menu-topo

Ter um filho doente (e não ter uma farmácia).

quinta-feira, março 14, 2019
Foi por isto que quis muito dar a cara por esta campanha. 
Uma coisa que temos por garantida e que, afinal, não é assim tanto...
Quantos de nós já corremos a uma farmácia de serviço, aflitos a meio da noite.. Ou quantas vezes fomos salvos pela farmacêutica que nos deu um ótimo conselho... [Ou quantos testes de gravidez foram celebrados (ou chorados) a seu lado?]
Eu amo a minha farmácia. É mesmo na terra ao lado da minha e fico lá sempre à conversa sobre a vida. 
Ora que neste momento, 675 farmácias enfrentam processos de penhora e insolvência. Ou seja, quase 25% da rede de farmácias em Portugal.
De forma a garantirem a dispensa de medicamentos comparticipados pelo Estado as farmácias têm prejuízo. As mais pequenas, que servem populações mais isoladas e envelhecidas, não estão a conseguir sobreviver.No ano passado, faltaram 60 milhões de embalagens de medicamentos no momento da dispensa.
Esta é a realidade que agora vivemos.
E, por isso, fui até à minha farmácia, onde vou sempre que alguém da minha família precisa, assinar a petição para #salvarasfarmacias
Se partilham do meu medo assinem a petição na vossa farmácia ou aqui.



Sem comentários:

Enviar um comentário