menu-topo

Eu sou aquela mãe...

terça-feira, agosto 01, 2017
Eu sou aquela mãe que os filhos interrompem a cada segundo e atropelam qualquer conversa.
Eu sou aquela mãe que tem de deixar telefonemas a meio porque não consegue ouvir o outro lado. Eu sou aquela mãe cujos filhos fazem barulho nas piores alturas.
Eu sou aquela mãe que os filhos estão à porta quando tomo duche, que entram pelo quarto sem pedir licença, que põem cotovelos à mesa. Eu sou aquela mãe que repete mil vezes a mesma coisa, que passa a vida a apanhar coisas do chão. Que num minuto tem a casa num brilho e no outro a seguir parece que alguém a virou do avesso.
Eu sou aquela mãe que está sempre a carregar alguma coisa.
Eu sou aquela mãe que cai sempre no erro de os levar ao supermercado.
Eu sou aquela mãe que tem sempre um filho pendurado na saia. Que tem sempre um filho a pedir para eu ver, para eu ouvir, para eu fazer.
Eu sou aquela mãe que tem raízes por fazer, verniz a saltar das unhas e quando começa a época balnear nunca está pronta para enfrentar a praia. Eu sou aquela mãe que estica as madeixas ao limite e por falta de tempo não aderiu a pintar o cabelo para não ficar presa a essa obrigação.
Eu sou aquela mãe que, todos os anos, tem de cortar um molhão de cabelo porque não foi cortando pontas. Aquela mãe que o inverno escondeu o corpo atrás de roupas quentinhas e confortáveis.
Eu sou aquela mãe que nem se pode ver ao espelho antes de ir para a praia.
Eu sou aquela mãe que não tem sempre os pés arranjados, que não tem sempre o cabelo brilhante, que não se maquilha todos os dias, que não tem boa cara a toda a hora. Mas que, graças a eles, sente um brilho especial.
Eu sou aquela mãe cujas três cesarianas deixaram mossa. Eu sou aquela mãe que tem dias de mau cabelo, de muitas olheiras, de cansaço.
Eu sou aquela mãe que, às vezes, acha que não chega, que não basta, que acha que já é demais.
Eu sou aquela mãe que acredita que é, sem sombra de dúvida, a melhor pessoa para cuidar deles. E que ninguém faz como ela.
Eu sou a mãe que sonha com a hora de os deitar mas que acorda de manhã com saudades deles.
Eu sou aquela mãe que adormece no sofá na introdução dos filmes, que não consegue ler um livro.
Eu sou aquela mãe que, às vezes, não está a ouvir nada do que eles dizem mas diz que ouviu.
Eu sou aquela mãe que se junta com amigas e acaba sempre a falar de filhos.
Eu sou aquela mãe que, às vezes, não os pode ver à frente mas que quando se separa deles morre de saudades.
Eu sou aquela mãe que os manda calar mas que estranha o silêncio.
Eu sou aquela mãe que se queixa do tempo interminável das férias, mas que se tinha queixado de tanto tempo que passam na escola.
Eu sou aquela mãe que os manda arrumar e acaba sempre a fazer com eles ou por eles. Eu sou aquela mãe que, às tantas, rebenta.
Mas acima de tudo eu sou aquela mãe grata pelo privilégio de os ter na sua vida e que sabe que, mesmo com tudo isto, não há melhor vida que esta.


Vestido: Stockroom Studio

50 comentários:

  1. Não, não... essa sou eu :)
    Beijinho
    Mariana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola, gostaria de saber de quem e autoria deste texto.
      Como nao encontrei outra maeira de comentar se nao aqui neta "resposta".....

      Eliminar
    2. A autoria é da autora deste blog que sou eu. ;)

      Eliminar
  2. Eu também sou "Aquela mãe..." :)
    Identifico-me sempre com cada palavra sua. Agradeço-lhe pelo facto de a cada pubicação não me deixar sentir que estou só neste mundo tão rico e complexo que é o da maternidade.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelo seu texto e experiência faz ver que não sou a única mãe na mesma situação e com esses exatos momentos... Bjs

    ResponderEliminar
  4. Olá, estou a ver-me ao espelho com o seu texto, no fim de tudo somos felizes

    ResponderEliminar
  5. cujas três cesarianas deixaram "moça"? tem dias "the" mau cabelo?
    É sinal de mãe esgotada com a atenção que dá à crianças ;)

    ResponderEliminar
  6. Pois, aquela mae que não os vai deixar crescer, e possivelmente criar mais inaptos para a convivência humana...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todas as "mães" se
      conseguem identificar com "aquela mãe". E querem que os filhos cresçam, progressivamente, estruturados, com amor e sentido de responsabilidade.

      Eliminar
    2. Eu ja fui essa mãe e agora por ironia do destino sou o mesmo mesmos em versão avo.....

      Eliminar
    3. Eu tb sou essa mae😀 lindo texto que diz tudo o que uma mae e.

      Eliminar
  7. Está a falar de mim certo?
    Igualzinho aqui e um buço que só me lembro que está ali quando reluz no retrovisor.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Eu também sou aquela mãe!
    Agora ja nao me sinto tão só afinal somos muitas "aquela mãe "

    Maria Pires

    ResponderEliminar
  9. Igual em tudo, até nas três cesarianas obrigada,pensei que era só comigo que era assim

    ResponderEliminar
  10. Revejo-me em quase tudo, com a diferença que só tenho dois, mas uma vale por três :)

    ResponderEliminar
  11. Pensava que era só eu que era assim...fico mais descansada!

    ResponderEliminar
  12. Anónimo com a sua resposta vê-se claramente que não é mãe!
    Também me identifico nas palavras da Rita e não acho que meus filhos sejam inaptos para a convivência humana, muito pelo contrário, a minha filha é uma menina muito sociável e tem muitos amigos!
    Lindo texto Rita Ferro Alvim acho que quase todas as mães se revêm nele.

    ResponderEliminar
  13. Eu também sou essa mãe,aquela que deixou de trabalhar para ser essa mãe a tempo inteiro(quase a ficar desempregada).Hoje já são adultos (19 e 22) e de inaptos não têm nada. São adultos responsaveis, autónomos,desenrascados,respeitadores.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns pelo texto. Os meus já cresceram , já não sou essa mãe que fui por isso mesmo, mas sempre que posso tento ser e sabe tão bem!!!

    ResponderEliminar
  15. Adorei, porque "Eu sou aquela mãe...".

    ResponderEliminar
  16. Ser "aquela mãe" é isso (sei por experiência própria) mas não chega! "aquela mae" também deverá ser a que diz muitas vezes não (apesar de, ás vezes, até poder dizer um sim, mas nem sempre podemos atuar só com o coração a razão também dever ter o seu lugar),que grita e se "passa da marmita" com as crias porque final é humana e não uma supermulher (essa só existe na ficção). É muito importante que as crias percebam isso e tambem percebam que têm e devem respeitar os espaços de cada um desde cedo. Mas é difícil...muito difícil... mas nada impossível. Bjs

    ResponderEliminar
  17. Eu também sou essa mãe,com a diferença de ter tido que deixar tua a carreira profissional para trás,porque eu deles precisa e vai sempre precisar de mim 24 horas por dia (paralisia cerebral)...acreditem que ter 3 filhos é difícil,Mas quando um com 10 anos é tetraplégico as coisas são dificilimas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. es uma super mae, muita forca, amor e carinho!

      Eliminar
  18. Que bom sermos tantas "Aquela mãe..." e que bom os nossos filhos terem "Aquela mãe..."
    Obrigada Rita, principalmente a parte de não estar pronta para o verão....depois de 7 partos não consigo estar pronta, mas sempre com pensamento positivo - "Para o ano é que é!"

    ResponderEliminar
  19. Tal e qual,sem tirar nem por.Bjinhos

    ResponderEliminar
  20. Também me revejo neste texto!!!! Afinal somos muitas!...

    ResponderEliminar
  21. Que exagero! Se assim fosses acredito que os teus filhos não seriam as crianças bem educadas que são. Às vezes é fácil pensar que ser mãe é abdicar de tudo e colocar-se no lugar de cada um deles, mas felizmente não é bem assim. Mãe é carinho e amor mas também é respeito pelo próximo e pela convivência familiar equilibrada.

    ResponderEliminar
  22. É isso mesmo!! Eu apenas tenho um e vou ficar por um. Só não tenho saudades das noites em claro, de resto repetia tudo de novo. Hoje o meu pequeno faz 22meses e parece que voou o tempo! Tenho tantas saudades dele bebezinho!!

    Aproveitar ao máximo enquanto são pequeninos, pois quando eles já forem crescidos já teremos imenso tempo para cabeleireiros e depilações sem horários.

    Um grande beijinho!

    Sónia Barreto

    ResponderEliminar
  23. Eu sou exactamente essa mãe que descreveu! Afinal não sou tão louca como imaginava! Bjs

    ResponderEliminar
  24. Eu também sou essa mae :) parabéns pelo texto!!

    ResponderEliminar
  25. A "todas estas Mães", porque tenho muitas saudades desse tempo... costumo dizer, vivam cada segundo, sorvam os momentos, sejam Mães conscientes do sentido das palavras: "Amor", "Educar", "Respeitar"... O Tempo tem um pêndulo pesado e compassado ... quando damos conta... a tão prezada "casa" ficou vazia!
    Beijinho, Mães!
    P.S. entretanto, não se esqueçam que existem para além de "Mãe"...

    ResponderEliminar
  26. Essa sou eu! Até as 3 cesarianas encaixam no perfil. Ainda bem que existem tantas mães como aquela mãe... Mães exaustas, mas orgulhosas dos sorrisos estampados nas caras dos nossos filhos!

    ResponderEliminar
  27. todas nós nos revemos neste espelho!
    Ouvindo esta descrição de mãe , quase achei que falava de mim!

    ResponderEliminar
  28. Revejo me neste texto na íntegra... 😍

    ResponderEliminar
  29. Somos todas assim!!!
    MÃES
    Lindo texto, bem explicito

    ResponderEliminar
  30. Que bom que me revi aqui! É tal e qual!
    Adoro o texto, adoro ser esta mãe também!

    Isabel
    www.bloggingmycloset.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  31. Eu tb sou essa mãe.. ..mas só tenho um cesariana.....mas um amor inesgotável pelo que saiu dela.

    ResponderEliminar
  32. Culpada, eu sou aquela mãe e com muito orgulho na menina que pretendo acompanhar em todos os passos da sua vida.

    ResponderEliminar