Terrores noturnos

Tempo de leitura: < 1 minuto

Durante uma altura o Duarte teve. Começou muito bebé e parou há uns tempos.

Nem percebia bem porquê porque sempre o deitámos cedo e dormia boas sestas. Não sou de excitar bebés, ou andar em alvoroço com eles. Sou mais das que hiberna porque tenho bebés de inverno e que vive para que tenham sonos certos e tranquilos.
De vez em quando, ele acordava -ou não – esperneava que nem doido, gritava e tirava as nossas mãos de cima dele.
Era assustador. O meu filhote carinhoso, nem parecia ele. Não se podia sequer tocar. Completamente pocesso. 

Do centro do meu instinto, a minha vontade era pegá-lo ao colo, acalmá-lo, e falar com ele. Tudo errado. Tudo isto piora. Tudo isto faz aumentar a crise.
Na verdade devem ultrapassar isto sozinhos. É só ver se estão num sítio seguro onde não se possam magoar e esperar pacificamente pelo fim. (Um stress porque pode demorar 15, 30 minutos nisto…)
Hoje teve outra. Estou aqui desconfiada que pode ser por já não ter sesta na escola. 
Ele é de Dezembro. Faz quase 1 ano de diferença para os mais velhos. Já tinha pedido para ele dormir, mas é difícil porem só um na desta, quando todos os amigos estão a brincar.
Aqui vai este link para quem tem disto em casa.

11 thoughts on “Terrores noturnos

  • O meu filho de quase 15 meses há pouco tempo começou a ter um ou outro episódio de agitação e choro inconsolável durante a noite que me têm deixado na dúvida se serão ou não terrores nocturnos. Se o tentamos acalmar, acontece precisamente o que descreve. Rejeita-nos e fica ainda pior, nem parece ele, parece que se transforma. Se tivesse a certeza que era um terror, por mais que me custasse ficaria a aguardar que lhe passasse, mas não tendo a certeza acabo por precisar de me certificar se será outra coisa qualquer… enfim, verei nos próximos tempos se volta a acontecer ou não.

  • Olá Rita! Nunca comento, só leio, mas hoje senti o dever de partilhar a minha experiência como mãe com uma criança que teve terrores noturnos. Tenho duas filhas e a mais velha teve terrores noturnos. é realmente como descreve e também cometi o erro de "ajudar" a acalmar. Claro que foi errado, só soube mais tarde. Em relação à minha filha só melhorou aos 4 anos. Segundo o pediatra por vezes acontecem quando o cerebro não consegue "digerir" as emoções (mesmo as boas ex: festas, algazarra…). A minha filha tinha noites piores quando tinha dias de festas (mesmo que não fossem até tarde ) e piorava quando não dormia a cesta. Sempre tive o cuidado para não a excitar e deitá-la cedo, mas mesmo assim não "curou". Agora com 9 anos só tem esporádicamente. Para meu consolo a minha mais pequena com 4 anos não padece do mesmo. Só uma observação admira-me uma criança tão pequena já não dormir a cesta na escola. A minha de 4 anos dorme a cesta e dormirá até dar entrada no 1º ano (Escola Pública ). Não será cedo demais tirar uma coisa tão boa a uma crinaça tão pequena? Desculpa o testamento.

    Sandra / Funchal

  • Sim… A Carminho tem, não com frequência, por volta dos 12/15 meses tinha mais, mas de vez em quando a meio da noite acordamos com ela a chorar "desalmadamente" sem acordar… e às vezes agitada… é aguardar que passe mesmo, porque parece que eles nem nos ouvem… Felizmente passa, mas é angustiante vê-los assim.

  • A minha filha, por volta do 2 anos e meio sofreu desse mal e foi de forma contínua durante mais de meio ano
    "Acordava" a tremer, chorar, berrar, completamente transpirada, mas ao mesmo tempo nem me via…
    No caso dela pegar-lhe e agarrá-la aconchegando-a com uma mantinha resultava, mas sem falar, que a voz despoletava a crise
    O mais curiosos é que era sempre por volta da mesma hora…
    É angustiante para nós, mas o melhor é que ela, pela manhã, dizia sempre que tinha dormido bem!

  • Olá Rita! A sara tinha muito esses choros… acordava de noite com gritos e tentar acalmá-la era pior ainda! parecia que virava bicho… custava-nos muito pois só ela mesmo é que se acalmava, não podíamos fazer nada! muitas idas à varanda pelas 3 da manhã apanhar ar…uiiii … mas já há muito tempo que não têm… A catarina com 4 anos 1/2 ainda dorme na escola, e ainda bem senão ninguém a aturava! …faz muito bem uma sesta à tarde …
    beijinhos e força para as noites!

    inês

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *