Estou aqui com uma grande dúvida!

Tempo de leitura: < 1 minuto

[Homens, crianças e enjoadinhos não vale a pena lerem isto.]
É um assunto um bocado blhercccc mas vamos ser fortes.

Já ouviram falar do Seeding, ou em português semear?! Nome técnico: microbiota!
Ora bem, quando o parto é vaginal o recém-nascido é exposto pelo canal do parto a uma série de bactérias boas, umas 300, que vão ser super úteis nas defesas imunitárias dos bebés/crianças. Imaginem muitas vacinas naturais…
Mas quando é cesariana, nada passa por ali, e isto não acontece.
Esta situação tem dividido opiniões. Uns acreditam que para além das bactérias boas, também passam as más, e que não há necessidade. Outros acham imperativo e dizem que se as análises estão boas não há que temer e então fazem o tal Seeding. Principalmente não se tratando de prematuros ou de bebés de risco.
A ideia é fazer um esfregaço vaginal antes do parto e imediatamente depois, o quanto antes, passa-se na cara, boca e corpo do bebé. A colonização não é exatamente igual como se fosse de parto normal, mas dizem os adeptos que é sempre melhor que nada.
Depois de ter explicado tudo isto [coisa apetitosa para tempo de Páscoa] queria saber quem pediu o Seeding e porquê, quem não pediu e porquê.
Pode ser? Só mais esta dúvida, ok???
[Ah afinal mais esta: e quem fez seeding deixou pôr colírio nos olhos?] Obrigada!!!!!!!

25 thoughts on “Estou aqui com uma grande dúvida!

    • Ok. Mas se é, poderia explicar melhor porquê? É que aceito tudo, que pode ser parvoíce… ou não ser. Para mim, até faz sentido. Mas sim, pode ser ridículo, mas estou a pedir uma opinião válida e não uma opinião subjectiva…

    • Não é aproximar o parto. É aproveitar as vantagens que se podem do vaginal para a cesariana. Não hão-de de ser a 100%, mas se se passar alguns anticorpos já é uma vitória, não?

  • Se tivesse com que se ocupar não pensava em parvoíces. Um parto vaginal é um parto vaginal, uma cesariana é uma cesariana.
    Os seus dois outros filhos não são saudáveis? Então para que inventar? Tanto querem ser diferentes que já não sabem que mais fazer para chamar a atenção.

  • E já agora comentários construtivos que eu também gostava de saber!
    Rita, ainda bem que de vez em quando há pessoas "com tempo livre" que vão questionando o que se passa no mundo. Diria que é o que faz girar.
    Beijinhos e espero que alguém a esclareça.
    Sílvia Monteiro

  • Querida Rita, nunca ouvi falar no termo, nem sequer posso ajudá-la, pois tive parto vaginal. Quem conheço que tenha tido cesariana, também nunca falou dessa técnica. Estou aqui apenas para lhe dar os parabéns por todas as informações que vai publicando, que são de uma grande utilidade. Há quem encare a informação como parvoíce; eu encaro-a como saber. Com certeza que muitas mães irão olhar a cesariana de uma forma absolutamente diferente! E obrigada por tudo. Tem-me ensinado muito. Maria.

  • Eu também ando a fazer algumas pesquisas sobre este assunto. Pode tentar ver um documentário que aborda este tema (microbirth.com). Também foi um assunto referido na reportagem da sic "No tempo das cesarianas".

    Até à data, parece-me um assunto muito pouco divulgado entre a comunidade médica em Portugal. Nas visitas que fiz a maternidades ninguém tinha ouvido falar. O meu obstetra também não conhece os detalhes mas acha que deve estar mais divulgado entre os pediatras.

  • Pelo que li, sabe se agora que a prática acaba por não trazer grande vantagem pq as bactérias em questão morrem ao contacto com o ar. Ou seja a criança tem.mesmo que passar lá por dentro. Mas se assim não fosse teria todo o sentido sim.
    Assim: Magda

  • A pergunta é parva, imagino eu, mas perguntou ao seu médico? Por acaso tenho curiosidade em saber o que o Fernando Cirurgião pensa da prática 😋
    Eu nunca tinha ouvido falar no termo. Nas bactérias boas do parto vaginal, sim. Mas em tentar aproximar os partos nesse sentido, não!

  • Nunca tinha ouvido falar mas parece-me totalmente interessante. Estou a contar com parto natural mas, em caso de cesariana, faz-me sentido o "seeding".
    Claro que teria que pesquisar bastante sobre isso e informar-me sobre os benefícios dessa prática.
    As coisas que aprendo por aqui. 🙂 É por isso (também) que gosto de aqui vir.

  • Olá Rita.

    Consulte o site da associação portuguesa pelos direitos da mulher na gravidez e parto, lá tem "O Plano de Parto". Na parte referente à cesariana fala da Microbiota, pode ser que ajude. Caso não seja suficiente pode pedir lhes esclarecimento acerca do assunto.

    Tudo de bom.

  • Rita não é colírio. É um medicamento muito importante para prevenir cegueira no bebés e crianças. Estes procedimentos são implementados após muitos estudos e debates sobre o assunto , não é só porque sim.
    O vernix não é retirado a nenhum bebé. PelamordeDeus.
    seeding parece óptimo, peça: Agora não negue o "colírio " à sua bebé.

    • E claro que nem me dou ao trabalho de ir a um blog ler sobre o nascimento… Fio-me em documentos médicos oficiais. O parto é um momento importante a nível emocional, com td a certeza, mas tb um risco de vida p a mãe e bebé. Não vale a pena estar a "achar". Os profissionais fazem o seu melhor.
      Plano de parto é um pouco escusado ( não quero ser estraga prazeres)- todos os medicos lhe vão aconselhar um parto normal, caso não haja contraindicações ( cesariana anterior não é). Em caso de emergência o parto é cm tem de ser, e a emergência pode acontecer em qq momento, seja pq amãe não está bem ou o bebé.
      Eu sei que na linguagem escrita o tom pode ser mal interpretado, mas este comentário vem com boa intenção.
      Um beijinho e uma hora pequenina( um minuto;) )

  • Olá Rita!
    Adoro o seu blog e embora não costume comentar hoje vou fazer de "advogada do diabo"!
    Depois de ler o seu post fui ler alguns artigos sobre "seeding" e como tive duas cesarianas e trabalho em reprodução animal, fiquei curiosa…
    Algumas questões que penso que deveriam ser colocadas:
    -durante o parto vaginal ocorre ruptura da bolsa, pelo que o habitat das bactérias deve sofrer alterações;
    -quando o bebe passa pelo canal obstétrico não respira, a passagem do esfregaço é antes ou depois de cortar o cordão?
    -a passagem pelo canal obstétrico implica algum tempo (por muito rápido que seja o parto) em que o bebe é espremido, não tendo sido espremido essas bactérias não poderão ficar alojadas nas vias respiratórias e ser prejudiciais?

    Como disse são algumas questões que me parecem fazer sentido!

    Bjs
    C

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *