menu-topo

Férias sem medos.

segunda-feira, julho 25, 2016
Este ano tenho a sorte de estar em casa nestes (gigantescos) 3 meses de férias dos mais velhos mas com a limitação de ter uma bebé pequena.
Apesar de ser de doidos e de, às vezes, refilar sei que no próximo estou a chorar com saudades deste privilégio.
O boy anda difícil, muitas birras e do clássico "a-mãe-não-manda-em-mim". Normalmente é sempre com algo que quer fazer e teima e teima, como levar um brinquedo. Sei que é para ser aceite, que acha que se levar algo é mais cativante. Mas quero que se sinta mais confiante e estou decidida a gastar tempo para lhe aumentar a autoestima e a sentir-se integrado e a valer só por si  "no matter what". Quero também que aprenda a dar a sua opinião, a ouvir a nossa e a aceitar uma regra sem um drama a acompanhar.
A girl é super colaboradora mas espicaça-o e, às vezes, andam à bulha.
Quando dou por mim a minha casa parece um episódio do Tom & Jerry.  E, por isso, e porque tenho mais tempo, estou a planear algumas atividades caseiras para se entreterem nas férias. E é rotina para manter. Vou pôr mais amor no nosso tempo em família.
Na verdade, gostava de pôr os meus filhos na dança, na música, no teatro, no desporto, nas artes, mas o dinheiro não dá para tudo. Gostava de lhes dar mundo e opções. E pensei que se nem não podiam ir a todas as actividades, as atividades viriam a eles, dentro do possível. (Se eu mandasse cultura e deporto para crianças eram de graça e obrigatórias).
Graças a Deus temos Youtube. Aqui encontra-se aulas de tudo e é ótimo para os despertar para um gosto ou um talento qualquer que tenham. Claro que não vão ficar experts mas pelo menos vão saber o que é um piano e uma nota musical. Quem sorte conseguem tocar os parabéns a você. ;)
Esta semana está delineada. Há lições de piano autodidatas, inventarem um negócio deles, lermos um livro e fazermos um teatro dele, desenhos e jogos, ginástica e filosofia. Sem pressas ou calendários muito rígidos. Descobrirem o que mais gostam de fazer é o objectivo. E entenderem-se.
A aula de filosofia é demais e conseguem-se resultados brutais. O adulto faz de mediador e lança temas. E depois é deixá-los falar. Nós só precisamos de conduzir. Experimentem e vejam o que é a mente de uma criança.
Tenho mais temas e carteira como respiração, dança a dois, organização, fazer um bolo, etc...
Vamos ver como corre.
[P.S. Obrigada pelos 4 milhões de visitas ao blog. Que número gigante.♥️]




1 comentário:

  1. Como consegue com uma bebé pequena gerir mais dois e ainda ter boas ideias? Que plano excelente!! Beijinhos

    ResponderEliminar