Odeio delegar a maternidade.

Tempo de leitura: 2 minutos

E, por isso, estou a escrever este post a dormir em pé.
{Olhem dois dentinhos amorosos e que, às vezes, também mordem.}
É a primeira vez que amamento um bebé com dentes porque os meus outros só tiveram com 11 meses e já não dava… Não é um bicho de 7 cabeças e continua a correr tudo bem com a amamentação. À noite custa um bocado mais mas é a vida… Não tenho prazo para acabar. Será quando der para as duas.}
Posto isto…
Não tenho parado um bocado e, por mais estranho que pareça, acho que o terceiro filho é uma grande mudança.
Ouvia dizer que o terceiro era com uma perna atrás das costas mas não concordo mesmo. Só há dois pais, dois colos, duas mãos, … há mais roupa, mais louça, menos tempo. Poderemos de ter de mudar de casa, de carro… mas, apesar de não ter ajudas no dia a dia, estou mais feliz que nunca.
Mudamos nós. Estamos mais calmas e a aproveitar tudo. Os bebés também costumam ser mais tranquilos e pacientes. Mas há muito mais trabalho a fazer!
A minha Madalena é um amor. Vai para a creche a rir e volta igual, como se a vida fosse um carrossel. Come, dorme e ri. E assim se repetem os meus dias. Bons.
Entregues a eles, à lida doméstica, ao declinar programas em prole da harmonia familiar. Vou, cheia de saudades buscar a bebé, depois o boy e depois a girl. Tudo a horas diferentes.
Tenho a sorte de ainda estar a gozar do horário reduzido e aproveito para ir ao supermercado sem eles. Há banhos, tpcs, jantar, arrumar a casa.
Chegar depois das 19h a casa já me deixa em nervos.
É uma cadeia repetitiva mas boa.
Podia ser uma blogger cheia de glamour mas não. Nada me anima mais que descobrir dois dentinhos novos e nada paga os momentos mais normais da nossa vida.
Estar com eles é algo que não gosto de delegar. Podia nadar em dinheiro que não trocava isto por nada. Juro.
Serei o retrato da maioria das mães? Ou conseguem ter vida própria?!

7 thoughts on “Odeio delegar a maternidade.

  • 🙂
    De momento a minha "vida própria" é deles (uma com 5, um com 2, e um na barriga)…
    Daqui a nada (que ainda serão alguns aninhos, mas passam em menos de nada… pelo menos não "dei conta" dos ultimos 5 anos passarem) já "não precisam de nós" a todo o tempo… Termos bem mais tempo para outras coisas, a que muitos chamam de "vida própria"… Aí sim, para mim (não somos todas iguais, nem aspiramos as mesmas coisas)… Mas de uma coisa tenho a certeza… Por mais caótica que seja esta fase, de certeza que vou ter saudades…
    Beijinhos

  • Concordo plenamente. E achei o mesmo, de 2 para 3 muda muito. Do meu lado vamos crescer novamente, e a verdade é que tenho medo. São gémeos! E se tem dias que acho que vou ser a super mulher e arranjar-me, tem outros que tudo me parece difícil e penso se terei tempo para dar aos 5 e ao marido-

    Desculpa o desabafo…coisas de grávida, eheheh.
    Adoro ler o blog 🙂
    Abraço

  • Penso da mesma forma. Emociono-me ao ler os seus textos. Nos dias de hoje é raro uma mulher não confundir uma maternidade de coração com os direitos que nos assistem como mulheres. Não deixo de ser eu, de ser mulher mas não troco ser mãe a 100% mesmo que por vezes esteja tão cansada. Parabéns por ser uma mãe linda e com um coração gigante. Sigo o seu blog atentamente.

  • a fase de bebé passa tão depressa. E no terceiro filho já sabemos que o tempo voa e que tudo tem de ser vivido com intensidade e aproveitado ao máximo.

    Eu não largo a minha filha bebé, dorme comigo, mama (tem 14 meses) e estou sempre a cheirá-la.
    Chegará a o tempo em que ela vai querer o seu espaço, até lá sou uma lapa. Como fui para os irmãos 🙂

    Revejo-me muito em si.

    Tudo de bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *