O meu (mas mesmo meu) livro do bebé

Tempo de leitura: 3 minutos

Este post diz-me particularmente…
Quer dizer, dizem todos mas andava em busca deste
há muitos anos
e estou muito feliz por partilhá-lo!
Sou a mais velha de 3 irmãos e,
 por isso, sou a única com um livro QUASE completo.
A minha irmã deve ter tido direito ao nome,
peso e comprimento,
e o meu irmão acho que nem livro teve.
Achava que o meu, com tanta mudança de casa,
estaria há muito perdido.
Eis se não quando, fui dar uma arrumação ao caos da arrecadação,
e deparo-mo com A RELÍQUIA!
Foi um misto de alegria e tristeza
porque estava num estado lastimável,
entre o pó e a humidade,
com fotos a colar na página da frente
e tinta a escorregar para o verso.
Os meus pais estão separados (tranquilamente)
e sabe muito bem
poder ver o que provocámos quando nascemos e
o que representámos naquele momento.
(E o quanto os nossos pais eram novinhos!!!)

A particularidade mais engraçada do livro,
para além de eu ser uma balofa,
é que foi todo escrito pelo meu pai.
Até fiquei parva a olhar para o trabalhão que teve
e a pensar que não o imagino nada
a ter este cuidado todo!
Manda bocas, diz piadas
e cola recortes de jornais e revistas.
Nesta foto em baixo estava a defender-me
das más línguas que diziam que eu era um bebé não muito bonito! 😉

Tem a lata de dizer que esperava que o que eu engordasse,
a minha mãe emagrecesse…
Diz que era parecida com ele acordada e com ela a dormir
e não pára com as gracinhas em todas as páginas
como porque é que eu não digo uma palavra aos…
5 meses (?!)
ADOREI!
Depois de percorrer isto,
fiquei aliviada por ter este blog…
Claro que não é a mesma coisa mas, pelo menos, 
aqui não entra pó nem humidade.
Agora vou tentar armar-me em recuperadora 
para salvar este meu passado que foi tão bom e especial.

A minha avó que eu amava a dizer que eu era uma gatinha!!!
Sabe tão bem!:)

Chorei a rir com esta página!

A minha mãe fez o teste e deu negativo…
mas ela sabia!!!

                    
 O Socorro! Sou mãe… também está no Facebook

11 thoughts on “O meu (mas mesmo meu) livro do bebé

  • Bem Rita, nem imagino como se deve sentir…deve ser como se tivesse mesmo encontrado um tesouro!Eu lamento tanto, mas tanto ter apenas 4 ou 5 fotos minhas de pequena…a mais antiga devo ter uns dois anos 🙁
    O que mais me tocou foi realmente o facto de ter sido escrito pelo seu pai.Desculpe dizê-lo, mas acho tão bonito e especial. Uma ternura mesmo, uma coisa que não imagino o meu pai a fazer por muito que gostasse dos filhos!
    Obrigada Rita, veio reforçar o valor que dou a tudo o que guardo dos meus filhos pois um dia quero que eles sintam aquilo que hoje está a sentir.
    Um beijinho especial.

  • É tão bom encontaramos estas reliquias ……e uma ternura enorme
    Eu tambem tenho um livro mas como sou a do meio o meu esta meio completo….mas tenho o jornal do dia em que nasci que o meu pai comprou e juntou ao livro …e eu fiz o mesmo quando os miudos nasceram porque sempre achei piada ter um jornal do dia em q nasci….
    São recordações que sabem tão bem ler…..

  • Que giro! É tão bom mexer nestas recordações e imaginar como seria! Parabéns aos pais por terem conseguido um livro tão engraçado e cheio de histórias 🙂
    Beijinhos

  • que lindo Rita!!! ..são este pequenos pormenores que nos enchem de orgulho do amor dos nossos pais!! adorei… também tenho feito para a catarina ( não tão pormenorizado e criativo!) e confesso que a 3 semanas da S nascer ainda não comprei o dela!!!…mas vou já hj tratar disso!!!

    beijinhos i

  • Olá Rita. De tantos livros de bebé que vi, foi no seu, mesmo seu, que encontrei a maior inspiração. Adorei! E imaginar o seu pai a fazer os recortes, a idealizar as frases, a brincar com a "sua mais que tudo" com tanto carinho, mas como se nada fosse, mostrou-me que o amor é mesmo intemporal. Espero que o meu filho um dia assim pense 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *