As palavras que SEMPRE vos direi!

Tempo de leitura: 4 minutos

(Som de chicotadas….)
Sim, eu sei e peço desculpa a todos!
Nem sempre tenho tempo de responder aos emails,
mensagens e perguntas que (tão queridos!!!) me fazem.
(Mais chicotadas!!!)
Mas não pensem que não estou nem aí…
Não! Estou bem aqui,
só que às vezes não consigo mesmo!!!
(Please, dear God turn my day into 36 hours!)
Depois de ver que isto acontece a mais pessoas
roubei a ideia aqui para responder
 – em geral –
às várias questões que me colocam.
Primeiro OS ERROS!
(stauuuu!!!)
Obrigada a todos que corrigem
– quase sempre em mensagem privada o que é muito simpático –
as minhas falhas ortográficas.
Às vezes faço os posts no telemóvel
ou de madrugada
o que torna tão fácil, mas tão fácil,
cair em desgraça…
No excuses!!!
Por isso, um grande abraço para vocês
que eu também não gosto
de dar pontapés ou arranhar a nossa língua.
No entanto, quero que saibam que
tenho em mim um pequeno Mia Couto
que gosta de inventar novas palavras
e por isso não estranhem…

E agora,
The truth and nothing but the truth!
 As gravidezes?
Adorei estar grávida.
Não pelo peso, nem pelos enjoos
e vómitos durante 4 meses,
nem pela azia final
– que nem me quero lembrar –
mas por senti-los dentro de mim.
Não há nada mais mágico.
Aquele início das borboletas na barriga
– reparem que é quase a mesma sensação de quando estamos apaixonados –
e no final em que se percebe que é um pé, uma mão ou o rabinho…
Tenho muitas saudades desta sensação maravilhosa, única
– e tãããoooo egoísta!!! –
 
Quanto engordei?
A sério que não me lembro bem!
Apaguei da minha memória
mas vou pesquisar no livro da grávida
e voltar a pôr aqui.
Por volta de 15 quilos, acho,
 sendo que NUNCA me pesei no último mês.
Ligo pouco a pormenores…
 
Enjoei o quê?
O cheiro do sofá da sala.
”Mai” nada!!!
Maravilhoso para quem esteve 7 meses
 de baixa de risco fechada em casa.
O sofá hoje não tem cheiro…
Na altura, sentia-o a milhas de distância
e era o que me levava de urgência ao W.C.
todas as manhãs!
Só enjoei na gravidez da girl.
 
Os partos?
Foram duas cesarianas,
 uma a forceps
(sim, isto existe!)
A primeira, da girl, foi muito dolorosa
e tive uma recuperação lenta e dolorosa.
A segunda, excelente.
 Ao segundo dia corria no hospital
 atrás da minha filha quando me foi visitar.
Sempre quis ter partos naturais
mas não houve qualquer sinal
(nem contrações ou dilatação)
na primeira.
Depois, o boy, esperei até às 40 semanas e
nada de nada….
Por serem tão próximos
 e as cicatrizes estarem ainda frescas
o médico não quis arriscar…
e cá estou eu sem saber o que é um
beautiful and natural birth.
(sim, sim  é uma mágoa mas, olhem,
estão cá os dois e cheios de saudinha
 e isso é o mais importante)
 
Babyblues?
Sim, sei o que é!
Senti e muito caladinha fui à procura de perguntas na internet.
Afinal não era tão raro assim
e fiquei chocada por haver tanta falta de informação.
Passou numa semana. 

Amamentação?
Da primeira só 1 mês e meio
 sempre com suplemento
  (mais chicotadas!!!)
mas não estava em condições
nem tinha informação
para mais…
– Ai se fosse hoje!!! –
Do segundo,
dei 6 meses e meio e
 – tirando aquele início que todas sabemos –
foi maravilhoso!
Só não dei mais tempo por motivos profissionais…
Fiquei uma ”pro”, era em qualquer cantinho,
ele comia livremente ao longo do dia e noite,
 mas só mamava 5 minutos (juro!!!)
Won-der-ful!
(Isto para quem pensou que numa próxima gravidez
ia secar o leite logo na maternidade…)
 
Quanto tempo de distância?
1 ano e 10 meses
porque quis ter filhos próximos.
Arrisquei, claro, o parto normal
… e perdi!
Voltar a engravidar?
Acho que não mas…
Antes de ser mãe queria ter 3 filhos.
Agora com dois,
não sei se por ter um casalinho,
estou muito contente!
Para além disso,
 talvez por estes 3 anos terem sido
muito intensos
sinto-me um bocadinho cansada para uma gravidez
e aquele princípio das 3 horas 3 horas  3 horas
(e é quando são…)
 but who knows?!

Sempre quis ser mãe?
Sempre tive o instinto maternal, sim!
Tomava muito conta de crianças
e sabia que queria ser mãe, um dia…
Depois quando conheci o meu marido
(quer dizer, já o conhecia há 10 anos
mas quando começámos a namorar)
essa vontade tornou-se muito forte
e enfim…
foi pôr mãos à obra!
🙂 
Se tiverem mais…
chutem!
Beijinhos
  Fotos: Caras, Lux, Nova Gente 
e esta última do projecto maravilhoso
do Salvador Colaço
Be yourself
espreitem que vale mesmo a pena!!!
Podem e devem ser fãs AQUI! 
 
 P.S. I love you!
P.S.2: Obrigada pelas ideias de posts, fotos, mensagens, força, dicas, tricas, elogios e até às bocas menos simpáticas. Gosto de tudo!
 

8 thoughts on “As palavras que SEMPRE vos direi!

  • Oh Ritinha…
    Pronto… estou aqui de coração apertado… a sua escrita tem este efeito em mim… parece que a conheço desde sempre, e que está na minha vida e me ouve os pensamentos :)))))))))) Gosto de si! De "a ler", de a ver, de aprender, de imaginar…
    OBRIGADA eu… por tudo isto e muito, muito mais!
    Célia Pinto

  • Adoro os teus posts Rita, e sinto que colocas tanto sentimento e emoção nas tuas palavras que fica tudo tão real. Vê-se que escreves o que sentes, e isso passa para este lado, o da leitora 🙂

    Este post como outros mais pessoais tocam-me sempre e fazem-me recordar o bom que foi estar grávida e a dádiva que é ter um filho (apesar das noites mal dormidas) eheh

    Beijinhos

  • Oh….Rita,

    Umas calinadas no Português todos damos…..aos pé dos post's fabulosos que escreve….não tem expresão …. nem se sentem !!!!
    Continue isso sim, é tão bom ler ….as suas esperiencias…as suas dicas …enfim tudo tudo tudo !!!!!!

    é normal que não consiga responder, mais que normal , tem a sua vida..o trabalho ..o blog…as crianças….
    Ter os post's já é mais que bom é OPTIMO !!!!!!

    Um beijinho grande pelo esforço que faz nesta partilha….

    OBRIGADO
    Raquel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *