Já não gosto mais de ti!

Tempo de leitura: 2 minutos

Não é falta de educação. É sinal de confiança.
Há uma linha ténue que separa estas duas esferas. Muitas pessoas por causa deste texto vieram dizer que não admitiam filhos mal educados, bla bla, bla, o costume quando faço um post fora da box certinha e arumadinha.
Ora que, senhores, filhos que nunca disseram que não gostam de nós, ou que somos más ou bruxas, (e mais uma série de nomes retirados do Universo Disney) normalmente é por medo!
É mais do que normal, natural e são, que eles quando estão zangados ou querem algo que não deixamos, se frustem. E uma das formas de lidarem com essa frustração é esta. Mas não se apoquentem. É sinal que gostam de nós, sabem!? Que confiam e que não põem em causa o nosso amor, a nossa presença.
(Há uns que não dizem porque pensam: Ah se eu digo isto ela vai-se embora. Isso é que é mau.)
Há inúmeros textos e livros sobre isso. A resposta é dizer-lhes o contrário. Que os adoramos, que não há amor como o nosso apesar de eles se terem portado mal. Isto, claro, para as mães que como eu querem saber como reagir quando levamos com um: Não gosto mais de ti! ou Já não sou mais teu amigo!*
Depois então há dois caminhos. Voltar atrás, abrir um fosso gigante e deixá-los ganhar. Ou com inteligência levarmos a nossa avante. Por eles, prefiro a segunda. E tento.
De dizerem que não gostam de mim até me apontarem o dedo à frente de outras pessoas vão muitas linhas que não escrevi, nem sequer vivi. Os meus filhos até são educados. Dizem bom dia, boa tarde, obrigada e desculpe. São super generosos e atenciosos. Mas senhores, são crianças, e tudo pode acontecer.
Prefiro isto que o medo. Medo é que não. E o não nos atacarem às vezes pode ser por medo. E essas frustrações e inseguranças vão sair de outra maneira.
Gerir proximidade e respeito é talvez a maior dificuldade da maternidade e acho que isso é óbvio para todas as mães.
E é isto… não compreendo como é que se vem dizer que Ah e tal,
..”mas jamais deixo que me insultem… os pais ainda acham piada..depois admiram-se que criam monstrinhos que insultam os professores.”

Normalmente os que insultam professores são os que lhes falta diálogo em casa, proximidade, amor. Ou ninguém sabe o que falta aos que insultam professores. Até lá vamos fazendo o nosso trabalho o melhor possível. E eu estou super feliz com o meu/s.
* Obrigada Olivia por acrescentar este que não me lembrei.;)

Siga o Socorro! Sou mãe e o Crush no Facebook e no Instagram



38 thoughts on “Já não gosto mais de ti!

  • Não gosto mais de ti! é uma frase muito utilizava pelos meus lá em casa, basta não fazer algo que não lhe agrade, então da mais nova, é mais quero o meu Pai ou a minha Avó. acho que tal normal que até me habituei.

  • A primeira vez que ouvi essa frase fiquei preocupada, agora ignoro « ai não gostas de mim? Pois eu gosto de ti e muito!» e assim passou de moda e atacou com um «já não sou tua amiga!» e pronto isto prevê-se continuar sempre com inovações!!! Mas afinal a frustração tem que sair por algum lado!

  • Eu não a conheço, nem conheço os seus filhos mas pelo que leio aqui acho que faz um excelente trabalho com eles!!!
    O Afonso costuma chamar-me de feia quando está chateado 🙂
    Beijinhos e mais uma vez obrigada
    Maria João

  • Concordo com cada palavra e prefiro um "não gosto mais de ti… não sou mais teu filho. .. ou és má. ." do que o silêncio e olhar cabisbaixo de quem vez de respeito tem medo!!!! Educar custa muito e é uma grande responsabilidade mas se for com amor fica tudo tão mais fácil 🙂
    Bjinhos Rita e não ligue a esses "Ai tal… blá blá wiskas saquetas (risos)
    Joana Russell

  • Olá Rita, Leio o seu blog todos os dias raramente comento… Mas hoje não podia deixar passar em branco, até porque ainda não cheguei a esta fase, mas estou perto e já se nota bem:) Com 21 meses quase 22 a minha filhota já diz o não com muita firmeza há muito muito tempo… e… como é fresca bem fresquinha as birras já se iniciaram quando há algo que quer e não consegue ter… lá está não diz Não gosto de ti… mas quase… com a birra, os gritos e o chamar pelo Pai ou pelos avós… resta-me dizer-lhe que quando ouvir essa frase seguirei a sua segunda opcção sempre ou tentarei claro! Nunca sabemos se o caminho e as atitudes tomadas são as correctas mas eu tento lembrar-me sempre desta frase que o meu avô muito dizia :"Mais vale eles chorarem agora do que os Pais chorarem mais tarde!" e com esta frase a minha filha chora muito 🙂 mas sei que será por uma boa razão!

    A outra questão dos outros dizem "ah quando tiver filhos isto e aquilo… esqueçam é mesmo verdade tudo aquilo que não gostamos os nossos filhos vão ter! Experiência própria… E a "Educação dá-se em casa" sim dá-se sem dúvida mas por vezes não chega foi à conclusão que cheguei depois da maternidade e estou incçuída no grupo que dizia isto e aquilo ….

    O comentário já vai longo peço desculpa
    beijinhos

  • Adoro♡
    É impossível não nos reconhecer-mos nos posts.
    Parabéns pelo maravilhoso blog e obrigada por escrever aquilo que todas as mães pensam mas não têm coragem de falar.

  • Mais importante do que possa parecer à primeira, este texto.
    É mesmo isto, a minha pequena ainda não chegou à fase do "Já não sou teu amigo", "não gosto de ti" e outras coisas piores (que eu cheguei a dizer aos meus pais :p e não me considero, certamente, uma pessoa mal educada), mas também já demonstra muito bem os "objetivos" dela com aquele "dá" acentuado seguido de um choro sem lágrimas que pára assim que consegue o que quer, por isso muitas vezes tem de ser contrariada e (por mais que nos custe) não lhe podemos "dar" tudo o que lá pôe na cabeça! Mas o meu sobrinho, com 4 aninhos feitos recentemente já me diz muitas vezes "agora vou deixar de ser teu amigo" e "vou contar tudo à avó"(porto seguro) eu costumo responder-lhe "Não faz mal eu gosto de ti na mesma"! E agora que li o seu texto, sinto que vou no caminho certo, a educação que tive também foi esta, não quero mesmo que eles se fechem, vivam "num" mundo só deles, com medo de falar, de reagir…
    Costumo dizer que há solução para quase tudo, e se eu aprendi que a "proximidade" entre pais e filhos ajuda a resolver muita coisa, é isso que eu quero que eu quero ou pelo menos gostava que minha filha sentisse também.
    Beijinho Rita, obrigada pelo texto, é só mais um a juntar aos outros, todos tão bons, a que já nos habituou. 🙂

  • Claro que dizem!
    "Não gosto mais de ti"; "És má"; "Já não sou mais teu amigo"; "Quero a avó"
    Porque sabem que os amamos, porque nos amam e porque têm auto-confiança para nos pôr à prova!
    Não é sinal de falta de educação, é sinal de que estão a tentar gerir (e ganhar) os conflitos usando as armas de que dispõem e eles sabem que o amor que os pais lhes têm, joga a seu favor!
    Mas custa ouvir, sobretudo da primeira vez…

  • Lá por casa também já ouvi algumas… és má… não sou mais tua amiga… és feia…
    Mas a que eu achei mais graça, foi quando a minha filha me disse, alto e bom som: "és feia… e as tuas roupas são todas feias… tens tudo feio…"
    Tive de me controlar para não rir à frente dela…
    Obrigado pelas dicas e pela partilha de vida.

  • A minha com 22 meses, se a contrario, chama pelo pai. Não me ama menos, não a amo menos. Se bate com a cabeça, o pé ou morde a língua, pede beijinho. É assim que me ama e eu a ela.
    Parabéns Rita, pelo texto, pela partilha. E que sortudos são os seus filhotes que arranjaram uma vitima de bullying maravilhosa!
    beijinhos

  • Adorei este post e o outro, que ainda não tinha lido 🙂
    Aqui em casa também tenho o mesmo e geralmente acaba em abraços e mimos. Ouvi uma vez um psicólogo dizer que as crianças fazem mais birras perto de quem são mais cúmplices (lá está, não há o medo).
    Baseando-me nesta teoria eu a as minhas filhas temos uma enorme cumplicidade 🙂
    Beijinhos e continue sempre assim.

  • Eu tenho 4 filhos!
    São todos diferentes. A minha Madalena, ou o meu Eduardo nunca diriam – "não gosto de ti" ou "és feia" – porque sabem que eu ficaria triste. Dizem-me outras coisas para me chamar à atenção. Já o meu Tomás…ui, ui, quando se chateia comigo diz logo"já nao és minha amiga" e uma vez disse "já num és a minha pinxexa, és só mãe!" – esta eu adorei!A mais pequenina também diz – "já nao xou tua amiga" – Claro queo nosso papel é dizermos que gostamos e somos amigos deles, sempre! – Mas cada filho tem a sua maneira de reagir…

    • É verdade sim! 😉 A mais velha tem mais cuidado, não gosta nada de magoar. O mais novo é mais intempestivo e só depois de dizer é que se arrepende. São mesmo diferentes e também devemos agir diferente! 😉
      Mts beijinhos <3 (4 filhos?! Tão bom!!!)

  • Concordo plenamente com este texto Rita! A minha ainda não o disse (é mais pequena) mas espero que quando o disser, o faça porque sabe que por muito que o diga, eu vou estar sempre lá e vou continuar a gostar dela. E mesmo que perceba que fico triste, acredito que o diga na mesma, porque tem mau feitio! 🙂 Mas se a mãe é feia ou se não gosta da mãe porque não lhe fez uma vontade, então terá muito que amuar!! Um beijinho Rita

  • olá Rita:

    O meu filho que tem 6 anos, já algum tempo que entrou nesta fase… situação que acho que é normal…
    Frases como não gosto mais de ti, não sou mais teu amigo,… saem disparadas de vez em quando (não todos os dias-mais tipo 1 vez/semana) levam como resposta: mas eu gosto muito de ti, ou eu sou tua amiga…….

    'pera aí… acabadinho de acontecer… quando adormece ao meu lado gosta de me dar a mão… como estou a escrever (agora mesmo) não lhe posso dar a mão… minha resposta: não vez que estou a escrever??? diz ele: mas eu até gostava de ti… e agora não me queres dar a mão! não gosto mais de ti… e falar de coincidências!!!

    mas tudo isto para dizer que eles dizem isto para levar a deles a bom porto… mas temos de contornar as situações.

    como já percebeu, adoro o seu blog…

    'jinhos para todos…

    marta cruz

  • Qual é a mãe a quem o filho pequeno nunca disse: não gosto mais de ti! Já não sou mais teu amigo? É engraçado porque acabei de escrever um post que aborda este assunto. Esta manhã o meu filho de 4 anos, no meio da birra, disse-me: "Quando fizeres anos não te compro nenhum presente!" (http://vidasdanossavida.blogspot.pt/2014/02/quando-fizeres-anos-nao-te-compro.html). Faz parte. Como li uma vez penso que num desenho ilustrado da Mum'sTheBoss: "se os teus filhos nunca te odiaram é porque nunca foste verdadeiramente pai/mãe!" E é uma grande verdade. Bjs

  • A Catarina diz: não gosto de ti… Eu respondo: não faz mal eu gosto de ti na mesma .. Não considero uma falta de educação mas sim um processo de educação … Venham mais post fora da caixa!
    Beijinhos ines

  • Há pouco tempo fui vítima desta frase…Não gosto mais de de ti nem sou mais tua amiga és má e nunca me fazes as vontades…
    Dito com um virar de costas repentido e direitinha para o seu quarto…Com 4 anos a moça é assim … fui ter com ela e disse-lhe não faz mal filha, a mamã gosta de ti e vai gostar de ti para sempre! E é por gostar de ti que a mamã não te faz as vontades sempre…virei costas e fui aos meus afazeres…passado cinco minutos já tinha passado!

  • Bom a minha filha está numa fase em que me diz: não gosto de ti, vai embora e fica sozinha, eu quero ficar com o papá, vai embora para sempre… acompanhado de, acorda e não quer que a toque e fica com uma raiva enorme começa aos pontapés… enfim… fico perplexa e sem entender nada e é muito triste… pois agora passado um bocado desta "agressão" começo a chorar. Há dias melhores e piores… enfim… custa ouvir coisas assim quando somos tão próximos deles e os amamos tanto. Se fosse uma pessoas ausente, tal vez eu esteja é presente demais e seja sensível demais… porque acabam por ser crianças e como dizem deve ser a frustração a falar… mas imaginem sair do trabalho e ir buscar a vossa menina e que essa agressão comece assim que a tentamos colocar na cadeira do carro até a casa… enfim…

    • A irreverência faz parte do crescimento. Custa mas faz parte. Responda-lhe sempre com amor. Vai ver que passa. Ela pode estar a pedir carinho e conexão. Um beijinho e boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *