menu-topo

474 dias depois do parto.

quinta-feira, agosto 03, 2017
Talvez precise de mais tempo do que o normal das pessoas. 
Ou talvez haja quem precise ainda de mais tempo que eu. 
Cada um tem o seu, na verdade, mas só agora comecei a olhar para o meu corpo após o parto da Madalena.
Sempre me aconteceu isto. Preciso de mais de um ano para me querer ver em forma. Para me ver, na verdade. Até lá tenho o foco todo no meu bebé, no tempo que passo com ele, em tudo o que vou abdicar para ir tratar de mim. Nem quero ouvir falar de corpo, de músculos ou de qualquer coisa que me roube tempo com o meu bebé. Deve ser alguma coisa hormonal não sei...
E, não estou a dizer que estou certa. Nada disso, até porque se abrisse os olhos para me ver ia fazer alguma coisa assim que me fosse permitido.
Três cesarianas e alguns quilos depois a coisa não está de todo igual ao que era.
Claro que nesta altura já me começo a querer ver, mas mais do que esteticamente, de saúde. Já começo a olhar-me com outros olhos, a não me deixar abandalhar, sem arranjar uma desculpa para perdoar as mossas que as gravidezes asneiras me fizeram.
A questão não está tanto no peso.
Menos 3 quilos e estou no meu ideal.
Rapidinho (e a cortar no pão e no queijo) acho que chego lá. O problema é que sou uma falsa magra. Sou magrinha em cima e por isso disfarço muito bem, mas chega à barriga e começa a desgraça por ali abaixo. 
 Porque uso sempre vestidos e saias compridas ninguém diz, mas em tempo de praia é difícil esconder... 
Sei que cuidar de mim me vai fazer melhor mãe. Que, no fundo, seria egoísmo. E que preciso de estar bem também pela minha família.
Destas três cesarianas ganhei uma herança maravilhosa mas isso deixou também marcas menos boas.
Celulite, gordura, pésssssssima circulação, tornozelos inchados, dorez mas pernas e facilidade em fazer nódoas negras ao mínimo toque, flacidez, derrames, retenção de líquidos.., enfim uma lista que me obrigou a fazer algo.
Quero muiiito voltar ao ginásio que deixei porque agora me fica fora de mão e quero fazer algumas coisas localizadas, massagens, drenagens, etc.. Nada evasivo.
Fiz as contas. 474 dias depois. Foi o dia em que voltei a olhar por mim. 

Ficam aqui as minhas medidas para vocês não me deixarem abandalhar e ir partilhando a evolução.
Fiquei toda contente porque no teste que fiz deu que a minha idade metabólica é de 30 anos. 
Por me terem sugerido, ser mais perto de casa e existir em todo o país (o que é bom nas férias) escolhi a BodyConcept dos Jardins da Parede. 
Porque me perguntam o que faço às crianças: Este mês marquei para a hora de almoço e o meu marido vem almoçar a casa nestes dias e fica com eles. ;)
Depois digo-vos o plano que vou fazer.
Podem estar atentas e obrigar-me a cumprir isto? 
Em que momento vos dá o clique?
Este foi o passo número um para me sentir melhor, comigo, com o meu corpo e, claro, ser melhor mãe e com mais saúde.

Até já!


2 comentários:

  1. Rita fez muito bem em começar. Também tenho péssima circulação e sei o desconforto que é. É MT importante cuidarmos de nós. Força!

    ResponderEliminar
  2. Porque que é que a sua idade metabólica não me surpreende??? Sim, olhe por si, porque se vai sentir muito melhor consigo própria!

    ResponderEliminar