Dos dias sem ela.

Tempo de leitura: 3 minutos

Chegou. A minha gorda chegou a casa de 50 5 dias de acampamento. Foi a vez que estive mais tempo afastada dela. A casa ficou mais vazia, a família ficou mais estranha, [o boy andou delirante de ser filho único por momentos].
Sei que há mães que acham isto ridículo, mas a mim custa-me.
Foi acampar com as Guias para Idanha a Nova (imaginem!!!), em tendas (imaginem!!!), entre trovoada, chuvadas fortes e um frio do caneco (imaaaaginem!!!!). Dos cinco dias só tomou banho um (e frio!!!). E só tivemos direito a um telefonema, tipo prisioneiros.;) Mas foi.
Sempre decidida, apesar das nossas inseguranças. A minha maior era o caminho, a estrada.
Veio crescida, feliz e mais rica. Pertence ao grupo das mais novas e disseram-me que foi exemplar. Sempre bem e só chorou uma vez, no meio de choradeiras diárias das amigas.
Um dia uma chefe perguntou-lhe: Maria, tu não choras de saudades dos teus pais?
E ela respondeu: – Eu não choro por fora, mas choro por dentro.
E esta é a minha girl. Uma mini pessoa com uma força gigante, uma segurança quase inabalável e um espírito de aventura que a leva a estar bem em qualquer situação.
Tão bom ires, meu amor, e ver-te voar, mas muito melhor é quando voltas e preenches do teu ser enorme o nosso coração.

13 thoughts on “Dos dias sem ela.

  • É tão bonita e estas fotos, mais uma vez, maravilhosas! Eu não sei se terei coragem para tal com essa idade… deixa-los ir significa enfrentar um monte de preocupações internas, sem lhes dar voz e deixa-los aproveitar. Receio não conseguir tal. 😉

    • Olá!!! Sim custa mesmo muito. Mas ela queria mesmo tanto ir e teve um ano tão duro que não consegui dizer não. Agora não me arrependo mas custou muito. 😉
      Um beijinho enorme e boa Páscoa

    • Olá! Percebo o que diz mas aqui ninguém leva a mal. Chamo gordinhos aos meus filhos, marido, à bebé que aí vem, aos filhos dos amigos. Eles já perceberam que não tem a ver com o tamanho. Acham que é como fofinho, por exemplo. E é! 🙂

  • Num post anterior eu referi isso mesmo que só lhe iria fazer bem…chegasm exaustos, com sono, às vezes com arranhoões, com as roupas amontoadas nas mochilas, mas muitos felizes e cheios de histórias para contar. Tb sou mãe de uma guia Lobita e um guia explorador…e acredito produndamento nos ensinamentos escutistas "……Fiquem contentes com o que possuem e tirem disso o melhor proveito. Vejam o lado bom das coisas em vez do lado pior."Um bjho de uma fã

  • Isto é ser Mae! é desprovermo-nos dos nossos sentimentos, medos e angustias e deixá-los voar!!!!tão importante estas experiências!!! Isto sim, fá-los crescer, dar valor, ter saudades…Bravo Rita!

  • Tão crescida e bonita que está… Acho que ia passar muito mal se a minha filha fosse acampar 5 dias… Be, ela tem só 2 anos. Pode ser que, até, lá eu melhore um bocadinho este apego. :p

  • Os meus são escuteiros, acampam imenso…
    A 1ª vez que o meu filho mais velho esteve 5 dias fora eu pensei que ia morrer… juro! Foi horrível!!!
    Aprendi com o tempo, que a experiência é boa para eles e para mim… Hoje ainda me custa vê-los ir… Mas faz-lhes tão em a eles quanto a mim… E a grande vantagem é que eles crescem imenso, amadurecem!!! Sim, sou mãe galinha!!
    Quando eles chegam temos conversa até às tantas, as aventuras e desventuras são tantas que eles atropelam-se a querer contar tudo…
    Um beijinho e parabéns pelos filhos lindos… e pela barriguinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *