O dia em que expliquei à girl o que é a paixão (mal gerida).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Bem, há um miúdo. É mais novo e amigo do boy. E maltrata a minha filha. O ano passado tive de ir falar à escola porque o fedelho lhe deu pontapés. Ela ficou mesmo triste porque não é miúda de violências e sendo ele mais novo acho que foi mais difícil reagir. Mas na escola puseram o miúdo a pedir desculpa e a questão ficou resolvida.
Noutro dia fui ao supermercado e ela diz-me que o miúdo estava ali. O miúdo não se acanha e vem para o pé de nós dizer que ela é feia e mais trinta por uma linha. Sempre em tom de paródia, mas já me estava a enervar. Com o pai ali e tudo… Sobe-me a mostarda ao nariz e contenho-me para não dizer que feio é ele. (Felizmente lembrei-me que não tinha 5 anos. ;))
Fiquei a pensar naquilo e disse à girl:
– Sabes uma coisa, filha. Eu acho é que ele gosta de ti.
Ficou a olhar desconfiada para mim antes de soltar um: que nojo!!!!
E eu continuei:
– A sério. Às vezes acontece isso. As pessoas não sabem bem gerir as emoções e fazem as coisas ao contrário. Eu acho que ele gosta de ti. (Mesmo que não tinha de lhe subir o ego, certo!?) Um dia ele vai perceber que não é assim que se tratam as meninas, nem as pessoas que gosta, ou não gosta. De qualquer forma não tens de aturar isto é deves contar sempre à mãe se alguém te tratar mal.
Dia seguinte, todos na cozinha e diz o boy:
– Mãe, o meu amigo admitiu. (Amei a palavra.) Ele gosta da Maria.
[Pimbas!]

3 thoughts on “O dia em que expliquei à girl o que é a paixão (mal gerida).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *