Ser blogger tem algumas responsabilidades.

Tempo de leitura: 2 minutos

Durante estes meus (quase 8) anos de criadora de conteúdos percebi que eu não sou só uma coisa. Não sou só uma blogger de maternidade, de moda, de ecologia, sou tudo misturado e junto tudo o que gosto de falar.
Criar conteúdos é mostrar, também, algo mais que os meus seguidores não conhecem e eu acho que lhes é importante apresentar. Quando me falaram do INCoDe.2030 pensei muito como poderia simplificar a sua linguagem de forma a conseguir passar a importância que tem o acesso à tecnologia digital nos nossos tempos. Uma coisa que temos por adquirida, mas que ainda não acontece em todo o país, nem com a frequência desejada.
Mas afinal, o que faz o INCoDe.2030?
Sabiam que só 60% da população tem acesso à internet?!
Ora que o INCoDE.2030 quer chegar a 90% de Portugal. Como? Bem, assegurando a generalização do acesso às tecnologias digitais, a educação das camadas mais jovens da população através do estímulo e reforço nos domínios da literacia digital e das competências digitais em todos os ciclos de ensino e de aprendizagem ao longo da vida, capacitar profissionalmente a população ativa dotando-a dos conhecimentos necessários à integração num mercado de trabalho, promovendo a especialização em tecnologias digitais e aplicações para a qualificação do emprego, garantindo as condições para a produção de novos conhecimentos e a participação ativa em redes e programas internacionais de I&D.
Ser embaixadora de um tema sério tem a difícil tarefa de conseguir mostrar o seu lado mais apelativo e mais prático, e de que forma se reflete na nossa vida.
Em primeiro lugar, se toda a gente tivesse acesso à internet muitas mais pessoas poderiam conhecer este blog e outros seus preferidos. Eu nem imagino a minha vida sem uma visita aos meus blogues de eleição. Mostram-me tanta coisa nova, o que se passa no mundo. São uma janela real para o que anda a acontecer no planeta. Tanta gente e novos conceitos que me chegou via digital que já não saberia viver de outra forma. A internet ensina, ocupa, inspira. Não são só coisas más. E podemos ir em busca dos temas que mais gostamos. Essa liberdade é única.
Para não falar nas capacidades que nos traz, nas novas profissões, vocações e paixões. Por exemplo, este domingo vou fazer este  workshop que vem exatamente da minha paixão pela fotografia e de como a partilhar no mundo digital. Estou super entusiasmada. Toda a minha profissão passa agora pelo digital. Talvez (certamente) estivesse desempregada se não tivesse acesso a estas plataformas que têm ocupado a minha vida.
Espero que tenha conseguido passar a importância deste tema e desta iniciativa, que pretende chegar ao país todo, até aos lugares mais isolados e o bom que isso traria para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *