pôr-te ao peito, embalar-te, observar-te como se o tempo parasse. [Como será que és?]
E vou estar a agradecer-te esta viagem.
Foste a última mas nem por isso a menos importante. Nunca me assustaste. Foste sempre fazendo sentir-te. Às vezes com força demais, mas sempre me descansaste. [Vamos ser assim para sempre?!]
Trouxeste coisas novas. Novos sentimentos. Uma nova maneira de ser mãe. Uma nova maneira de ser mulher. Uma nova família. Uma família que te esperou ansiosa e alegre. Que fez novos planos, mesmo que estes passem por ser menos planos. 
Fizemos este caminho de 37 semanas + 6 dias tão juntos e com tanta força. 
[E só de pensar que isto do amor é sempre a aumentar...]




2 comentários:

  1. Tudo normal e muito belo o que sente e descreve... Falta pouco para poder contemplar a nova "esquila"... Desejo tudo vivido ao segundo e que saboreiem ao máximo... Mesmo que cada um à sua maneira... Muita calma com os manos que rapidamente se habituam à mudança... Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Ai Rita, como me revejo em cada palavra.. Mãe de um casal, grávida de 31 semanas da Maria, já tinha Fechado a loja mas certo dia sentimos que faltava algo.. Começamos tudo de novo porque já tinha despachado tudo. Hoje sinto me tão orgulhosa desta barriga, adoro, Estou feliz!
    Vou copiar e partilhar. Corra tudo bem e muitas felicidades!

    ResponderEliminar