Aprenda a Salvar o Seu Filho!

Tempo de leitura: 3 minutos

Começámos este curso todas frescas
e cheias de piadas e risos…
À medida que o tempo foi passando,
os sorrisos foram desaparecendo
e, só vos digo…
NÃO FOI UMA MANHÃ NADA FÁCIL!
O convite para o
Curso de Suporte Básico de Vida Pediátrico para Pais
foi feito pela Ordem dos Enfermeiros da Secção Regional do Sul
a algumas bloggers.

A Maria Guedes CLARO já conhecia
– foi ela que fez as ilustrações deste blog – 
as outras só via blogoesfera, nunca pessoalmente.
Eram elas, a Sofia do Entre biberons e batons ,
a Ana do A melhor amiga da Barbie
e a Olga do O Rei vai Nu.
Umas queridas mesmo, simpáticas e
boa onda, que adorei conhecer!!!
Acho que estávamos todas na mesma frequência
que era basicamente:
Não-tenho-estômago-para-isto-
mas-agora-é-chato-abandonar-a-sala!”
Primeiro falaram-nos dos acidentes domésticos:
dedos entalados nas gavetas,
tomadas, banhos, luzes de Natal, etc…
Difícil! Mas uma brincadeirinha ao pé do que vinha aí.
Passámos depois para a febre, convulsões e asfixia.
Aqui já não ríamos de todo mas ainda
conseguimos dominar o stress.
Ainda ouvimos a Maria Espírito Santo da Imaginarium
que falou da importância da segurança nos brinquedos,
mas isso fica para um post à parte
porque tem pano para mangas…
Até que passámos para o CURSO em si
e era ver as nossas caras…
Não sei se se passou com elas,
mas eu tive dores de barriga de nervos MESMO!!!
Muitas vezes dei por mim a respirar fundo,
tal era a falta de ar…
Bem, no fundo aprendemos numa manhã
(costuma ser um dia inteiro)
a reanimar um bebé/criança.
A saber como agir e reagir numa situação de emergência.
(E como é que eu vivi 36 anos sem saber isto?!)
Com estes passos todinhos
 –  e algum treino nos nenucos cá de casa –
e sinto-me muito mais segura,
embora reze para que nunca seja preciso.
Na verdade, devia ter feito isto há muito mais tempo.
Antes de ser mãe.
Aliás, toda a gente devia ser obrigada (na escola,
no trabalho, nos tempos livres),
a saber salvar uma vida quando/se fosse preciso.
Não posso dizer mais nada se não que ADOREI,
que aconselho TODOS a fazerem.
Os enfermeiros – o Pedro e o Walter –
muito simpáticos, ensinaram-me talvez a coisa
mais importante que aprendi na vida!
E no finalzinho
(só para descontrair)
quando nós perguntávamos que pressão devíamos
colocar sobre a omoplata dos bebés
quando fazemos aquela coisa
do One Two Tree CLEAR
responderam que devemos de cantar
ao ritmo do: Ah Ah Ah Staying alive…
Uma graçola só para quebrar o gelo
mas que serve para nos lembrarmos sempre do ritmo
a que devem ser feitas estas compressões
e de forma compassada. São 30 para duas 2 insuflações…
Pequenos gestos que podem salvar vidas!
(Mas acho mesmo que não devo explicar aqui muito mais
porque é bom ser demonstrado por quem sabe realmente da coisa.)

Só mais uma coisa
 – que aprendi lá também e ainda não consegui aceitar:
O supositório põe-se com a ponta plana primeiro no rabinho
e a que arredonda entra no final. Vejam aqui!
Digam-me que – COMO EU!!! –
sempre fizeram o oposto?!?!
Façam o curso – A SÉRIO!!!!
É gratuito, dirigido a pais com crianças
de menos de 8 anos
e o que ali nos dão, NÃO TEM PREÇO!!!
O próximo é na Clínica Cuf Torres Vedras, 
dia 08 de dezembro de 2012, 
horário (dois grupos): A) 9h-13h B) 14h30-18h30.
Mais info aqui!
P.S. Vão haver mais datas em mais locais. Depois ponho aqui.

15 thoughts on “Aprenda a Salvar o Seu Filho!

  • É uma coisa que sinto falta mesmo!!! Consigo manter a cabeça fria em situações de emergência mas faz-me falta o know-how em alguma coisas!!! Agora o supositório: COM A PARTE PLANA???? PORQUÊ? QUAL É A EXPLICAÇÃO? Se já com a parte arredondada elas se queixam…. ai ai ai.. vivendo e aprendendo.
    Beijinhos Rita.
    Sou seguidora há pouquíssimo tempo mas já uma mega-fã.

    • Querida Susana!
      Vou procurar a psologia só para escarrapachar aqui!
      Também fiquei em choque.
      Parece que é para não ser expelido… mas vou estudar melhor o assunto!
      😉
      Um beijinho e adoro que venha cá!

    • Ola!
      Primeiro quero dizer que adoro este blog. Descobri a pouco tempo, e agora ando a ler o publicações como um livro.

      Mas o motivo da mensagem é que a minha madrinha(enfermeira de pediatria) falo-me a uns meses desse assunto. Eu também fazia ao contrario (com a parte arredondada)
      O desconforto não é provocado pela introdução.Os bebes se queixam porque a parte plana faz pressão para sair. É um reflexo do esfincter. Fazem a parte arrendondada, para evitar o esse desconforto .
      Eu aprendi quando a minha fofinha tinha 2 meses.
      Desde lá, nunca mais tivemos dramas com o supositórios.

  • Ola Rita!!
    Sempre achei que devia de existir um curso destes!! o seu livro ajudou me imenso, fui mae pela 1ºvez e nao sabia nada:-)!!

    Sou fã do blog , gostava de saber se pensa escrever proximamente outro livro sobre maes e bebes!

    um beijinho
    Antonieta Blomberg

  • E eu que moro em Torres Vedras e tenho um batizado este sábado! 🙁
    Queria mesmo fazer o curso!
    Apesar de ser enfermeira, não tenho prática de reanimações, nem acidentes e nem de pediatria.
    E juro que sempre que coloquei um supositório, nos meus doentinhos ou nos meus filhos, foi sempre, mas sempre com o bico primeiro!
    As coisas que eu tenho aprendido com a Rita!!
    Desde a gravidez, quando comprei o seu livro, depois no blog, que tem sido só a aprender!
    Obrigada e beijinhos.

  • Concordo!! Todas as pessoas deviam ter um pouco de formação sobre este assunto!!! Só na do supositório é que não… o dito pode-se por das 2 maneiras. Na escola de enfermagem também tivemos esta discussão, e as vantagens de uma maneira não são superiores à de outra…

  • Olá Rita.
    A sorte fez nascer a minha filha com uma doença rara. Cedo tivemos a noção que a epilepsia podia ser uma grande probabilidade. Neste sentido, promovemos junto da escola uma formação anual para os educadores e pessoal auxiliar em Suporte Básico de Vida Pediátrico. A Madalena tem 3 anos e marcamos para Fevereiro a 3.ª formação. É importante manter o ritmo e estarmos todos alerta para o que pode acontecer. Porque não acontece só aos outros. Este curso deixa-nos a todos muito mais descansados. (PS: A Madalena tem uma epilepsia completamente controlada e comemoramos para a semana o 2.º ano sem crises. ;))
    Parabéns pelo blogue.
    Um beijinho
    Catarina

  • tb achei muito util adorava fazer este curso tudo me preocupa e as convulsoes nao febris ainda mais mas temos viver de forma descontraida se nao nao vivemos mas sobrevivemos e eu quero viver feliz… tenho q ver perto de mim se exite estes cursos… beijinhos Rita

  • Olá! É verdade, um curso muito útil mas que dá muitos arrepioss…eu fiz, em Coimbra, n foi gratuito, mas o que nos ensinam realmente não tem preço…contudo, no fim fiquei com a grande questão…stressada como sou, como Mãe…se serei capaz de colocar em prática…entretanto, vou rezando para que não aconteça…
    Mas vale a pena…o saber nunca ocupa espaço, e pode fazer a diferença, nem que seja na altura de pedir ajuda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *