Vencedora Passatempo Medela

Tempo de leitura: 2 minutos

 Este passatempo falou-nos ao coração
Os cantinhos foram liiiindos
e todos acompanhados por uma história especial.
Uns mais elaborados que os outros,
mas isso não interessa nada…
Sentia-se AMOR em todos eles.
Vamos guardar para sempre nos nossos corações
e neste blog
a vossa partilha
tão generosa
e útil para outras mães.
(E sempre uma palavrinha simpática em relação ao livro…
Queridas!!!)
A verdade, é que nós mulheres fazemos mesmo o ninho!
A indecisão para escolher só um
é que foi o grande entrave.
Depois de muita volta,
aqui está o cantinho eleito por todos!
 
Parabéns à
Carla Oliveira,
por incluir o pai no processo
e, também, pela teimosia.
É isto que se quer!!! 😉
(Carla vai ser contactada em breve!)
 
 Amamentar… uma experiência vivida a três
«O meu desafio da amamentação, começou ainda antes do nascimento do Tiago. Como tinha mamilo invertido, comecei cedo a preparação do mamilo para a amamentação.
Quando o Tiago nasceu, o meu leite não queria descer… o colostro surgiu ao 6º dia depois do parto, quando todos já não acreditavam que iria ter leite para alimentar o meu filhote. Fui persistente e a bomba não saía perto de mim.
Quem mais força e coragem me dava era o meu marido. Esse acreditou desde o início que viria tarde, mas viria!
Como na maternidade o Tiago foi desde o primeiro dia alimentado com biberão, tive outro desafio pela frente – não pegava na mama! Desta vez, foram os mamilos de silicone que nos ajudaram. Finalmente o meu filhote pegou na mama, mas como estava habituado que o biberão lhe facilita-se a vida, acabava por adormecer rapidamente. Sem dúvida que amamentar é mais uma experiencia maravilhosa que a maternidade nos presenteia. É um momento íntimo que faz com que nos sintamos um só, é como se o nosso filho fosse uma parte de nós que não pode ser separada.
A solução que encontramos foi retirar o leite com a bomba e dar no biberão… um esforço que vale bem a pena!
Hoje o meu bebé tem quase quatro meses e ainda lhe dou leite materno. Não posso dizer que tem sido fácil, mas se por um lado não posso amamentar ao peito, posso por outro, partilhar esta experiência maravilhosa com o meu marido. Sinto que esta situação também ajudou a fortalecer a relação deles.
Assim, cá em casa, o cantinho para a amamentação foi algo pensado para os três. São muitas as vezes em que enquanto retiro leite com a bomba, o papá vai amamentando com o biberão o Tiago. Sinto que desta forma nos tornamos uma família mais próxima.»
Carla Oliveira

4 thoughts on “Vencedora Passatempo Medela

  • Parabéns!!! sem dúvida merecedora 😉

    Sei bem o que passou…..passei pelo mesmo com a diferença que meu leite desceu no 3 dia quando já estava em casa e que minha filha mamou com muito sacrifício e ajudas de muitas santas " enfermeiras " enquanto estive no Hospital 😉 mas as 3 primeiras semanas andava grudada na bomba. Nosso primeiro dia em casa ficou marcado pelo desespero, pensei que ela não mamava…quando uma amiga disse que me emprestava a Bomba da Medela dela ( Obrigada Joana Jorge ). Que alivio… mas muito stress, o medo de ficar sem leite, opiniões alheias, tempo de descanso a menos mas com um propósito vencer! como a chucha era de silicone, lá vieram a ideia dos bicos de silicone que também ajudaram, a bomba ajuda a fazer o bico e insisti tanto que dei por ela a mamar também sem os bicos fiquei muito feliz e mama até hoje com 4 meses e 3 semanas. estou quase a voltar ao trabalho e fui aconselhada pelo pediatra a continuar em exclusivo com a maminha e a Bomba mais uma vez será amiga pois já ando a congelar leite e farei o que for preciso para pelo menos amamentar em exclusivo até os 6 meses 😉

  • PARABÉNS pela vitória no passatempo, mas principalmente pela vitória na sua vida!
    Identifiquei-me com certas partes do seu texto, também não desisti e agora o meu Salvador, com 13 meses, ainda mama! É sem dúvida uma experiência maravilhosa! 🙂
    Sejam felizes!
    Beijos *.*

  • Tal como a Rita diz "A Amamentação pode não ser um passeio pelo parque com florzinhas e passarinhos a chilrear, mas… com a vontade, o tempo, a coragem e a ajuda certas pode acabar por se tornar o momento mais maravilhoso da nossa vida!".
    Eu tive vontade pois não desisti à primeira, ainda hoje necessito de tempo, tive coragem e incentivo dado principalmente pelo meu marido e não posso esquecer das ajudas 5* que me foram dadas (Dª Raquel Sousa e as "tias" do Tiago da USF Calâmbriga).
    Graças a tudo isto pude experimentar um dos momentos mais maravilhosos da minha vida, e acima de tudo, partilha-lo com o meu marido!
    Obrigada!…

Responder a Carla Oliveira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *