menu-topo

O que correu mal quando vim trabalhar para casa

quarta-feira, fevereiro 06, 2019
Na verdade não posso dizer que correu mal. Foi uma experiência e, como todas, são importantes. Levam-nos a ter foco no que queremos. A corrigir erros. A percebermos o que nos serve. 
Trabalhar em casa não é para mim. Principalmente e em destaque, pelo facto de escrever sobre pessoas e as suas histórias. Não posso estar fechada, sem falar com ninguém todo o dia. Preciso. muito de estar a receber inputs, a conversar com amigos e estranhos, a ver gente e a meter conversa.
Este foi o primeiro ponto. O isolamento. 
Por outro lado, a arrumação. Trabalhar numa casa acabada de arrumar é ótimo,  mas naqueles dias de correria, camas por fazer, máquinas por fazer, matou-me. Havia sempre alguma distração ou tarefa para fazer. Mais do que isso, para mim o ambiente à volta interessa. E se as coisas não estavam como eu queria (de manhã nunca estão) sentia-me mal. Paragem para tratar disto e daquilo, o trabalho vai ficando para trás. Nada bom. 
Por último, e tão importante, foi o não haver cortes e muitas vezes estar uma megera quando o resto da família chegava a casa. Não falava como ninguém, só trabalhava e arrumava, e fiquei uma chata do pior. 
Vir trabalhar para o Cowork Cascais (todas as infos que me pedem sempre aqui) foi a melhor decisão que tomei nos últimos tempos. Faço os cortes que devo fazer, saio de lá e não pego mais no computador se não for uma urgência, estou uma mãe e pessoa mais feliz, e com a vida mais definida. Foi isto que senti. Tudo misturado, sem uma tesourada de uma função para a outra não estavam a resultar para mim. E agora tenho o melhor dos dois mundos. Se me apetecer um dia posso ficar em casa, nos outros saio. Criar esta rotina foi mesmo bom para mim. 
Dicas para quem (ainda) trabalha em casa:

1. Arranjar parceiros. 
Quando estive em casa aconteceu-me a coisa mais maravilhosamente fútil que podia ter acontecido. Deixo-vos uma foto minha (divando ahahah) com o Roomba do IROBOT, (AKA Colega, já que não os deixei de ter ehehe ;)) que me salvou nessa altura, agora e sempre. Já tenho posto uns vídeos no instagram porque foi mesmo um sonho tornado realidade e não me vou cansar de lhe fazer publicidade. Melhor investimento de sempre. Tenho duas manhãs uma senhora que me vai ajudar com a casa e com a roupa (até ao teto). Nos dias em que ela não está nunca aspirei a casa. Foi ele. E tem uma app que podem programar para ele limpar quando não estão em casa. É incrível e aconselho todas as donas de casa a fazerem um pezinho de meia para o terem. Porque podem ganhar muito tempo enquanto ele se encarrega de aspirar todas as divisões. Até o Buddy o ama. 
2. Estabelecer horas e cumprir
Ter tudo muito bem dividido e não deixar as tarefas misturarem-se umas com as outras e, principalmente, não mistrurar a gaveta familiar com a profissional, ou a de lazer. 
3. Parar de vez em quando
E ir dar uma volta, respirar, ir ao ginásio. É importante fazer os nossos cortes
4. Deixar para depois
Cumprir os horários à risca e não ir arrumar a casa na hora de expediente. Agir como se estivéssemos mesmo a trabalhar num escritório fora de casa.
5. Ligar para pessoas e combinar coisas
Um café, um telefonema. A ideia é não se isolarem e tentarem falar com alguém que gostem e se inspirem todos os dias.
Espero que vos seja útil. Mil beijos Rita









1 comentário:

  1. é trabalhar em casa é tramado, porque as tarefas misturam-se muito. pra mim então que a desarrumação mexe com o meu feng-shui...
    obrigada pelas dicas!! bjs

    ResponderEliminar