É oficial. É como ela quer.

Tempo de leitura: 2 minutos

Não se acanha a minha baby Madalena. É aqui e agora. É observadora, determinada, dá muuuuitaaaa luta a adormecer, já ri algumas vezes e sim, é voluntário. 

[Alguém me disse aqui num comentário que voluntário só a partir dos 2 meses. Mas asseguro-vos que isso devia ser antes. A minha filha já se riu, conscientemente, para todos cá em casa.]

É uma delícia de um bebé, comilona e gordinha. Quem a viu e quem a vê. Nem parece a mesma que conheci há um mês e meio no bloco de partos. 
[Aliás, esta bochechuda aqui em baixo comeu a minha. ;)]

Há noite e na rua é a maior santa. Nem se ouve. Já em casa é mais difícil. 
Sou das que dou colo. Dia e noite. Sem medo que “fique mimada, que se torne insuportável, ou que tenha problemas mais tarde” como me dizem ainda algumas pessoas. 
[Ok! Também acho estranho que estas coisas só aconteçam em casa. Deve ser a trepidação urbana que os acalma e cura.]
Não consigo “deixá-los a chorar”, a “treinarem pulmões”, ou lá o que seja… As minhas hormonas não permitem. 
Por isso, ou evito vir para casa – benditos dias de calor – ou dou colo.
Sou das que acha que isto não existe em excesso e só dá em crianças seguras e felizes. Que este mimo são injeções de confiança, aliança, empatia. 
Não tenho horários, tudo roda à volta dela e se fica tranquila ao colo, é isso que dou.
A baby Madalena bolça muito. Às vezes passaram horas desde que comeu ainda tem algo para sair. Fica ali às voltas e nem ela descansa, nem eu. Até ela estar tranquila vem para o colo. Simples.
Deitada não consegue resolver, nem descansar. 
E por isso os meus dias têm sido duros para as costas, mas cheios para o coração. Até porque afinal #socorroelescrescemtãorápido 

12 thoughts on “É oficial. É como ela quer.

  • Se há coisa que me arrependo em relação à primeira infância do meu filho é de não ter dado colo em abundância. Há quem diga que damos colo não pela necessidade que o bebé tenha, mas pela nossa própria necessidade de o acarinhar assim, ou de apaziguar algum medo nosso. Que seja!
    Boa, Rita, autenticidade e fidelidade a nós próprios, primeiro do que a qualquer ideia ou sugestão exterior. Mães perfeitas não há. Pelo menos, que hajam autênticas!

    • Ola Rita, tenho dois rapazes cá em casa um com 6 outro com 2. Sempre comeram muito bem e acontecia exatamente a mesma coisa bolsavam muito. Inicialmente fiquei um bocadinho preocupada, como ficamos em relação a tudo, mas a pediatra disse me que se "deitam fora" e porque está a mais. Decidi apenas reforçar as babetes. E já agora tive o mesmo problema de costas, dei e ainda dou muito colinho (aos dois) e não me arrependo nada nada.

  • No mesmo barco. Oito meses e ainda sou brindada. Estarem mais elevados uma boa meia hora depois de comer no nosso colo ajuda 🙂 o que mais irritava era que se a tivesse de vestir pouco tempo depois de comer assim que a levantasse do trocador tinha de trocar a roupa dela, a minha e as vezes limpar o chão :p mas como a chata aliava os brindes a diarreia por vezes tinha mesmo de trocar tudo depois de comer. Agora com os sólidos acontece menos, mas não passo :/
    Sorrir intencionalmente, a minha foi as 3 semanas, para os da casa quando nos via havia sempre festa.
    Muito colo Rita, cheguei a andar marrecadas e com dores valentes nas costas ( e ouvidos de tanta crítica) mas aos três meses ela quis a vida dela, deixou de gostar de apertos ou embalos e ficou a saudade 🙂 aproveita cada segundo. Ainda não sei como passaram 11 anos do primeiro e os oito meses desta. Tive-os ha cinco minutos., podia jurar! Beijinho

  • A minha primeira filha não dormia Praticamente o dia todo (e mal dormia à noite ) e se estiveresse deitada ou na espreguiçadeira era um berreiro. Também nunca consegui deixar berrar.. Dava muito colinho pois achei que era o que ela precisava e o meu cansaço não aguentava o choro! Passados 3 anos não noto que o colinho a tenha "estragado"! Beijinhos e força

  • Olá Rita! Adorei o seu livro "Socorro sou Mãe" (foi o meu curso pré parto, segui tudo e foi graças a ele que consegui amamentar até um ano os meus filhos! Recomendo a toda a gente!). Por isso não posso ficar indiferente a este post e tenho que aconselhar que faça uma sessão de Osteopatia (pediátrica) para resolver o bolsar da Madalena! Se tiver alguma dúvida que queira esclarecer pode mandar MP no facebook! (Madalena Sommer Ribeiro) Beijinhos

  • Também tenho uma Madalena, que fez seis aninhos em maio, a quem dei colo e mais colo… a minha Madalena dormia (e dorme) muito bem, mas durante o dia adormecia no meu colo. Nunca tive problemas em a colocar na cama depois de adormecida e aos 4 meses coloquei-a no quarto dela, na caminha dela. Sempre dormiu as noites todas e na grande maioria das noites adormecia na caminha, durante o dia… colinho!
    Também bolsava e sempre achei que era por mamar demais (na mama da mamã a quantidade não é controlada), só melhorou quando começou a comer a sopa e a fruta lá pelos 7 meses.
    Depois de mamar mantinha-a no meu colo direita junto ao meu peito assim bolsava menos e tínhamos mais miminho, tão bom…
    Ainda tem bochechas e só agora é que o peso está de acordo com a altura.
    Depois de começar a andar aos 14 meses, parece que foi tarde, nunca pedia colo e cedo deixámos de usar o carrinho pois ela sempre quis palmilhar pelo próprio pé…
    Ainda não descobri o problema do excesso de colo…
    Muitas felicidades para as Madalenas…

  • Quanto ao riso, cad criança é única e diferente. Por isso é normalissimo ela já se rir é um excelente sinal de ser feliz e amada.
    E quanto ao resto o #socorroelescrescemtaorapido resume tudo! ❤
    Beijo enorme,
    Carolina Melo

  • Olá Rita, acho que nunca comentei mas hoje não resisti. Acompanho o seu blog desde o início e identifico-me com o seu modo de educar. Tenho um menino com 5 anos e tive uma menina no dia 20 de abril deste ano. Tem tantas semelhanças com a sua Madalena. A minha nasceu com 2770g mas ninguém já se lembra. Já pesa mais de 4500g, mama quando e onde quer, rabugenta para adormecer e adora colinho. E eu adoro também (as minhas costas já é outra conversa…). As noites são melhores que os dias, na rua é melhor do que em casa. E sim, também já sorri, com toda a certeza e intenção. É a cara do mano tal como acho que a sua é a cara do dela. Desejo-lhe tudo de bom! Beijinho

  • Rita a minha filha tem 14 meses e ainda hoje bolsa. Sempre bolsou muito muito, e mesmo depois de ter dormido 8h seguidas acorda e lá vem um arrotinho. Como não conseguia descansar no berço dormiu sempre muito no meu colo, direitinha quase de pé para conseguir descansar. Rebentou-me com as costas, mas não interessa. sempre lhe dei todo o colo que ela e eu queríamos e não me arrependo nada. Agora raramente quer colo, e é tão mas tão feliz e dona do seu nariz que não sei a quem esta garota sai. Sim, eles crescem tão rápido.
    Um beijinho de uma fã do seu blogue.
    Manuela.

  • Querido Rita é a primeira vez q a qui escrevo mas sou uma leitora assídua…
    Eu tb sou Rita e tb tenho 3 pequenos cá por casa… só para dizer que fui e sou aplogista de muito, muito colo. qual treinar pulmões qual quê, qual adormecerem sozinhos no escuro. N. Eles fogem-nos por entre os dedos. Enquanto pudermos, sim! muito colo.dá trabalho? sim, por vezes ficamos de rastos, mas cheias, tão cheias. Mil bjs e tudo a correr bem!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *